Análise de setores – Semana 16 @ Raiders

Saudações, torcedores dos Broncos! Perdemos mais uma para o Las Vegas Raiders, 17 a 13. Vamos analisar os setores da equipe para saber o que deu certo e o que deu errado na partida.

Os dados aqui utilizados foram retirados do site da ESPN Brasil (link).

Ataque

Venho por meio deste declarar o óbito do ataque dos Broncos. Sim, um ataque já anêmico conseguiu ontem perder aquilo que era o último sopro de funcionalidade: o jogo corrido.

O plano defensivo dos Raiders foi muito simples, lotar o box, impedir a corrida e desafiar Drew Lock a vencer o jogo com o braço. Isso seria meio óbvio em qualquer situação dado que o ataque dos Broncos é unidimensional (por terra) há muito tempo. Só não imaginei que daria tão certo. Denver correu com a bola 16 vezes para ridículas 18 jardas. Média mais ridícula ainda de 1,1 jarda por carregada. Isso porque Lock conquistou 10 dessas jardas. Inadmissível!

Claro que com números desses o desempenho pífio da OL foi um fator crucial. Austin Schlottman substituiu Cushenberry (com Covid) e foi mal. Risner não preciso nem falar, está tendo uma temporada horrível. A verdade é que o front seven dos Raiders engoliu nossa OL e os RBs pouco puderam produzir.

Mas é claro que tem o fator Pat Shurmur. Inside runs não estão entrando, vamos tentar algo diferente? Não! Maxx Crosby está engolindo nossa OL, o que vamos fazer? Deixar ele sem bloqueio e pedir para o seu pulling OG correr atrás dele! Veja no vídeo abaixo.

Primeira descida para 10 jardas e os Broncos manda 12-personnel a campo. Fant faz o motion posicionando um TE em cada ponta da linha. A jogada é uma inside run com Risner fazendo o pull. Só que Okwebugnam deixa Crosby sem bloqueio e Risner tem que alcançá-lo antes que ele alcance o RB. Não aconteceu e a jogada foi para perda de jardas. Note também que Schlottman foi facilmente batido.

Tradução: “Eu sou crítico ao Dalton Risner, mas isso nunca daria certo”.

Assim como contra os Bengals (relembre aqui), nosso OC tentou sair dessa armadilha contra o jogo corrido usando bolas longas. Novamente, tentar passes curtos nem passou pela cabeça dele. E assim como contra os Bengals, não deu certo. Veja o vídeo abaixo.

Primeira para 10 jardas e os Broncos trazem 12-personnel a campo. Kendall Hinton faz o motion e denuncia que os Raiders estão em cobertura por zona. A jogada é um play action e tanto Hinton quanto Williams correm flat routes curtas atrás da linha de scrimmage. Fant e Sutton correm rotas longas, uma corner route e uma deep over, respectivamente. Essa jogada já é manjada dos Broncos e a secundária faz um belo trabalho. Lock não tem para quem passar e sofre o sack.

Tradução: “Os Raiders mandam um stunt com Maxx Crosby fazendo o looping por dentro e o EDGE saca Drew Lock”.

Junte aí os drops dos nossos recebedores e temos a receita para o fracasso: estávamos constantemente em terceiras descidas longas. Convertemos apenas 1 de 10. O ataque não marchou o campo e só esteve uma vez na redzone e por conta de um turnover forçado pela defesa.

Esse ataque é tão previsível e fraco que qualquer um faz um plano de jogo eficiente contra essa unidade. Os mesmos problemas e as mesmas “soluções” são usadas à insistência todos os jogos, sem que nosso OC esboce qualquer vontade de mudar. O resultado está aí! A defesa tem seus problemas (mais abaixo), mas novamente entregou apenas 17 pontos e 3 turnovers. Mas o ataque nem a capacidade de fazer míseros 18 pontos tem.

Defesa

Bem, todos já sabem que tenho dó desta unidade, que se mata em campo para manter esse time vivo na partida, só para ver o ataque entregar a paçoca. Essa é a sina dessa defesa.

Mas nem tudo são flores e ela também tem seus problemas. Contra os Raiders, obviamente, foi o jogo corrido. Se a DL deles engoliu nossa OL, a OL deles também engoliu nosso front seven. Veja o vídeo abaixo.

Os Raiders trazem 11-personnel na segunda descida para 6 jardas e Fangio manda seu pacote nickel a campo. Note como a OL mais o TE dominam a DL e ambos os ILBs, deixando a parte de baixo do vídeo aberta para o cut back de Josh Jacobs. O RB finta Chubb (que deveria ser mais disciplinado fechando a ponta) e conquista a primeira descida.

Tradução: “Chubb sente cheiro de sangue e desiste da contenção após o corte de Josh Jacobs.”

E foi assim o jogo inteiro. Os Raiders correram 40 vezes para 160 jardas, média de 4 jardas por carregada. Não é tanto assim, mas essas jardas foram obtidas de forma consistente, como num trabalho de formiga. Foram apenas 3 tackles para perda de jardas e os Raiders conseguiram mais de 36 minutos de posse.

Derek Carr teve um jogo discreto, mas eficiente. Passou 25 vezes e completou 20 passes (75%) para 201 jardas e um TD. Nada espetacular, mas conseguiu mover as correntes.

Mas mesmo com os Raiders comendo o relógio e sendo eficientes por terra e pelo ar, a estatística que importa é a seguinte: a Defesa cedeu apenas 17 pontos! E mais, conquistou 3 turnovers, 2 fumbles recuperados e 1 INT. Colocou o ataque na redzone para o único TD que anotamos na partida.

Portanto, eu insisto. Mesmo com problemas essa Defesa é uma unidade de elite. Cede menos pontos por jogo que a No Fly Zone de 2015 e só não estaremos nos playoffs por incompetência do ataque.

“Time de especialistas”

Pessoal, estou de férias e sinceramente não tenho paciência para comentar sobre nossos “especialistas”. Tivemos o de sempre: Sam Martin bem e consistente, Dionte Spencer com retornos e decisões horríveis e Brandon McManus errando mais um chute e dando chilique. Aliás, depois dessa eu já estaria pensando com carinho em cortar nosso K para o ano que vem.

Enfim, demitam Tom McMahon!

Conclusão

Mais um jogo que a defesa faz o seu papel, mais um jogo que o ataque não faz o seu. Fica até chato repetir. Esse análise de setores bate na mesma tecla há muito tempo e está claro que Pat Shurmur e Tom McMahon são os grandes problemas do Denver Broncos. Mas a verdade é que Vic Fangio está morrendo abraçado com eles e pode estar jogando fora sua única chance como HC na NFL.


Essas foram as minhas considerações sobre a derrota contra os Raiders. Deixem as suas na seção de comentários.

Se vocês querem produtos dos Broncos e da NFL, confiram o site da First Down (link), parceira do Mile High Brasil.

E não se esqueçam de seguir o Mile High Brasil no Twitter, no Instagram, se inscrever em nosso canal no YouTube e apoiar nosso trabalho pelo Apoia.se. Nos vemos em breve!

#GoBroncos