Conhecendo Jamar Johnson

Saudações, torcedores dos Broncos! Com a escolha geral número 164 do Draft da NFL de 2021, o Denver Broncos selecionou Jamar Johnson, safety da Universidade de Indiana. Vamos conhecer o novo calouro que vem para contribuir em nossa secundária já recheada!

Jamar Johnson nasceu em 22 de Novembro de 1999 na cidade de Sarasota, Flórida (muitos devem conhecer a cidade de tanto ouvir o comentarista Paulo Antunes falar dela na ESPN). Começou a jogar futebol americano ainda criança pela Riverview High School, em sua cidade natal.

Era um CB extremamente agressivo quando o assunto era disputar a bola com os recebedores. Anotou impressionantes 13 interceptações entre 2016 e 2017 e recebeu diversas nomeações honrosas, como o de melhor defensive back em 2016 e seleção para o first-team, ambas dentro de seu distrito. Também era muito versátil e participava do ST da sua equipe, tendo retornado dois punts e um kickoff para TD. Chegou até mesmo a ter algumas carregadas como RB! Também praticava atletismo e participou de provas de salto triplo, 110 metros com barreiras e revezamento 4x100m, embora nunca tenha se destacado nessas modalidades.

Johnson foi considerado um recruta três estrelas ao terminar seus estudos no colégio em 2018 e acabou recrutado para jogar College Football pela Universidade de Indiana.

Carreira no College

Jamar iniciou sua trajetória no College em 2018 jogando principalmente no ST da equipe. Teve muito destaque e foi nomeado como ST player of the week após o jogo contra Ohio State. Entretanto, pouco participou da defesa ao longo da temporada, visto que as posições de CB da equipe possuíam titulares estabelecidos. Acabou ganhando oportunidades como S em 4 partidas e anotou 1 passe defendido e 1 INT, mostrando que tinha faro para a bola.

Vendo os talentos de Jamar em outra posição, o coordenador defensivo da equipe decidiu utilizá-lo em 2019 como “Husky“. Alguns programas do College Football usam essa terminologia para jogadores que atuam em diversas posições no campo, como por exemplo S, CB e LB. Nessa função “coringa”, Jamar Johnson ganhou mais oportunidades e teve um ano bastante produtivo. Participou de 12 jogos e anotou 18 tackles (4,5 deles para perda de jardas), 3 sacks, 1 fumble forçado e 2 INTs, sendo uma delas retornada para TD. Essa pick six foi o primeiro TD defensivo na pós-temporada da história do programa da Universidade de Indiana.

Jamar Johnson tem um faro natural para a bola e consegue muitas interceptações. Fonte: Mile High Report.

Seu desempenho em 2019 foi reconhecido pela comissão técnica, que transformou Jamar Johnson em S em tempo integral, bem como titular absoluto em 2020. Não decepcionou os treinadores e teve um ano de junior estelar. Em uma temporada de apenas 8 jogos por conta da pandemia de Coronavírus, Jamar anotou 32 tackles (3,5 para perda de jardas), 1 sack, 1 fumble forçado, 4 passes defendidos e 4 INTs. O ponto alto de sua temporada foi o jogo contra Ohio State, em que interceptou Justin Fields duas vezes. Seu desempenho lhe rendeu uma seleção para o First-team All- Big Ten pela imprensa e outra para o Second-team All-Big Ten pelos treinadores da conferência.

Decidiu não retornar para o ano de senior em 2021 e se declarou para o Draft da NFL.

O processo no Draft

Com uma produtividade alta em uma conferência competitiva (Big Ten) e um talento nato para conseguir turnovers, Jamar Johnson entrou bem cotado para o Draft da NFL de 2021. Era tido como um jogador de terceira rodada na maioria dos boards de analistas especializados.

