Conhecendo Sam Martin

Saudações torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! Punters are people too – ou no bom português, punter também é gente! Os Broncos fecharam um contrato de 3 anos com o punter ex-Lions, Sam Martin. Vamos conhecer a nova contratação do Denver Broncos.

Punters parecem sem importância… Quando o do seu time é bom. Eles controlam a posição de campo e um punt ruim pode mudar a história de um jogo. Os Broncos buscam uma solução para a posição há anos e após diversos fracassos, o investimento em um veterano parece um bom caminho a seguir.

Desde a saída de Britton Colquitt após o Super Bowl 50, os Broncos tiveram Riley Dixon (que se desenvolveu em um punter confiável após ser trocado para os Giants) e os fracassos monumentais das passagens de Marquette King e Colby Wadman.

Agora, com Sam Martin, o time busca estabilidade na posição.

Primeiros anos e college

Sam Martin nasceu em Fayetteville, no estado da Georgia, no dia 27 de fevereiro de 1990. Martin não jogou futebol americano no High School até a temporada de senior, o último ano antes do college, pois tinha outro esporte principal: o futebol. Sam Martin chegou a se comprometer com Georgia State em sua temporada de junior para jogar futebol.

Como senior, decidiu dar uma chance para o futebol americano e jogou como kicker. O time de futebol americano de sua escola insistia há tempos para que fosse chutar para eles, dada a potência na perna que mostrava jogando futebol. Mas temendo lesões, demorou a dar uma chance.

Mas o seu ano de senior foi o suficiente para que mudasse o rumo da sua carreira como atleta. Ele se comprometeu com a Universidade de Appalachian State, na Carolina do Norte. Após ter ido muito mal como kicker redshirt, mudou de posição para punter, progrediu rapidamente e se tornou apenas o segundo especialista da história de sua universidade a ser draftado.

Sam Martin chutando por Appalachian State. Foto: High Contry Press

Sam Martin na NFL

O Detroit Lions draftou o punter Sam Martin na quinta rodada (escolha número 165) do Draft de 2013 e jogou em Detroit em toda sua carreira até o momento. Em Detroit, Martin era responsável tanto por kickoffs quanto pelos punts.

Como calouro, teve média de 47,2 jardas por punt, e um punt bloqueado na semana 11 contra o Tampa Bay Buccaneers, o único em sua carreira. Após a temporada de calouro, Martin foi nomeado para o All-Rookie Team da Pro Football Writers Association (PFWA All Rookie Team).

Sam Martin nos Lions. Foto: WXYZ.com

Na semana 12 de 2015, Martin foi premiado como Jogador de Special Teams da Semana da NFC após chutar 4 punts totalizando 181 jardas com apenas 3 jardas de retorno.

Em 2016, Sam Martin assinou uma extensão de contrato com os Lions por mais quatro anos. Após a temporada de 2016, Martin foi nomeado como Pro Bowler alternativo, mas não participou do jogo.

Martin perdeu jogos pela primeira e única vez na carreira em 2017, quando sofreu uma lesão no tornozelo durante a offseason. Foi adicionado à lista NFI (non-football injury), retornando na semana 8 e chutando nos últimos 10 jogos da temporada.

Em seus sete anos com os Lions, Sam Martin tem a quarta melhor média de net punting* (40,9 jardas) e de gross punting** (46,0) entre todos os punters com ao menos 100 jogos desde 2013.
* Net punting average é a média por punt, subtraindo os retornos e touchbacks. Basicamente é quantas jardas por punt de fato o time ganha, já que não adianta muito chutar 50 jardas e acabar em touchback ou em um retorno gigante devido a um hang time*** ruim. É uma estatística melhor para avaliar punters, embora não seja perfeita, já que times de coberturas ruins podem permitir grandes retornos sem que seja culpa do punter, por exemplo, reduzindo a net average do punter.
**Gross punting average é simplesmente a média de jardas por punt. Não é uma boa estatística para avaliar punters, já que mede simplesmente o número de jardas por punt, ignorando se o chute acabou em touchback ou se foi retornado.
*** Hang time é o tempo que a bola fica “pendurada” no ar, entre o chute do punter e a chegada nas mãos do retornador ou no chão. Ter um hang time alto é imprescindível, já que aumentam as chances do adversário pedir fair catch e não ter nenhum retorno ou que tente retornar já com o time de cobertura perto, o que pode aumentar a chance de fumbles e de perda de jardas.

Punters recentes do Denver Broncos

Os problemas do Denver Broncos com punters não são novos. Os Broncos não encontram consistência na posição desde que Josh McDaniels dispensou Brett Kern no meio da temporada de 2009, mesmo sendo jovem e tendo na época a terceira maior média de jardas por punt da história da NFL. Valeu, McDaniels!

Kern foi pego nas waivers pelos Titans em 2009 e lá se tornou três vezes Pro Bowler, duas vezes All-Pro e é considerado como um dos melhores punters da liga. Apesar de ter tido um longo período nos Broncos após a saída de Kern, Britton Colquitt era apenas sólido e os Broncos não viram problemas em dispensá-lo após o Super Bowl 50, quando não aceitou um corte salarial.

