Conhecendo Melvin Gordon

Saudações torcedores e torcedoras do Denver Broncos! Em um move totalmente inesperado, John Elway abriu novamente a carteira e fechou acordo com o running back Melvin Gordon, ex-Los Angeles Chargers, em um contrato de dois anos. Vamos conhecer um pouco mais sobre a nova contratação?

Após os movimentos para colocar a franchise tag em Justin Simmons e adicionar AJ Bouye, Graham Glasgow e Jurrell Casey, parecia que os Broncos não fariam mais nenhum grande movimento na free agency. Isso mudou quando a contratação de Melvin Gordon foi anunciada.

Início de Carreira

Melvin Gordon III nasceu em 13 de Abril de 1993 na cidade de Kenosha em Wisconsin e tem 26 anos. O começo de sua trajetória no Futebol Americano aconteceu na Mary D. Bradford High School, em seu estado natal. Logo após o término do HS, recebeu proposta de bolsa de estudos de Iowa, Louisville e Michigan, mas seguiu para Wisconsin-Madison, se mantendo em suas raízes.

Em 2011, seu primeiro ano nos Badgers foi tímido: atuou em três jogos por conta de uma lesão na virilha, correndo 20 vezes para 98 jardas e marcando apenas um touchdown.

No segundo ano era o terceiro RB da equipe, porém sua performance foi melhor. Jogou em 14 partidas na temporada, totalizando 62 corridas para 621 jardas e três touchdowns. Na vitória da equipe contra o Nebraska Cornhuskers na final da Big Ten 2012 estabeleceu o recorde pessoal de 216 jardas em nove carregadas. Já na derrota contra Stanford no Rose Bowl 2013 teve nove carregadas para 51 jardas.

Em seu terceiro ano se tornou o RB #2 e registrou a marca de 1.609 jardas corridas e 12 touchdowns, sendo nomeado um dos dez semifinalistas do Doak Walker Award de 2013. Porém, no final da temporada houve especulações de que Melvin Gordon não voltaria para Wisconsin e seguiria para o Draft em 2014, mas deu um ponto final nos rumores e voltou para o time, onde se tornou o RB #1 e totalizou 2.587 jardas, ficando atrás da marca histórica de Barry Sanders de 1988 (2.628 jardas). No Outback Bowl de 2015, seu último jogo como Badger, correu 251 jardas contra o Auburn Tigers na vitória de 34-31 na prorrogação. Estabeleceu o novo recorde do Bowl com sua performance e foi nomeado MVP.

Por conta de sua ótima temporada ganhou três prêmios: o Doak Walker Award de 2014, o Ameche–Dayne (running back do ano da Big Ten) e o Graham–George (melhor jogador ofensivo da conferência do ano). Concorreu ao Heisman Trophy mas ficou em segundo lugar, atrás do QB Marcus Mariota.

Carreira na NFL

Gordon foi draftado pelo Chargers na primeira rodada (15ª escolha geral) do Draft de 2015. Seu contrato foi assinado em 15 de Maio: quatro anos, com a inclusão de opção pelo quinto ano, e o valor garantido de US$ 10,66 milhões, com um bônus de assinatura de US$ 6 milhões. Em seu ano de rookie foi nomeado o running back #1 do time, seguido por Danny Woodhead e Branden Oliver. Teve 184 carregadas para 641 jardas corridas, 33 recepções para 192 jardas recebidas, seis fumbles e nenhum touchdown em 14 jogos e 12 partidas como titular. Um dia depois da vitória contra o Miami Dolphins na semana 15, foi colocado na injury reserve ao sofrer uma lesão no joelho.

Em 10 de maio de 2016, revelaram que Melvin Gordon passou por uma cirurgia de microfratura em janeiro, mas que estaria pronto para o training camp e atividades relativas ao começo da season. Foi RB #2 no primeiro jogo contra o rival de divisão Kansas City Chiefs porém, com a lesão no ligamento cruzado anterior de Danny Woodhead que encerrou sua temporada, Gordon assumiu o protagonismo e, sendo o RB #1 do Chargers, terminou a temporada com 997 jardas corridas e 10 touchdowns, além de 41 recepções para 419 jardas e dois touchdowns, ficando a apenas três (míseras!) jardas da marca de 1.000 jardas. Perdeu os três últimos jogos depois de sofrer lesões no quadril e no joelho. Foi nomeado para o seu primeiro Pro Bowl como um substituto para o lesionado Le’Veon Bell, na época jogador do Pittsburgh Steelers.

