Por que Brandon Allen?

Saudações torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! Joe Flacco sofreu uma lesão no pescoço e está fora ao menos do próximo jogo contra o Cleveland Browns. A torcida estava ansiosa por ver Drew Lock em campo, mas será Brandon Allen que veremos under the center. Quem diabos é Brandon Allen e por que ele é a melhor opção no momento?

Fim da “era” Flacco?

Foto: Broncos Wire

Flacco entrou na temporada como o titular absoluto do Denver Broncos, apesar de Drew Lock ter sido escolhido na segunda rodada do Draft deste ano. O time buscava uma transição entre os dois, com Lock ficando longe dos gramados em seu primeiro ano na NFL e com Flacco liderando o time enquanto o calouro de Missouri evoluiria no banco. Mas as circunstâncias mudaram. E o experimento Joe Flacco pode ter chegado ao fim.

Ao menos é isso que a torcida dos Broncos desesperadamente espera. Flacco não só se mostrou ineficiente dentro de campo, tendo um desempenho pior a cada semana, como também mostrou como o aspecto “Joe Cool” de sua personalidade pode irritar completamente uma fanbase.

Frieza é essencial para quarterbacks, mas para liderar um time é preciso mostrar que você se importa e Flacco só mostrou alguma paixão quando foi criticar abertamente a própria comissão técnica após a última partida contra os Colts por excesso de conservadorismo no segundo tempo.

Para completar, Flacco sofreu uma lesão no pescoço que, de acordo com o repórter da NFL Network Ian Rapoport, é uma hérnia de disco na região cervical que pode tirá-lo de campo entre 5 e 6 semanas. O time pode optar por encerrar a temporada de Flacco o colocando no IR. Vic Fangio disse que isso não está fora de questão.

Flacco tem mais dois anos de contrato com o Denver Broncos, mas um corte no próximo ano não está descartado. Na próxima semana, publicaremos um post explicando o contrato de Flacco, como a reestruturação foi feita e com qual objetivo. Mas adianto que o time pode cortá-lo sem grandes problemas.

Seu desempenho ao longo do ano sofreu uma queda drástica. Apesar do time começar a temporada 0-4, Flacco vinha sendo “desculpado” pela torcida, já que as derrotas não foram bem sua culpa. Nessas quatro derrotas, Flacco estava no ritmo para as seguintes estatísticas na temporada: 4304 jardas, 20 TDs e 12 INT. Apesar do número de TDs não ser dos melhores, era o QB fazendo o “feijão com arroz” que os Broncos procuravam, para aliar com uma defesa top 5.

Mas à medida que a defesa – que vinha sendo um problema no começo da temporada – encontrou ritmo, Flacco despencou. Nas últimas quatro partidas, que incluem duas vitórias e duas derrotas, o passo de Flacco projetando para 16 jogos seria de 2984 jardas, 4 TDs e 8 INTs. E é esse tipo de desempenho que faz com que o retorno de Flacco em 2020 (ou mesmo este ano) seja questionável.

Vic Fangio ao ser perguntado se Flacco voltaria a ser titular se conseguisse retornar de lesão este ano, em vez de ir para o injury reserve, não se comprometeu. “Esta é uma pergunta hipotética que nós responderemos quando não for hipotética.”

Brandon Allen

Foto: Broncos Wire

No entanto, mesmo que o capítulo Joe Flacco tenha realmente sido encerrado em Denver e estejamos todos ansiosos para que o capítulo de Lock comece logo, seja ele longo com uma carreira longa como titular em Denver ou curto para abrir o caminho pra outro quarterback, existem algumas páginas em branco. E Brandon Allen é quem deve escrever o que deve ser uma história curta porém que não temos ideia de como será contada.

Saindo da metáfora, os Broncos não acreditam que Drew Lock esteja pronto para assumir o time neste momento e Brandon Allen, QB que pegamos via waivers dos Rams nos cortes antes do início da temporada, será o titular no domingo contra o Cleveland Browns.

Como a maioria de nós não fazia ideia de quem era Brandon Allen, até ver que ele foi nomeado titular para o domingo, vamos a algumas informações sobre ele:

Brandon Allen nasceu em 5 de setembro de 1992 em Fayetteville, no estado de Arkansas. Tem 27 anos recém-completados, 1,85 m de altura (6 ft 1) e pesou 99 kg (219 lbs) no Combine. Fez o High School em sua cidade natal e frequentou a Universidade de Arkansas, só saindo do estado quando foi selecionado pelo Jacksonville Jaguars na sexta rodada do Draft da NFL de 2016.

No High School, teve um ano de senior mágico em campo, lançando para 3408 jardas e 38 TDs e sendo apontado pela Rivals.com como o quinto melhor QB recruta pro-style do país.

Na Universidade de Arkansas teve um começo difícil, sendo reserva no primeiro ano e encontrando dificuldades para transicionar seu jogo para o nível do college football. Como junior e senior, Brandon Allen encontrou ritmo e levou Arkansas para vitórias em Bowl Games em anos consecutivos, além de quebrar diversos recordes da Universidade.

Na NFL, até esse ano, não tinha sido nada além de um terceiro QB tanto nos Jaguars, de onde foi dispensado após a pré-temporada de seu segundo ano, quanto nos Rams, que o pegaram nas waivers e o mantiveram inativo durante toda a temporada de 2018. Esse ano, após ser pego pelos Broncos – também via waivers – Allen esteve na sideline em todos os jogos, como QB reserva atrás de Joe Flacco e terá sua oportunidade de jogar pela primeira vez na NFL.