Após draftarem Riley Dixon na sétima rodada de 2016, os Broncos preferiram seguir outro rumo apenas dois anos depois, trocando Dixon para os Giants, onde encontrou sucesso. Isso porque os Broncos adquiriram Marquette King na free agency vindo dos Raiders.

Mesmo sendo considerado um dos melhores da liga, King não se encaixou bem nos Broncos e já reclamou diversas vezes na mídia do estilo de treinador que é Tom McMahon, nosso Coordenador de Special Teams. Foi cortado após chutar apenas 20 punts em 4 jogos na temporada de 2018 e sofrer uma lesão. King não retornou à NFL desde então e jogou esse ano no St. Louis BattleHawks, da XFL.

Para suprir a saída de King, os Broncos buscaram Colby Wadman, que estava entregando pizzas após não ter conseguido vaga em nenhum time na temporada anterior.

Fato curioso: Sam Martin trabalhou fazendo pizzas em uma Pizza Hut enquanto estava na universidade, para ajudar a pagar pelos estudos.

Wadman teve bons jogos em sua primeira temporada e, como era basicamente um calouro, parecia valer como uma peça de desenvolvimento e não foi surpresa para a maioria quando foi mantido como punter titular para a temporada de 2019.

Mas o desenvolvimento que parecia nítido de jogo para jogo no ano anterior, freou completamente. Wadman se tornou um empecilho para o desempenho já ruim dos Broncos, tendo punts curtos quando o time mais precisava colocar o adversário em posição de campo ruim, chutes com hang time ruim facilitando retornos enormes dos adversários e permitindo dois chutes retornados para touchdown na temporada.

Logo nos primeiros jogos já parecia claro para torcedores e imprensa que Wadman devia ser substituído, mas o time frustrou essas expectativas e manteve Wadman como titular durante os 16 jogos da temporada regular.

Sam Martin nos Broncos

Sam Martin assinou um contrato com o Denver Broncos essa offseason, com valor total de 7,05 milhões de dólares, divididos em 3 anos de contrato. Em média por ano, Martin se tornou apenas o 15º punter mais bem pago da liga, recebendo 2,35M por ano.

Apesar de não estar entre os mais bem pagos, é certamente um investimento que o time faz. Mas não é de hoje que os Broncos se mostram dispostos a fechar a posição com um nome sólido. Havia a opção de buscar um nome no Draft, mas preferiram ir no mais seguro e pegar um dos punters mais sólidos da liga direto do mercado. Martin era de longe o melhor nome da posição livre no mercado e tinha interesse de outros times, como o New York Jets.

Agora, Sam Martin chega para solidificar a posição de punter dos Broncos. Uma preocupação de muitos é que Tom McMahon “estrague” Sam Martin, assim como Marquette King alega que aconteceu com ele, já que McMahon teria pedido para o jogador mudar sua mecânica de chute.

Mas alguns pontos devem ser levados em consideração aqui. Primeiro, Tom McMahon é um dos técnicos de special teams mais respeitados da NFL. Tem vasta experiência na liga e treinou punters como Dustin Colquitt, Donnie Jones e Pat McAfee.

Em 2017, após McAfee se aposentar, os Colts ainda com Tom McMahon como Coordenador de Special Teams, contrataram Rigoberto Sanchez e… Colby Wadman, para disputar a vaga de punter do time nos training camps. Sanchez levou a melhor e está nos Colts até hoje, sendo um punter muito consistente encontrado por McMahon.

Fit é o que mais me anima com a contratação de Martin para os Broncos. Quando Marquette King chegou aos Broncos em 2018, Tom McMahon era recém chegado na staff e não temos muita noção, mas é fácil concluir que não tinha tanta voz sobre as contratações. E olhando o estilo do treinador e o estilo do punter, não parecia haver mesmo um bom fit ali.

Tom McMahon destacou desde a sua primeira entrevista que gostava que seus punters utilizassem as linhas laterais, ou seja, prefere punters precisos, que chutem para fora de campo impedindo qualquer retorno.

Agora, Sam Martin chega como um fit ideal para o estilo do treinador, nas próprias palavras do jogador:

Punts direcionais são uma grande coisa que (McMahon) gosta de fazer, e isso é uma grande parte do esquema dele. É isso também que eu fiz meio que em toda a minha carreira. Eu sempre fui bem sucedido em meu direcionamento de punts. Entre isso e meu hang time, essas são duas coisas que eu realmente me orgulho.

Mas, mesmo que McMahon seja muito respeitado na NFL, é sem dúvidas o técnico que mais está com a corda no pescoço e a temporada de 2020 será muito importante para manter seu trabalho em Denver. John Elway deu a McMahon um novo punter que encaixa no estilo do treinador e precisa render o esperado.

Sam Martin se junta a Colby Wadman e a Trevor Daniel (que assinou contrato futuro com os Broncos) no roster dos Broncos. Mas não deve ter companhia por muito tempo.

E vocês, torcedores e torcedoras dos Broncos, o que acharam da contratação de Sam Martin?