Renovação contrato Elway

O fim de uma era: John Elway não é mais o GM dos Broncos

Saudações, torcedores do Denver Broncos! Após mais uma temporada com reclrde negativo, John Elway deixa o cargo de General Manager (GM) dos Broncos. É o fim de uma era marcada por altos e baixos que dividem os torcedores, mas que nos trouxe o terceiro anel após quase duas décadas. Elway seguirá como Presidente de Operações de Futebol, cargo que acumulava desde 2017.

Neste post, iremos analisar a trajetória de John Elway como GM dos Broncos e projetar o que a saída significa para o time.

John Elway como GM em números

Antes de se juntar novamente aos Broncos, sua experiência anterior como executivo de futebol americano se resumia a ser um dos donos e CEO do Colorado Rush, equipe da Arena Football League. Ficou no comando de 2003 a 2008, quando a liga foi extinta, e conquistou um ArenaBowl na temporada 2005. Ao final de 2010, Elway se reuniu com Pat Bowlen e expressou seu desejo de retornar ao Denver Broncos como executivo, embora tenha afirmado na época que o cargo de GM seria demais naquele momento. Cortina de fumaça ou não, John Elway foi anunciado como GM dos Broncos em 5 de Janeiro de 2011, iniciando uma das eras mais vitoriosas de um GM na franquia.

Foram 160 partidas a frente dos Broncos com 90 vitórias e 70 derrotas e 56,25% de vitórias (a terceira maior marca de um executivo em Denver). Venceu 6 de 10 partidas em playoffs, ficando atrás apenas de John Beake, GM de 1984 a 1998. Coincidência ou não, este é o mesmo período em que Elway era o QB do time. Conquistou também 5 títulos divisionais da AFC West, 2 títulos de conferência da AFC, 2 aparições em Super Bowl e 1 Troféu Vince Lombardi. Mas se os números inegavelmente mostram o sucesso de Elway como executivo, por que muitos ainda questionam nosso Hall of Famer?

Os números de Elway como GM inegavelmente demonstram seu sucesso. Por que então é contestado? Fonte: Predominantly Orange

Parte 1: de Tebow a Manning, construindo uma dinastia

A primeira marca de John Elway como GM foi o Draft de 2011. Com a segunda escolha geral escolheu ninguém menos que Von Miller, que seria (ou ainda será?) a cara da franquia por muito tempo. A classe ainda contou com outros bons nomes, como Orlando Franklin e Julius Thomas e alguns infames, como Rahim Moore. Mas a história de 2011 é a Tebow Mania, que marcaria por anos os torcedores daquela geração, incluindo este que vos escreve. Após uma temporada regular cambaleante, Tebow sacou de sua mágica em diversos momentos-chave, incluindo a vitória contra os Steelers no Wild Card Round. Abaixo está o vídeo daquele TD mágico de Demaryius Thomas.

Mas o grande feito de Elway viria em 2012. Enfrentou uma concorrência feroz de outras franquias com elencos melhores que o dos Broncos e convenceu ninguém menos que Peyton Manning a ser o QB de Denver. Nem a mágica de Tebow foi capaz de superar a alegria no Colorado quando Manning foi anunciado, inaugurando o período de ouro da era Elway. De fato, todos os títulos como GM vieram entre 2012 e 2015, justamente quando Manning liderava o ataque em Denver.

Diversos jogadores de peso foram para os Broncos neste período, todos atraídos pela possibilidade de conseguir um anel que a figura de Peyton claramente trazia à mesa. Batemos na trave em 2013, ao perder de forma vexatória o Super Bowl 48 para os Seahawks. Inconformado, Elway mudou os rumos da equipe e passou a montar uma defesa histórica, trazendo grandes nomes como Demarcus Ware, T.J. Ward, Aqib Talib, entre outros. Após mais um vexame na derrota para os Colts no Divisional Round de 2014, mandou John Fox e sua apatia embora para trazer seu velho companheiro Gary Kubiak como HC.

Kubiak e seu ataque pareciam não se encaixar ao estilo de Manning, o que junto com a idade fez o QB declinar de forma acentuada. No entanto, a defesa agressiva recheada de estrelas e comandada pelo DC Wade Phillips fez história e levou a equipe nas costas, como muitos dizem. No dia 7 de fevereiro de 2016, a unidade passou como um rolo compressor sobre os Panthers de Cam Newton, trazendo o terceiro Vince Lombardi para Denver. Era a coroação do período Manning e de todo o esforço de John Elway em repaginar a equipe após o fracasso do SB 48. Foi o ápice como GM, mas também marcou o fim da carreira de Peyton Manning, que se aposentou antes da temporada 2016, levando consigo o bom futebol do Denver Broncos.

Peyton Manning foi o símbolo do auge da Era Elway. Fonte: Bleacher Report.

Parte 2: os caminhos tortuosos pós-Manning

A aposentadoria de Peyton trazia o maior desafio de todos para Elway: como manter a equipe competitiva sem um dos maiores QBs da história do esporte no comando do ataque? O desafio começou com um grande percalço quando Brock Osweiler, escolha de segunda rodada em 2012 e preparado por anos para suceder Manning, deixou a equipe do Colorado por um contrato gordo nos Texans de Bill O’Brien. Tentou corrigir o rumo escolhendo Paxton Lynch na primeira rodada do Draft de 2016 para ser o novo franchise QB de Denver e passaria a temporada de 2016 como reserva de Trevor Siemian, que liderou os Broncos em uma campanha de recorde 9-7 – a última vitoriosa em Denver até o presente momento – mas insuficiente para ir aos playoffs. A partir dali, as coisas começaram a ficar feias no Colorado.

