De Olho no Miami Dolphins

Saudações nação azul e laranja! Após uma péssima partida dos Broncos contra os Raiders em Nevada, é hora de projetarmos a partida contra o Miami Dolphins em Denver no próximo domingo, dia 22 de novembro. A visita do calouro Tua Tagovailoa, que cresce a cada partida, aliado a um ataque que fica mais perigoso e com uma defesa bem sólida os tornam um adversário duríssimo.

Abaixo trago alguns pontos fortes e fracos do nosso próximo confronto.

Broncos vs Dolphins – Semana 11 da Temporada 2020

ADVERSÁRIO – MIAMI DOLPHINS

DATA DA PARTIDA: 22/11/2020

LOCAL: EMPOWER FIELD AT MILE HIGH – DENVER

Pontos Positivos: Defesa e Conexão Tua Tagovailoa com recebedores.

Os Dolphins são uma equipe que vem apresentando uma solidez defensiva ao longo de toda a temporada, fruto de um ótimo trabalho do head coach Brian Flores.

Vários setores possuem peças defensivas de qualidade com boas performances. E o grande destaque é para a secundária, em especial o cornerback Xavien Howard. O CB de Miami vem jogando uma barbaridade, possuindo até aqui 5 interceptações em 9 jogos da temporada, o que o credencia ao prêmio de melhor defensor da temporada (DPOY). Howard possui ao seu lado Byron Jones, um talento que torna a secundária dos Dolphins um perigo para qualquer time.

Jogar contra uma secundária tão talentosa e em tão boa forma é péssimo para os Broncos, já que nosso quarterback falha repetidamente não cuidando da bola como deveria e lançando inúmeras interceptações ao longo da atual temporada (já são 10 em apenas 7 jogos, sendo 4 no último jogo contra o Las Vegas Raiders).

As chances de Drew Lock ter mais interceptações é altíssima. A falta de precisão e produção ofensiva aliado às grandes exibições e qualidade da secundária dos Dolphins podem trazer grandes problemas para nossa equipe.

Um outro ponto de destaque da equipe de Miami é o ataque, que melhora jogo após jogo, principalmente após a troca de Ryan Fitzpatrick para o calouro Tua Tagovailoa.

Tua jogou como titular nas últimas 3 partidas e ganhou todas, contribuindo com 5 touchdowns e 510 jardas aéreas. A conexão com seu grupo de recebedores tem sido muito boa, com destaque para o wide receiver DeVante Parker e o tight end Mike Gesicki.

Após a lesão de Preston Willians contra os Cardinals, Gesicki e Parker tem tudo para serem cada vez mais acionados por Tua para tentarem ganhar as jardas necessárias e colocar pontos no placar.

Mostrando cada vez mais seu talento e ganhando mais confiança, Tua será um perigo constante para a secundária dos Broncos. É necessário que nossos cornerbacks e safeties tenham bastante atenção com o corpo de recebedores dos Dolphins, sendo assim imprescindível uma boa exibição de Callahan (caso jogue), Bouye, Ojemudia, Simmons e companhia. Porém, é imprescindível também que nosso pass rush entre e a linha defensiva chegue no quarterback de Miami para evitar que tenha tempo e espaço para fazer os lançamentos. Sacks, quarterback hits e muita pressão são fatores essenciais para os Broncos terem chances na partida. Se Tua tiver tempo de lançar a bola, mesmo tendo uma secundária respeitável e com boa produção na temporada, os Broncos poderão ser castigados.

Ponto Negativo: Marcação de jogo corrido.

Os Dolphins demonstram que são sólidos na defesa. No entanto, um caminho para os Broncos buscarem um bom resultado na partida contra a equipe de Miami é a utilização do jogo corrido.

A equipe tem uma ligeira dificuldade com o jogo corrido dos adversários, tendo cedido até aqui 1153 jardas terrestres e 11 touchdowns em 9 partidas. Nossa equipe possui um dos melhores running backs da liga (Phillip Lindsay) e outro bom RB (Melvin Gordon), então correr com a bola para ganhar jardas e conquistar território talvez seja uma boa estratégia a ser adotada por nosso ataque.

É necessário que nosso coordenador ofensivo dê mais carregadas para Lindsay nesta partida, pois é inaceitável ele ter tido apenas 4 carregadas contra os Raiders. Shurmur tem uma ótima dupla de running backs e tem que saber usá-la. Além disso, nosso quarterback está em péssimo momento, demonstrando falhas graves que causam sérios problemas e contribui para nossas derrotas, apesar da defesa manter a equipe viva e competindo em quase toda partida.

Portanto, a busca pela vitória dos Broncos passa por utilizar o jogo terrestre muitas vezes ao longo da partida. Sem dúvidas que a defesa de Miami estará preparada para este tipo de chamada, mas explorar o talento de Lindsay e a explosão física de Gordon é algo imprescindível para Denver tentar ser competitivo e ganhar esta partida, já que por ar dificilmente terá êxito com uma ótima secundária.

Os Broncos devem ter uma estratégia que evite que a defesa esteja em campo a todo momento, pois mesmo com ótimas performances, uma hora o gás acaba e não tem mais como segurar o ataque adversário. Já que Lock não está conseguindo fazer as conexões que deveria com seus recebedores de maneira precisa, dar mais carregadas para os running backs talvez seja uma saída não só para ganhar mais território, mas para tirar um pouco a pressão de um quarterback já muito contestado.

Acredito que será um jogo bem difícil e que pelas péssimas performances de Drew Lock e o ótimo momento dos Dolphins, infelizmente perderemos.

Let’s go BRONCOS!

Palpite para a partida: Vitória dos Dolphins

Placar: 17 x 30