Pós-Jogo – Semana 6: at New England Patriots

Saudações nação laranja e azul! A segunda vitória na temporada veio! Com uma espetacular apresentação da defesa e sem marcarmos touchdowns, ganhamos dentro da casa do New England Patriots por 18 a 12, fazendo com que o recorde seja de 2-3. Vamos pontuar o que teve de bom e ruim neste jogo? Vamos lá.

Pontos Positivos:

  • Drew Lock, voltando de lesão no ombro, teve uma partida ok: 10 passes completados de 24 para 189 jardas (falarei das 2 interceptações nos pontos negativos). Com a confirmação da vitória do Broncos, Lock se tornou o QB mais jovem a vencer um jogo no Gillette Stadium;
  • Bela volta do nosso Hometown Kid, Phillip Lindsay: 23 carregadas para 101 jardas. E, se me permitem, uma curiosidade aqui: quando Lindsay corre para 100+ jardas o Broncos tem recorde de 6-0;
  • Outro destaque (e que nem sempre é valorizado pela torcida) é Tim Patrick. Na partida teve 4 passes recebidos para 101 jardas. Bom jogo do terceiranista;
  • O TE rookie do Broncos Albert Okwuegbunam (não faça igual a transmissão americana e assassine o nome do Big O. Aprenda a pronunciar aqui) estreou com 2 recepções para 45 jardas;
  • Como dito no De Olho e no Cartas na Mesa, o segredo para ganhar do Patriots era neutralizar as principais peças que Cam Newton utiliza para que seu ataque engrene. E deu certo;
  • Defesa do Broncos foi excepcional, brilhante e/ou qualquer adjetivo positivo que queiram colocar aqui. 2 interceptações, 3 fumbles forçados e 1 recuperado, 4 sacks, 6 tackles for loss, 6 passes desviados e 8 QB Hits. Pressionaram Newton quando preciso e deixaram o QB bem desconfortável em campo;
  • Alexander Johnson teve um jogo primoroso: 9 tackles, sendo 5 deles solo e 1 tackle for loss;
  • Malik Reed, que partida o senhor fez! 5 tackles, sendo 3 solo, 2 sacks, 2 tackles for loss e 3 QB Hits;
  • Ninguém acreditava na escolha de Michael Ojemudia no Draft deste ano. O rookie está mostrando para todos que duvidavam que estão redondamente errados. 7 tackles, 1 passe desviado e 2 fumbles forçados;
  • Shelby Harris, esta é a declaração semanal de amor da redatora que vos escreve. Que homem!
  • Bradley Chubb, esta também é uma declaração semanal de amor por você. Strip sack pra cima do Newton!
  • Bem vindo ao Broncos, Anthony Chickillo! Teve seu primeiro sack como um Bronco:
  • O DE DeShawn Williams se tornou o décimo nono jogador na história do Broncos que conseguiu uma interceptação em seu primeiro jogo como starter na carreira. Se juntou ao Elvis Dumervil, que teve o feito em 09/09/2007 contra o Buffalo Bills;
  • Sylvester Williams merece destaque pois foi o responsável por parar Newton na conversão de 2 pontos logo após o TD do Patriots;
  • PARTIDAÇA de Brandon McManus, mostrando que é mais que um kicker confiável no Broncos, é um dos líderes do time;
  • Sam Martin trabalhou pouco, com apenas 2 punts na partida, mas quando exigido foi muito bem.

Pontos Negativos:

  • Os problemas com drops persistem. Se fosse algo pontual, que acontecesse uma vez na vida e outra na morte, não seria ok mas não teria tanto impacto na construção das jogadas do ataque. Porém, quando se dropa touchdowns, a história é completamente diferente;
  • A ineficiência do ataque do Broncos foi algo extremamente irritante. Toda vez que chegávamos no campo do Patriots, parecia que todos os recebedores e corredores sofriam com uma gigantesca tela azul para não executar perfeitamente um passe para marcar um touchdown para o Broncos, até mesmo para deixar o time com uma vantagem confortável;
  • Partida aquém de Jerry Jeudy, que já nos demonstrou que pode muito mais. Teve apenas 2 recepções para 32 jardas;
  • Em dado momento do jogo, o Patriots começou a abusar de trick plays e o Broncos não teve nenhuma reação à elas;
  • A defesa do Broncos conseguiu controlar os ímpetos de corrida de Cam Newton até o último quarto da partida, quando cederam uma corrida de 37 jardas e a corrida de 1 jarda para o TD;
  • Diontae Spencer, que vinha bem nos retornos de punt, machucou o ombro. Vamos monitorar a situação;
  • Quinto jogo na história do Denver Broncos em que não há nenhum touchdown, per Ryan O’Halloran. Saímos com a vitória, porém não é um ponto pra se comemorar;
  • Agora, vamos falar sobre as duas interceptações (que, coincidentemente, foram em tentativas de passe para Tim Patrick). Na primeira me parece que Lock tentou o famoso back shoulder pass, mas J.C. Jackson diagnosticou o passe corretamente e conseguiu antecipar seu movimento para interceptar a bola:
  • Já na segunda, a chamada foi completamente equivocada. Por que não chamar a jogada para Phillip Lindsay? Além de estar em um excelente dia, a corrida gastaria tempo no relógio. E a tentativa de Patrick de agarrar a bola (ou desviar o passe pra evitar o pior) acabou fazendo com que Jonathan Jones conseguisse concretizar a interceptação:

Minha opinião sobre o jogo: Ataques vencem jogos e defesas vencem campeonatos, já foi provado e temos o próprio exemplo do Broncos com o Super Bowl 50. Mas precisamos de um pouco mais de nosso ataque. O time sentiu bastante a falta do TE titular, Noah Fant. Mas, por outro lado, não sentiu tanto a falta de Melvin Gordon no jogo (não atuou por conta de uma infecção na garganta, porém pode levar uma suspensão por ter sido detido sob efeito de álcool na bye week) por conta da volta de Phillip Lindsay, porém não temos só ele, Tim Patrick ou Jerry Jeudy no time. Precisamos de mais. Precisamos de desafogo, para não sobrecarregar os jogadores que vêm fazendo boas partidas. De fato, uma vitória é uma vitória independente de como foi construída. Mas temos que ter um passo e o pensamento além, até porque temos sempre que nos lembrar que a bye foi adiantada, então o desgaste de agora em diante começará a ser um fator importante a ser colocado.

E vocês, torcedores? Quais são os pontos positivos e negativos que queiram destacar? Deixem nos comentários.

Aproveitem e sigam o Mile High Brasil no Twitter, no Instagram e apoiem nosso trabalho pelo Apoia.se.

Go Broncos!