Conhecendo: Coaching Staff 2018

Saudações torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! O desempenho dos Broncos na temporada de 2017 esteve longe do que esperávamos. Como consequência disso, alguns técnicos assistentes perderam seus empregos e rostos novos (ou não) ocupam os cargos vagos. Chegou a hora de conhecer a nova coaching staff do Denver Broncos.

Além de Mike McCoy, que nem terminou a temporada como Coordenador Ofensivo da equipe, seis técnicos perderam seus empregos no Denver Broncos: Brock Olivo (Coordenador de Special Teams), Eric Studesville (RBs e assistente do head coach), Tyke Tolbert (WRs), Fred Pagac (OLBs), Jeff Davidson (OL) e Johnnie Lynn (DBs).

Vamos ver como ficou a comissão técnica após as mudanças do início de janeiro.

Head Coach

Apesar do que muitos queriam, o esperado se concretizou e Vance Joseph continua na posição de Head Coach do Denver Broncos por, ao menos, mais uma temporada. John Elway acredita que não deu a Joseph as condições para vencer (um quarterback) e decidiu dar mais um ano para o técnico agora-não-mais-calouro. Joseph apontou em entrevista coletiva que sua maior falha foi “treinar os técnicos”, e esta fala pode indicar que comandar uma equipe não montada por ele não tenha ido tão bem. Ele fez mudanças no staff e 2018 será a sua chance de se mostrar um Head Coach da NFL.

 Phil Rauscher

O assistente administrativo do Head Coach, Phil Rauscher, não foi demitido, mas saiu da equipe. Ele foi contratado pelo Washington Redskins como assistente ofensivo e foi a única perda não prevista da equipe de Vance Joseph.

 Ataque

O setor teve um desempenho sofrível na temporada de 2016, e isso não é segredo para ninguém. Figurando com a sexta pior média de pontos por partida da liga (18,1), o ataque do Denver Broncos precisa de um quarterback atenção. Não por acaso, o ataque foi o setor que mais teve alterações na staff.

Coordenador Ofensivo:

Mike McCoy  Bill Musgrave

A mudança não é nova, mas só foi efetivada já em 2018. Durante os seis últimos jogos da temporada Bill Musgrave assumiu, então interinamente, o cargo de Coordenador Ofensivo, após a demissão de McCoy depois da derrota em casa para Cincinnati na semana 11, quando o time chegava à terrível marca de seis jogos sem vencer. O recorde de Musgrave como coordenador foi de 2-4, com vitórias sobre Jets e Colts. Mas o que ele mostrou nesses seis jogos foi o suficiente para Joseph acreditar que, com as armas certas, Musgrave guiará o ataque no caminho da vitória.

Falei um pouco sobre a carreira de Musgrave neste post, que fiz quando ele foi contratado pelo Denver Broncos no início de 2017.

Linha Ofensiva:

Jeff Davidson  Sean Kugler e Chris Strausser

Na posição de técnico de linha ofensiva, as mudanças foram mais profundas. O setor tem sido um pesadelo há anos e, apesar dos investimentos, ainda não chegou nem perto do que se considera uma boa OL. Jeff Davidson veio de San Diego com Mike McCoy para ocupar a posição e isso pode ter sido mais um motivo para a mudança. O interessante nessa mudança é que não um, mas dois técnicos ocuparam a vaga de Davidson: Sean Kugler e Chris Strausser. A linha ofensiva tem três posições distintas e agora, dois técnicos cuidando de cada setor: Kugler trabalhará com os tackles e Strausser será responsável pelo miolo da linha (centers e guards).

Sean Kugler é nativo de Nova York e tem 24 anos de experiência como técnico, tanto no College quanto na NFL. Os primeiros anos de sua carreira de treinador foram no início dos anos 1990, na Flórida, treinando times de High School.

Ele teve sua primeira oportunidade no College na mesma universidade em que trabalhava ano passado: University of Texas at El Paso (UTEP). Por lá ele ficou de 1993 até 2000, passando pelas funções de técnico assistente, técnico de TEs até, finalmente, ocupar o cargo de técnico de linha ofensiva. Em 2001 vinha a primeira passagem de Kugler pela NFL, como técnico de TEs, e posteriormente de linha ofensiva, do Detroit Lions.

Em 2006 Kugler retornou ao College Football, assumindo a linha ofensiva do Boise State Broncos. Naquele ano, os Broncos do College foram o único time invicto do college football, vencendo Oklahoma no Fiesta Bowl. Boise State teve o sexto melhor jogo corrido, com a ajuda da performance da linha ofensiva de Sean Kugler, que contava com Ryan Clady na posição de tackle.

