Entendendo o novo contrato de Joe Flacco

Explicando a reestrutura do contrato de Joe Flacco

Olá, amigo leitor e torcedor do Denver Broncos. Muito foi falado – e reclamado – do fato de o Denver Broncos ter reestruturado o contrato de Joe Flacco há dois meses. Como ele está no IR, e Drew Lock deve dar as caras em breve, temos torcedores preocupados com a obrigação de ter Flacco no roster por mais dois anos por causa dessa reestrutura… Mas não deveriam. Aqui, explicamos o porquê.

Este post foi originalmente escrito pelo Nick, do nosso site parceiro In Thin Air. Foi traduzido e adaptado com autorização exclusiva para o Mile High Brasil.

Há dois meses, Tom Pelissero relatou a seguinte situação:

“O #Broncos fez uma reestruturação simples no contrato do QB Joe Flacco, convertendo US$ 17 milhões de seu salário-base em um bônus de assinatura e adicionando dois anos anuláveis para liberar US$ 13,6 milhões no salary cap de 2019. Ainda pesará US$ 20,25 milhões em 2020 e US$ 24,25 milhões em 2021.”

Na época em que isso aconteceu não achei – e ainda não acho – que era controverso de qualquer maneira. Só pensei que justificasse um tweet rápido do AdamJT13, que está abaixo, bem como o acordo das escolhas compensatórias originais.

“Graças à transferência, eu não ficaria muito empolgado com a possível criação de dinheiro morto, caso Flacco fosse um “aluguel” de um ano. O Broncos tinha que levar US$ 18 milhões em cap hit por seus serviços de 2019 de alguma forma, e esses dólares de cap não necessariamente precisam ser em 2019.”

“Poucas pessoas entendem isso. A única maneira de isso de alguma forma ser ruim (converter salário garantido em um bônus proporcional) é se a equipe usar indevidamente o espaço no cap que isso criou. A reestruturação para criar espaço no cap é realmente a coisa mais inteligente a se fazer.”

Acontece que muitos criticaram o Broncos por realizar esse move. Meu problema com essa crítica, no entanto, é que carece de compreensão sobre quais são os reais benefícios e consequências dessa mudança. Então, suponho que um artigo completo sobre o assunto se justifique.

Como o contrato de Flacco foi alterado

Quero que você preste muita atenção à célula acima que destaquei em amarelo, pois é o ponto principal do motivo pelo qual a reestruturação não é grande coisa. Assim que Flacco estivesse no roster da Semana 1, seu salário-base programado de US$ 18,5 milhões seria garantido por meio de uma proteção de pagamento de rescisão, não importa o que acontecesse. Estes são os dólares de cap (assim como dinheiro em si para Flacco) que o Broncos estava agora obrigado a pagar.

Como o espaço do Cap do Broncos foi alterado

Observe que essas estimativas são arredondadas para os US$ 100.000 mais próximos. O espaço no cap de 2021 também diminuiria em US$ 3,4 milhões, enquanto 2022 teria um peso no cap de US$ 6,8 milhões assim que o contrato de Flacco fosse anulado.

Vê aquele valor em vermelho? Em algum momento antes do início da temporada regular, o Broncos provavelmente estaria acima do limite, em grande parte, devido ao maior número de jogadores que tiveram que ser colocados no IR (Drew Lock, Jake Butt e Theo Riddick são os mais proeminentes). Portanto, eles tiveram que fazer alguma mudança para estar em conformidade, e o contrato de Flacco tinha o maior potencial para fornecer isso (até mais que o de Von Miller e seu salário-base de US$ 17 milhões em 2019).

A seguir vem o segundo ponto importante que quero destacar, do qual também será destacado em amarelo para deixar claro: as equipes da NFL podem transportar uma quantidade ilimitada de espaço de cap não utilizado para a temporada seguinte. No caso do Broncos significa que, se o time não usar os US$ 12 milhões que tem agora, seu espaço de cap para 2020 poderá chegar a quase US$ 80 milhões, bem acima do espaço anterior de US$ 70 milhões. Portanto, o Broncos não está apenas ganhando espaço em 2019, mas também podem fazê-lo em 2020.

