Chiefs

Em Foco – Semana 11 – @Minnesota

Saudações, torcedor dos Broncos! A cada semana que passa, Denver encontra novas formas de perder e partir o coração do seu torcedor. Desta vez os Broncos entregaram um jogo ganho para os Vikings, saindo de Minnesota com uma derrota por 27 a 23. Vamos aos destaques da partida de acordo com o Pro Football Focus (PFF).

Destaques positivos da derrota para os Vikings

Courtland Sutton, WR

Figurinha carimbada no Em Foco, Sutton aparece mais uma vez entre os destaques da partida. Este senhor caminha a passos largos para se tornar o WR mais dominante da liga – se é que já não é. Faz recepções contestadas entre dois defensores fungando no seu cangote, ganha todas as jump balls e as bolas 50/50, é ameaça em situações de jardas curtas, é ameaça em rotas intermediárias, é ameaça em profundidade. Senhoras e senhores, estamos diante de uma das principais estrelas da liga na próxima década. Estivesse Sutton em Dallas, já teria estrelado 5 comerciais de fast food, 2 de seguros de automóveis e 3 de cartões de crédito com cashback para o cliente. No domingo, anotou 5 recepções em 9 alvos para 113 jardas (média de 22,6 jardas por recepção), além de completar 1 passe de 1 tentado para 38 jardas (sim, até lançar bombas como QB ele faz), com um QB rating de 118,8. Preciso falar mais alguma coisa?

Garett Bolles, LT

Vou ser sincero e falar que é custoso escrever o nome deste senhor nos destaques positivos da partida. Mas, dado que não notei nada de errado (fora um false start) e que o PFF (link aqui) o colocou como destaque, entendo que Bolles fez o melhor jogo de sua carreira. É uma mistura de ironia com uma certa dose de justiça. Bolles manteve-se bem na proteção ao passe, não cedendo nenhum sack e nenhum QB hit – e isso contra EDGEs elite. Também fez um belo trabalho no jogo corrido, abrindo buracos na DL adversária para que nossos RB conquistassem boas jardas. Boa partida!

Como é raro ver Bolles nos destaques positivos, resolvi colocar a foto dele aqui. Fonte: Big Blue View.

Alexander Johnson, ILB

Talvez Johnson seja o maior achado de Vic Fangio da temporada, dando certa estabilidade a uma posição que era nossa maior fraqueza no início da temporada. Não somos mais tão vulneráveis à RB e TE (calma, ainda não estamos perfeitos) e até mesmo Todd Davis parece ter subido de nível ao lado de Johnson. No domingo, Johnson foi peça fundamental para conter o ótimo jogo corrido dos Vikings, anotando 4 tackles, sendo 2 solo e 0,5 para perda de jardas. Também tem sido bastante utilizado em blitzes e consegue pressionar o QB adversário quando acionado. Espero vê-lo neste nível por muito tempo em Denver.

Shelby Harris, DT

Outro que subiu muito de produção após as modificações de Vic Fangio a partir da semana 5. Não precisando atuar como NT, posição agora ocupada por Mike Purcell, Harris elevou muito seu nível e atua bem tanto contra a corrida, quanto pressionando o QB. Contra os Vikings anotou números estelares: 5 tackles, sendo 3 solo e 3 para perda de jardas, 3 sacks e 3 QB hits. Este senhor jogou muito no domingo! Na minha opinião, deveria ser um dos jogadores com contrato renovado antes do término desta temporada.

Destaque MHBr: Todd Davis, ILB

Que me perdoem aqueles que não concordam, mas vendo as estatísticas da partida não tem como não celebrar Toddynho pelo desempenho de domingo. Esteve sempre bem posicionado em jogadas de passe e distribuiu abraços de urso para geral: 13 tackles, sendo 8 solo e 0,5 para perda de jardas. Máquina de bater! Mais um que subiu de produção com Vic Fangio.

Destaques negativos da derrota para os Vikings

O PFF não apontou nenhum destaque negativo e a porteira está aberta para a minha corneta. Quero deixar claro que os grupos que vou citar aqui estão recebendo uma crítica pontual e que, de forma geral, estão trabalhando bem na reconstrução do time. Entretanto, foram peças-chave na derrota de domingo.

Destaque MHBr 1: Secundária

Que me desculpem aqueles que criticaram o ataque, mas quem jogou fora uma liderança de 16 pontos em um único quarto foi a secundária. Em que pese a ineficiência do ataque no segundo tempo e o chute em traseiro bovino de McManus, a secundária permitiu big plays, cometeu faltas estúpidas e entregou a paçoca. Repito, é uma crítica pontual a uma unidade que tem jogado muito. Para resumir, entramos no jogo sabendo que uma das chaves da vitória era conter Dalvin Cook e o jogo corrido dos Vikings. O front seven fez um trabalho magnífico, segurando Minnesota a meras 37 jardas em 18 carregadas (média de 2,1 por carregada), além de sacar Cousins 5 vezes e anotar 7 tackles para perda de jardas. Aí veio a secundária. Bate cabeça, falta de comunicação, jogadores fora de posição e muitas jardas cedidas pelo ar, 289 e 3 TDs. Também foi notável que a hurry up offense dos Vikings desmantelou toda a estabilidade da unidade e é algo para Fangio observar daqui para frente. O TD de 54 jardas de Stefon Diggs é emblemático, visto que um único jogador fora de posição (no caso, Kareem Jackson) colocou tudo por água abaixo.

Destaque MHBr 2: Mentalidade “esquisita” da comissão técnica

Aqui é uma crítica ao comportamento da comissão técnica em momentos chave, um dos pontos críticos da passagem de Vance Joseph em Denver e que Vic Fangio precisa corrigir. Explico. Durante todo o primeiro tempo, o ataque exibiu um show de criatividade, deixando a ótima defesa dos Vikings desnorteada. Foi uma agressividade típica de quem pensa “*oda-se, estamos 3-6 e queremos ver do que é feito este ataque”. Achei sensacional, pois não temos chances de playoffs e precisamos reconstruir o time para a próxima temporada. De repente, precisando segurar uma vantagem de 3 pontos no último quarto, na zona de FG e em uma terceira descida para 7 jardas, Scangarello chama uma corrida. Aquela mentalidade inicial dá lugar a outra muito esquisita, do tipo “deixa eu ser cagão conservador porque se eu ganhar esse jogo, talvez dê para ir à pós-temporada”. Daí para frente o resto é história, McManus chutou a bola como se tivesse duas pernas esquerdas, a secundária sucumbiu e sofremos mais uma derrota. Pergunta: Por que essa mudança de mentalidade no meio do jogo? É sério que alguém têm esperança de playoffs? O foco deve ser única e exclusivamente reconstruir o time, portanto dane-se o resultado, siga agressivo e teste os limites do time até o final. E engana-se quem acha que a corneta está mirada para nosso OC, pois é direcionada a Vic Fangio. A partir do momento em que nosso HC afirma ter poder de veto, vê uma chamada que deu errado alguns jogos atrás numa mesma situação e não veta, ele é o responsável. A parcela de culpa de Scangarello é menor aqui. Portanto, vamos seguir agressivos até o final, senhores?

Vamos manter a agressividade até o fim, senhor Fangio? Fonte: apnews

Estes foram os destaques da derrota para os Vikings. Deixe suas impressões nos comentários. Nos vemos em breve. Go Broncos!