Kugler ficou apenas um ano em Boise State, sendo substituído pelo agora colega como técnico de linha ofensiva, Chris Strausser. Ele voltava à NFL, agora no Buffalo Bills, ficando por lá de 2007 a 2009. Sob seu comando, a linha ofensiva dos Bills cedeu apenas 26 sacks na temporada de 2007. Após três anos em Buffalo, ele passou mais três no comando da linha ofensiva de Pittsburgh, ajudando os Steelers a conquistar o Super Bowl XLV.

Após anos na NFL, Kugler retornou à UTEP, agora como Head Coach, entre 2013 e 2017, quando se afastou da posição após iniciar a temporada com cinco derrotas consecutivas.

Chris Strausser

Chris Strausser não é exatamente uma adição ao staff, já que ele estava no time em 2017. Strausser ocupou a função de assistente da linha ofensiva em 2017, seu primeiro ano na NFL e, agora, foi promovido a técnico de linha ofensiva.

Mas ele não é nenhum calouro, tendo 28 anos de experiência como técnico no college, sendo 19 deles treinando linhas ofensivas. Ele teve passagens pela Universidade de Washington e em Boise State, onde trabalhou com Sean Kugler.

 

Wide Receivers:

Tyke Tolbert  Zach Azzanni

Zach Azzanni

Zach Azzanni tem 19 temporadas de experiência treinando wide receivers e em 2018 será a vigésima, já que ele agora ocupa o cargo de técnico de WRs do Denver Broncos. Ele nasceu em Saint Louis e iniciou sua carreira na Valparaiso University em 1999, como treinador de WRs.

Ele teve passagens por Bowling Green e Central Michigan, onde ficou famoso por dar uma oportunidade a Antonio Brown. O hoje wide receiver dos Steelers teve problemas para se adaptar à rotina do College e Azzanni e sua família o ajudaram a superar as dificuldades.

Olha o que chegou do meu garoto! Amo você @AntonioBrown84. RDA para toda vida! Boa sorte hoje a noite! Os Azzannis estão sempre assistindo!

Na University of Florida, Azzanni treinou os WRs dos Gators de Tim Tebow em 2010. Em 2011 teve uma breve passagem como coordenador ofensivo de Western Kentucky, mas voltou a treinar WRs com Wisconsin Badgers (2012) e Tennessee Volunteers (2013-2016). Azzanni estreou na NFL em 2017, como treinador de WRs do Chicago Bears e, em 2018, assume a mesma função no Denver Broncos.

Running Backs:

Eric Studesville  Curtis Modkins

Curtis Modkins

Curtis Modkins tem bastante experiência na liga. Nascido em Marlin, Texas, sua carreira de treinador começou onde a de jogador terminou. Foi running back de TCU e por lá teve seu primeiro cargo, como treinador de secundária e, posteriormente, de tight ends, entre 1996 e 1997. Foi técnico de cornerbacks na New Mexico University (1998-2001) e de defensive backs em Georgia Tech (2002), onde ocupou pela primeira vez o cargo de treinador de running backs.

Modkins foi treinador de RBs de Georgia Tech de 2003 a 2007, quando foi contratado pelos Chiefs, no que seria sua primeira experiência na NFL. Ele teve duas passagens como coordenador ofensivo: Buffalo Bills (2010-2012) e San Francisco 49ers (2016). Modkins foi treinador de RBs de Chiefs, Cardinals Bills, Lions e Bears.

No ano passado, como técnico de running backs do Chicago Bears, ele guiou Jordan Howard a uma temporada de 1.122 jardas e 9 touchdowns, o rookie Tarik Cohen a 370 jardas, 2 touchdowns e 53 recepções para 353 jardas e 1 touchdown. Em 2018, ele assumirá a função no Denver Broncos.

Técnico de Quarterbacks:

 Mike Sullivan

Mike Sullivan nasceu em Santa Maria, California. Em sua carreira como treinador, assim como Curtis Modkins, Sullivan passou por diversas posições. Seu primeiro cargo foi de assistente em Humboldt State, seguido de técnico assistente de linebackers e treinador de outside linebackers com os Army Black Knights. Foi treinador de defensive backs em Youngstown State, Army e na Ohio University.

Chegou à NFL em 2002 como coordenador de controle de qualidade da defesa dos Jaguars. E em Jacksonville ele foi para o ataque pela primeira vez na carreira, como assistente ofensivo. Em 2003, Bill Musgrave chegava aos Jaguars como coordenador ofensivo e Sullivan seria seu assistente aquele ano.