E também observe que, se o número final for mais próximo de US$ 70 milhões ou US$ 80 milhões, no atual momento, o Broncos está em algum lugar entre os dez com maior espaço no cap de 2020. Há muita capacidade de melhorar ainda mais a equipe no futuro.

“Mas e quanto ao dead money?”
O ponto-chave de argumentação que sinto é o fato de que, ao fazer essa reestruturação, o Broncos se responsabiliza por carregar um peso mínimo de US$ 13,6 milhões em 2020 por Flacco, se decidirem liberá-lo na offseason.

Mas se preocupar com isso não se justifica. Como foi dito acima, o Broncos terá que pagar US$ 18,5 milhões pelos serviços de Flacco em 2019 de um jeito ou de outro. Em vez de pensar nesse dinheiro isolado para decidir se Flacco deverá permanecer ou não no roster, pense assim: entre 2019 e 2020, antes dos gastos com Flacco, o Broncos tinha cerca de US$ 97,7 milhões em dólares de cap para trabalhar. Depois de pagar a Flacco US$ 18,5 milhões, isso cai para US$ 79,2 milhões. Se os US$ 18,5 milhões em dólares de cap forem dedicados inteiramente a 2019, ou apenas US$ 4,9 milhões em 2019 e potencialmente US$ 13,6 milhões em 2020, se Flacco for embora isso não é relevante graças, novamente, à transição de cap.

“Mas isso não prende Flacco no Broncos até 2020, mesmo que eles não o desejem?”

Não, claro que não. Flacco ainda é uma decisão anual em Denver.

Os salários-base de Flacco para 2020 e 2021 permanecem sem garantia, com nenhum outro gatilho além da regra de pagamento de rescisão padronizada do CBA, que não se aplica até a Semana 1 da respectiva temporada regular. Se o Broncos quiser seguir sem ele a qualquer momento antes de setembro de 2020, ainda assim não pagarão mais em dólares de cap ou em dinheiro que não sejam os US$ 18,5 milhões que pagaram por seus serviços em 2019.

E releia o ano de contrato de Flacco em 2020: mesmo que eles se “divorciem” e incorram oficialmente em dinheiro morto, ainda ganhamos US$ 10 milhões em espaço de cap! Essa é uma grande quantia em dólares, e pode até ser preferível ter esse espaço se, por exemplo, Drew Lock progredir a tal ponto que seja considerado uma opção melhor de quarterback que Flacco.

Por que o Broncos usou anos nulos?

Talvez outro aspecto da reestruturação que possa preocupar alguns seja o fato do Broncos usar anos nulos para maximizar a quantidade de espaço que poderiam obter agora. Sem esses anos nulos, o Broncos só poderia ganhar um máximo de US$ 10,8 milhões, em vez dos US$ 13,6 milhões que eles conseguiram.

De um modo geral, a maioria das equipes precisa apenas de uma margem de cerca de US$ 5 milhões para operar durante uma temporada regular como uma “gordura” para lidar com as mudanças no roster que ocorrem durante esse período. Então, por que o Broncos usou anos nulos para maximizar o espaço? O palpite mais simples que posso fornecer é que estavam planejando a possibilidade de estender determinados jogadores com acordos que poderiam ter exigido algum espaço extra para 2019. As extensões tentadas falharam ou ainda estão pendentes para o final da temporada.

* * * *

Para revisar, aqui estão os tópicos que você deve saber dessa transação:

O Broncos teve que usar US$ 18,5 milhões em dólares de cap para ter os serviços de Flacco em 2019.
Graças à transição, não importa se o Broncos usará tudo isso em 2019, ou parte em 2019 e o restante em anos posteriores.
A reestruturação não garante, de jure ou de facto, a Flacco um lugar no roster do Broncos em 2020.
O Broncos está em boa forma até 2020, mesmo se eles carregarem US$ 13,6 milhões de um Flacco que não está mais na equipe.

#GoBroncos