Lá Vem a Bronca – at Patriots

Saudações torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! Depois de várias mudanças de data, Broncos e Patriots finalmente se enfrentaram e o nosso time levou a melhor e saiu com a vitória.

Após o jogo quase ser um duelo entre Brett Rypien e Jarrett Stidham uma semana antes, novos casos de COVID-19 nos Patriots forçaram o adiamento da partida pra semana 7, causando algumas mudanças no calendário dos Broncos.

  • Semana 5 – antes at Patriots – depois bye week.
  • Semana 6 – antes vs. Dolphins – depois at Patriots.
  • Semana 8 – antes bye week – depois vs. Chargers.
  • Semana 11 – antes vs Chargers – depois vs. Dolphins.

Então, com uma semana a mais, tivemos a expectativa de ter múltiplos jogadores voltando de lesão incluindo Phillip Lindsay, que já tinha retorno programado pro jogo contra os Patriots, mesmo que ocorresse na semana 5.

Acabou que tivemos apenas um retorno. Mas quando esse retorno é o seu quarterback, deixa de ser “apenas”. Drew Lock retornou após perder apenas 2 jogos com a lesão no ombro que o tirou da partida contra os Steelers.

No lado do ataque, os Broncos conseguiram produzir bastante, principalmente nos 3 primeiros quartos de jogo. O que faltou: entrar na endzone. Lock pareceu preciso e afiado desde a primeira jogada de passe, onde encontrou Tim Patrick em profundidade na sideline direita, pra ganho de 41 jardas.

Mas o ataque perdeu ritmo ao chegar à redzone. Drops tiveram um grande impacto, com o rookie Albert Okwuegbunam dropando um par de TDs, um de Jerry Jeudy e um de DaeSean Hamilton que, se não fosse TD, seria bola nossa dentro das 5 jardas do campo de ataque.

Se por um lado, o box score de Drew Lock foi prejudicado por passes dropados (teve 10 passes completados em 24 tentados para 189 jardas, 0 TDs e 2 INTs – no que poderia facilmente ter sido um jogo de mais de 300 jardas e 3 TDs sem parte dos drops), ele (e Pat Shurmur) pecaram por excesso de agressividade no final da partida.

As duas interceptações vieram em passes consecutivos. A primeira, numa terceira descida no quarto período, pareceu uma falha de comunicação entre Lock e Patrick. Com o jogo na mão e duas posses de frente, talvez o melhor a fazer numa descida longa fosse correr com a bola.

Após o TD dos Patriots (único do jogo), com o jogo em apenas uma posse, a chamada de passe longo na primeira descida foi certamente ruim mas, ao mesmo tempo, Lock precisa aprender a não forçar esse tipo de passe, jogar a bola fora com a pressão chegando pelo meio da linha (ou aceitar o sack) e comer relógio naquela situação do jogo.

Phillip Lindsay correu para mais de 100 jardas e estava com média de 4.4 jardas por carregada. Naquela situação da partida, o ideal seria entregar a bola pro running back gastar relógio ou mesmo vencer o jogo com alguns first downs.

Pat Shurmur precisa ajudar o seu QB jovem nessa situação. Uma chamada curta ou correr com a bola ali era claramente a melhor opção a se tomar. Ambos precisam aprender com a situação, principalmente Drew.

Não tem como falar desse jogo sem falar de special teams. Todos os 18 pontos dos Broncos foram creditados a Brandon McManus – ou McMoney – que quebrou o recorde da franquia de mais field goals convertidos em uma única partida, após chutar 6 FGs em 6 tentados, incluindo chutes de 52 e 54 jardas.

Os special teams dos Broncos fizeram um bom trabalho ao longo da partida, até o quarto período quando cometeram uma falta boba que deu jardas de graça para New England. Mas, no geral, não dá pra criticar muito a unidade. O rookie Tyrie Cleveland se destacou como gunner anotando 2 tackles em STs.

Agora falando em não criticar, o que foi essa defesa? Do início ao fim, a unidade defensiva não parou de fazer jogadas. Entrou em campo forçando interceptação e saiu com turnover on downs e a vitória.

O mais legal é olhar pra defesa dos Broncos e não encontrar ninguém que se destacou muito acima dos demais. Não porque foi um jogo ruim, muito pelo contrário. Vários jogadores fizeram jogadas e não ganharíamos a partida se não fosse por eles. Até o final, quando engatou uma corrida, Cam Newton não conseguiu fazer muita coisa.

Michael Ojemudia forçou 2 fumbles, desviou 1 passe e teve 7 tackles, todos solo. Como está jogando o rookie! Um dos fumbles forçados por Ojemudia foi recuperado por Justin Simmons (o outro saiu pela lateral de campo), que também teve 8 tackles (todos solo) e desviou o passe que levou à interceptação de Bryce Callahan. Kareem Jackson teve um jogo muito sólido, com 6 tackles, sendo 1 para perda de jardas.

Shelby Harris, que têm as melhores mãos da liga, fez um belo move de pass rush e engoliu Cam Newton, que teve o passe desviado e interceptado por DeShawn Williams, que completou a INT esticando o corpo. O DL pareceu um WR ali. Bradley Chubb teve 4 tackles, sendo 1 para perda de jardas e 1 strip sack. Malik Reed visitou o backfield dos Patriots o jogo inteiro, com 5 tackles, sendo 2 para perda de jardas, 2 sacks e 3 QB hits. Alexander Johnson teve 8 tackles, sendo 1 para perda de jardas. Anthony Chickillo anotou o primeiro sack como um Bronco. Até Sylvester Williams, retornando ao time após anos, teve uma jogada crucial, parando Cam Newton na conversão de 2 pontos. Mas, na tarde de hoje, Sylvester Williams foi dispensado do time para abrir lugar no roster, porém deve voltar para nosso practice squad.

Enfim, foi um festival de bom football da defesa dos Broncos em Foxborough. Créditos para Vic Fangio, que montou um game plan eficiente, limitou o adversário e cada vez mais parece entender as forças de cada um dos jogadores do time.

Para vencer os Chiefs, os Broncos precisarão disso e de mais do ataque, que precisa converter field goals em touchdowns e limitar os turnovers.