Em 2004 deu início à sua primeira passagem com o New York Giants. Ele chegou aos Giants como treinador de WRs, função em que foi campeão do Super Bowl XLII, mas em 2010 assumiu a função de técnico de quarterbacks. Em 2011, Eli Manning lançou para os maiores números de sua carreira: 4.933 jardas, 29 touchdowns, 16 interceptações e foi nomeado MVP do Super Bowl XLVI.

Sullivan foi coordenador ofensivo dos Bucs entre 2012 e 2013, até voltar para Nova York, novamente como técnico de quarterbacks do Giants. Em 2016 assumiu a função de coordenador ofensivo. Com a demissão de Ben McAdoo, os técnicos foram liberados para procurar novos empregos na liga e, assim, Mike Sullivan se tornou o novo técnico de quarterbacks do Denver Broncos (deem a ele um quarterback).

Geep Chryst (TEs), Klint Kubiak (assistente ofensivo e QBs) e Christopher Kragthorpe (controle de qualidade do ataque) permanecem em suas respectivas funções.

Defesa

Defensive Backs:

Johnnie Lynn  Greg Williams

Greg Williams

Greg Williams tem nove anos de experiência como treinador na NFL, além de outras seis temporadas fora da liga. Sua carreira como treinador se iniciou em 2003 com um estágio em Arizona State. Ele foi para College of DuPage como um técnico assistente entre 2004 e 2005. Ele então teve passagens por Arkansas Tech e pela University of Pittsburgh, trabalhando com recrutamento e treinando a secundária.

Williams chegou à NFL com o San Diego Chargers, onde ficou sete anos treinando linebackers e a secundária. Ele passou os dois últimos anos como treinador de defensive backs no Indianapolis Colts.

Os Colts, que carecem nomes de peso na secundária, anotaram 13 interceptações e 81 passes defendidos em 2017 e 8 interceptações e 68 passes defendidos em 2016 sob o treinamento de Williams.

Em 2018, Greg Williams se junta a Marcus Robertson como treinador de defensive backs.

Outside Linebackers:

 Fred Pagac

O cargo de técnico de outside linebackers é o único que continua vago na staff de Vance Joseph, após a demissão de Fred Pagac. Por enquanto, Reggie Herring é o único encarregado por todo o corpo de linebackers.

Joe Woods (coordenador defensivo), Bill Collar (linha defensiva), Reggie Herring (linebackers), Marcus Robertson (defensive backs), Chris Beake (assistente defensivo e linha defensiva) e Charles Gordon (controle de qualidade da defesa) permanecem em suas respectivas funções.

Special Teams

Coordenador de Special Teams:

Brock Olivo  Tom McMahon

Tom McMahon

Tom McMahon nasceu em Helena, Montana. Ele tem 26 anos de experiência como treinador. McMahon treinou special teams na NFL nos últimos 11 anos. Seu último trabalho foi como coordenador de special teams no Indianapolis Colts, onde estava desde 2013. Antes disso, ele passou por Kansas City (2012), onde foi treinador de special teams, e por St. Louis (2009 a 2011) onde foi coordenador.

McMahon trabalhou com vários special teamers impressionantes, como o retornador Jerious Norwood, em Atlanta, Danny Amendola em St. Louis, que liderou a NFL em retornos de punts de 20 ou mais jardas em 2009 e 2010, e mais recentemente nos Colts, trabalhou com o kicker Adam Vinatieri e o punter Pat McAfee, que inclusive foi quem deu o furo da contratação de McMahon pelos Broncos.


Parabéns aos Broncos por assinarem Tom McMahon como seu novo coordenador de Special Teams. O cara é um técnico absolutamente incrível. Genuinamente amava ir para os treinos com ele segurando o apito. Fez eu me apaixonar pelo processo de novo. Denver vai amá-lo.

Os Colts foram o time com special teams mais consistentes da liga, figurando entre o top 5 em diversas categorias durante os cinco anos de McMahon em Indianapolis: porcentagem de field goals (89,6% – terceiro da liga), média líquida de jardas por punt (41,3 – terceiro da liga), média bruta de jardas por punt (46,4 – quarto da liga) e média de retorno de kickoff (24,5 – quinto da liga).

Ah, ele também é famoso por este não tão brilhante momento. Espero que ele não tente muitos fake punts nos Broncos.

Chris Gould (assistente de special teams) permanece em sua função.

 

E vocês, torcedores e torcedoras, o que acharam das mudanças?