Seu principal ponto forte é o processamento mental. Tem QI de futebol muito alto, o que aliado a um instinto para a bola, faz com que Jamar esteja sempre aonde a bola vai. Tem um nível de reconhecimento do que se passa em campo muito acima da média. É impressionante como sempre está onde o QB lança. Tem excelente ball skill, ou seja, mãos firmes para segurar a bola ao invés de espalmá-la, o que explica o alto número de interceptações. Medindo 1,85m e pesando 92kg, tem porte adequado para marcar TE no box, especialmente em marcação por zona. Por fim, destaco sua capacidade de reação às jogadas, o que também o ajuda a atacar a bola. Observe o vídeo abaixo em seu jogo de 2020 cotra Ohio State. Note que Johnson (número 22) lê o QB e reage rapidamente ao seu arremesso, dando-lhe a oportunidade de atacar a bola e fazer a interceptação.

Com tantas qualidades técnicas, por que Jamar Johnson caiu para a quinta rodada do Draft? A resposta é falta de atleticismo adequado. Correu o tiro de 40 jardas em 4,58 segundos, o que não é exatamente um tempo ruim mas também não é velocidade de elite para os padrões da NFL. Creio que isso fez as equipes questionarem sua capacidade em atuar como FS em esquemas defensivos que usam muito single-high S (um S apenas patrulhando o fundo do campo). Sua falta de velocidade também se faz mostrar no jogo corrido, pois não chega tão rápido quanto necessário até a linha de scrimmage. Seu peso e força de jogo também são abaixo dos melhores atletas da NFL, limitando seu uso em pacotes de marcação mano-a-mano, especialmente em press coverage. Por fim, tem uma técnica de tackle ruim. É afoito, usa muito o lado do corpo e toma ângulos ruins, frequentemente sendo rebocado uma ou duas jardas antes de parar a jogada ou perdendo o tackle. Precisa melhorar muito nesse sentido.

Creio que estes problemas fizeram um cara talentoso como Jamar Johnson cair no board das equipes e sair muito depois do que muitos imaginavam. Felizmente, caiu no colo do Denver Broncos.

Jamar Johnson nos Broncos

Jamar Johnson foi escolhido pelos Broncos com a escolha número 164 do Draft deste ano. Curiosamente, saiu apenas 12 escolhas depois de seu companheiro de posição, o S Caden Sterns (link do Conhecendo aqui). Vic Fangio comentou na entrevista coletiva após o Draft que isto foi um caso real de “siga seu board“. Os Broncos tinham acabado de escolher um S, mas Jamar é tão talentoso e estava tão mais alto no board dos Broncos que outros jogadores de outras posições que não havia como deixá-lo passar. Concordo com Fangio e Paton. Johnson é um jogador extremamente inteligente em campo e capaz de produzir muitos turnovers. É um talento de segundo dia que escolhemos na quinta rodada, portanto dou uma nota A para a escolha.

Essa é a primeira foto oficial de Jamar Johnson nos Broncos. Fonte: Site oficial do Denver Broncos.

Creio que Jamar Johnson se daria muito bem como FS em um esquema split field, ou seja, com dois S em profundidade. Esse é o esquema do Fangio. Em princípio, se encaixaria melhor na função realizada por Justin Simmons e deve ser o reserva da estrela da nossa secundária em 2021. É possível que seja utilizado em alguns pacotes dime (6 DB) para marcar TE, algo que Duke Dawson fez ano passado mas com uso limitado. Salvo qualquer lesão (bate na madeira três vezes), deve passar a maior parte do tempo no banco e no ST, o que talvez seja o tempo necessário para Jamar polir seu jogo. Melhorando sua técnica de tackle e chegando mais rapidamente à linha de scrimmage, poderia assumir as funções de Kareem Jackson a partir de 2022. Essa é a posição que Johnson deve disputar com Caden Sterns.

Confira o vídeo que fiz sobre a trajetória de Jamar Johnson até chegar aos Broncos. Compartilhe e deixe seu like!

Conhecendo Jamar Johnson em nosso canal no Youtube.

E você, caro torcedor, o que achou da escolha de Jamar Johnson? Deixe suas impressões nos comentários. Sigam o Mile High Brasil no Twitter, no Instagram, se inscrevam em nosso canal no YouTube e apoiem nosso trabalho pelo Apoia.se. Nos vemos em breve.

#GoBroncos