Na temporada de 2017, já com a mudança do Chargers para Los Angeles, Melvin Gordon jogou todos os 16 jogos e terminou com 1.105 jardas corridas para oito touchdowns, 58 recepções e 476 jardas recebidas para quatro touchdowns. Na semana 5, na vitória contra o New York Giants, correu para 105 jardas em 20 carregadas e teve seis recepções para 58 jardas e dois touchdowns, o que lhe rendeu o prêmio de Jogador Ofensivo da Semana da AFC.

Em 2018 o Chargers optou pelo quinto ano do contrato do jogador. Não jogou todos os jogos da temporada regular pois na semana 12 (contra o Arizona Cardinals) sofreu lesão no ligamento colateral medial, o que o deixou no banco até a semana 16 contra o Steelers. Em sua temporada totalizou 885 jardas corridas para dez touchdowns, 50 recepções e 590 jardas recebidas para quatro touchdowns. Com um retrospecto positivo de 9-7 o time foi aos playoffs pela seed #5 da AFC, marcando sua primeira aparição na pós temporada. No Wild Card Round contra o Baltimore Ravens, teve 40 jardas corridas e um touchdown na vitória de 23 a 17. Na Rodada Divisional contra o New England Patriots, ficou limitado a 15 jardas e um touchdown em nove carregadas na derrota por 41 a 28.

No começo de 2019 houve a troca do número de sua jersey de 28 para 25, seu antigo número no College. Em julho, declarou que se o Chargers não lhe desse uma nova extensão de contrato, gostaria de ser trocado e não participaria do training camp pois estava buscando um contrato que lhe garantisse mais dinheiro como os de Todd Gurley ou Le’Veon Bell. Lembrando que havia o valor garantido de US$ 5,6 milhões estabelecido em contrato para seu quinto ano.

Ele decidiu manter o holdout até o final de setembro, quando decidiu se reintegrar à equipe já que suas exigências não foram atendidas. Recebeu um roster exemption, o que o fez entrar em campo apenas na semana 5. Em 12 jogos, totalizou 612 jardas corridas para oito touchdowns, além de 42 recepções para 296 jardas recebidas e um touchdown. Com o encerramento da temporada, se tornou um free agent.

Gordon no Broncos

Melvin Gordon chega ao Broncos com um contrato de dois anos e US$ 16 milhões, sendo que US$ 13,5 milhões são garantidos. Ele recebeu proposta de US$ 10 milhões por ano do Chargers em 2018, mas não aceitou. Deixou claro que recebeu uma proposta melhor de outro time (não revelado). Porém decidiu ficar na divisão leste da AFC para ter a chance de jogar 2 vezes contra seu ex-time.

As opiniões sobre a contratação estão bem divididas. Insiders de Denver consideram uma boa contratação e que fará uma belíssima dupla com Phillp Lindsay. Já alguns torcedores acharam o valor excedente ao que o jogador apresentou até agora na liga.

Em suas cinco temporadas pelo Chargers, Gordon somou 4.240 jardas corridas para 36 touchdowns terrestres, além de 224 recepções para 1.873 jardas aéreas e 11 touchdowns. Talvez os stats tenham agradado o nosso novo Offensive Coach Pat Shurmur, que tem tendência a gostar de RBs atléticos, altos e com a capacidade de receber passes. Como retrospecto podemos citar 2 de seus trabalhos recentes: o Minnesota Vikings draftou Dalvin Cook em 2017 e Shurmur o utilizou em seu playbook até a lesão na semana 4 contra o Lions que o tirou da temporada; Já em 2018, na posição de Head Coach do New York Giants, se utilizou muito bem de Saquon Barkley, escolha geral número 2 do Draft, que teve um belíssimo ano de rookie. 

E para vocês… Quais são as suas opiniões sobre esta contratação? Gostaram do movimento? Deixem seus comentários.

GO BRONCOS!