Paxton Lynch jamais foi capaz de se tornar o titular da equipe e é um dos maiores busts draftados por Elway. Além disso, escolheu Vance Joseph como HC para as temporadas de 2017 e 2018, depois da aposentadoria repentina de Gary Kubiak por motivos de saúde, o que se mostraria um erro retumbante. Outro grande problema foi a insistência de Elway em tentar repetir a fórmula vencedora do SB 50, concentrando esforços excessivos na defesa e deixando o ataque largado às traças. A cereja do bolo da desgraça foi o Draft de 2017, do qual somente Garrett Bolles e DeMarcus Walker (quatro anos depois!) contribuíram com alguma coisa para os Broncos. Estes fatores todos somados parecem explicar a razão da franquia ter mergulhado no mar de mediocridade que nos afoga. Erros no Draft, ausência de um QB, negligência com o ataque e escolha equivocada do sucessor de Gary Kubiak jogaram os Broncos no buraco durante o período de 2016-2017.

Corrigir o caminho na NFL não é fácil e é uma tarefa que quase sempre leva tempo. 2018 talvez tenha sido o primeiro passo para fora do abismo, com o Draft que nos trouxe Bradley Chubb e Courtland Sutton. Mas a manutenção de VJ, a tentativa frustrada de resolver o problema de QB com Case Keenum e outras aquisições duvidosas na Free Agency (FA) ainda deixaram as coisas nebulosas naquele ano. VJ foi mandado embora ao final daquela temporada e Vic Fangio foi escolhido para ser o novo HC. Elway emendou dois ótimos Drafts em 2019 e 2020, além de trabalhar melhor as contratações na FA, em que pese o fracasso de Joe Flacco. Muitos são os pontos positivos dos últimos 2 anos, entretanto a ausência de resultados em campo (leia-se vitórias) continua colocando uma interrogação na cabeça dos torcedores: ainda estamos no buraco pós-Manning ou finalmente estamos no caminho certo? A verdade é que a decepção com o rendimento abaixo do esperado de Drew Lock em 2020 torna essa pergunta difícil de ser respondida, bem como saber se John Elway de fato tomou decisões corretas suficientes nos últimos anos.

Drew Lock ainda é uma incógnita, bem como o futuro do Denver Broncos. Fonte: Sportscasting

Por que John Elway é tão contestado?

Por mais que seja ídolo em Denver, Elway como GM é muito contestado pela torcida e por uma parte da imprensa. Maioria ou não, este grupo argumenta que todo o sucesso da Era é obra de Peyton Manning, pois foi quem teria atraído todos os grandes jogadores que chegaram aos Broncos entre 2012 e 2015, permitindo formar a base vencedora do SB 50. Não fosse Manning, boa parte das estrelas não teriam topado jogar em Denver.

O argumento não deixa de ser válido e é possível argumentar tanto a favor de Elway como de Manning. Mas existe uma verdade inegável: Peyton Manning jamais teria jogado nos Broncos se não fosse John Elway o GM. Os 49ers de Jim Harbaugh e o Tennessee Titans pareciam destinos mais certos naquele momento, mas Elway convenceu Manning a jogar em Denver (veja uma reportagem da época aqui). Logo, não dar nenhum crédito a Elway é extremamente injusto. Podem ser discutidos os pesos de cada um no processo, mas nosso ídolo e ex-GM foi fundamental para o sucesso daquele período.

Além disso, é fato que não existe SB em Denver sem John Elway! Esteve presente em todas as conquistas da franquia e é o maior nome da história dos Broncos.

O fim de uma era e o futuro dos Broncos

Entre altos e baixos, considero a Era Elway como GM um sucesso. Tantos títulos de divisão e conferência além do SB 50 atestam isso com uma força incontestável, seja qual for o peso atribuído a Elway. Entretanto, os anos tortuosos após a conquista do SB minaram a confiança da torcida nele, de modo que talvez o momento de uma troca de comando fosse iminente. O próprio Elway talvez tenha chegado a essa conclusão e renunciou ao cargo de GM dos Broncos em 3 de janeiro de 2020, após a quarta temporada seguida com mais derrotas que vitórias. Talvez o timing da decisão não tenha sido o melhor, mas creio que o caminho era inevitável.

As entrevistas para selecionar um novo GM já começaram e os torcedores estão ansiosos para saber quem terá a missão de liderar a franquia de volta às vitórias. Enquanto esta decisão não é tomada, deixo uma análise particular sobre o futuro dos Broncos. Se com Elway a urgência para voltar a vencer e ir aos playoffs era altíssima, com um novo GM já não é mais. O novo executivo terá visão de longo prazo e pode inclusive julgar que o elenco precisa ser bem repaginado. Um QB calouro com potencial, mas não pronto para assumir o ataque em 2021, volta a ser uma opção plausível, o que pode deixar a torcida um ou dois anos esperando por um time de fato contender. Talvez a palavra “paciência” nunca foi tão importante para a torcida de sangue laranja e azul como agora.

Esta foi uma breve análise da Era John Elway como GM do Denver Broncos. Digam o que acharam dele como executivo da franquia na seção de comentários. Termino este post agradecendo a John Elway por tudo o que fez pelos Broncos como GM, afinal de contas, não existe SB em Denver sem ele! Nos vemos em breve. Go Broncos!