Brandon Allen vem se preparando para jogar, já que é o backup imediato de Flacco, e vem recebendo uma pequena porção dos snaps em treinos com os titulares desde o início da temporada. Ele tem uma ligação com esse tipo de ataque, já que vem dos Rams, onde Sean McVay roda um sistema com a mesma raiz do ataque de Scangarello.

Para ser seu reserva, os Broncos optaram por elevar Brett Rypien, rookie não draftado de Boise State que estava no practice squad, para o roster ativo.

Muitos tem questionado essa decisão e o seu significado. Por que Rypien e não Lock? Rypien tem se mostrado melhor? Não veremos Lock esse ano então?

Torcedores, calma

Foto: Time24 News

Drew Lock sofreu uma lesão na mão direita no terceiro jogo da preseason contra os 49ers no dia 19 de agosto, ou seja, há mais de dois meses. Se Lock fosse o reserva no domingo, estaria há um snap (ou uma possível lesão de Allen) de ter que jogar após apenas uma semana de treinos. Colocar um calouro – que o time esperava nem colocar em campo esse ano – nesse tipo de situação, não seria a melhor das decisões.

O que está claro é que os Broncos tem um plano para Lock esse ano. Não era o que o time queria, afinal é um calouro cru, que não pisa em campo há meses e que ainda tem muito a trabalhar em seu jogo. Mas as circunstâncias que a temporada colocou me fazem acreditar que ele verá o campo como titular ainda este ano.

Lock começará a treinar, muito provavelmente, na semana 11 após a bye week. E isso foi o que mais me fez questionar se existia mesmo um plano para Lock este ano. Mas, raciocinando bem, faz bastante sentido segurar o rookie fora de campo por mais esta semana e a bye week (semana 10) e deixá-lo apenas se preparando mentalmente para jogar.

Algumas falas de John Elway, que deu entrevista à emissora de rádio local de Denver KOA e de Vic Fangio, em sua entrevista coletiva na quarta-feira (30), ajudam a entender o possível plano do Denver Broncos para a posição de QB em 2019.

“Nós queremos deixar ele pronto fisicamente”, disse Elway sobre Lock. “Fisicamente ele não está pronto ainda.” Elway completou afirmando que o time está “olhando para a semana de Minnesota” para trazer Lock de volta aos treinos, mas que vai consultar primeiro com os técnicos antes de fechar esta decisão. A semana de Minnesota é a semana 11, logo após a bye week.

Sobre isso, Fangio também deu uma declaração que diz muito sobre os planos do time. “Você tem apenas algumas semanas para treiná-los, após eles estarem no IR, para tomar uma decisão. Nós sentimos que, olhando para o schedule (calendário de jogos) e onde nós estamos agora, o melhor é adiar isso por um pouquinho de tempo, mas ele começará a treinar em breve.”

O que me chama a atenção aqui é que os Broncos estão levando o schedule em consideração para decidir quando iniciar os treinos de Lock. Após o jogo contra Cleveland, vem a bye week. Elway comentou que iniciar os treinamentos na bye week seria meio que uma semana perdida, já que os trabalhos do time são bem limitados em comparação a uma semana de jogo.

Após a bye week, os Broncos viajam em semanas consecutivas para enfrentar os Vikings em Minneapolis e os Bills em Buffalo. Com o time olhando para o calendário para tomar decisões, fica bem fácil entender o porquê.

A partida contra Cleveland poderia ser um jogo interessante para Drew Lock estrear com os Broncos, mas ele com certeza não está pronto, não tendo treinado em 10 semanas. Em seguida vem a bye week e duas semanas seguidas jogando fora de casa contra duas das melhores defesas da NFL (ambas top 5). É bastante compreensível não querer que seu QB rookie em desenvolvimento, que não treina há meses, faça sua estreia em um cenário desses.

Após o back to back complicado contra Vikings e Bills, os Broncos voltam para casa para enfrentar o Los Angeles Chargers. Se Lock voltar a treinar após a bye week – o que deve acontecer conforme o indicado por Elway e Fangio – uma contagem de 21 dias será iniciada em que Lock pode treinar normalmente com o time.

Ao final deste período, o time tem que decidir se ele será ativado ou se será mantido no IR até o fim do ano (o que ainda é uma possibilidade). Após iniciar a contagem, Lock pode ser ativado a qualquer momento e não precisa necessariamente ficar os 21 dias treinando fora do roster ativo.

Tudo isso aponta para Lock jogando em dezembro. Mas ele terá que provar aos técnicos, que a princípio não gostariam de colocá-lo em campo durante a temporada de calouro, que está pronto para seus primeiros snaps na NFL.

“Obviamente eu confio neles para colocar o plano em prática quando eles sentirem que é necessário que eu volte a treinar e jogar”, afirmou Lock em entrevista coletiva com a mídia de Denver. “Eu vou manter a minha rotina. Quando eu treinar, será minha primeira vez recebendo um snap em quase 10, 12 semanas. Então, como eu disse, eu acho que eles tem um bom plano. Eles querem que eu tenha algumas repetições para eles não me colocarem em um jogo sem treinar um pouco. Então eu acho que eles tem um plano excelente.”

Apesar de eu acreditar totalmente que o melhor caminho para Drew Lock seria ele ficar no banco o ano todo, aprendendo de fora, com os recursos de Realidade Virtual que o time aderiu para simular treinos, eu não acho que isso seja o melhor para o Denver Broncos.

Encarando um recorde de 2-6, um QB titular lesionado, um ataque ineficiente, um depth inexperiente e não provado na posição de WR, uma OL que obviamente precisa de um LT novo e uma potencial pick top 5 em um Draft com várias opções para a posição de quarterback, os Broncos precisam ver o que têm em Drew Lock. Seja para montar um time ao redor dele, pegando o melhor LT ou WR da classe, ou para investir alto na posição mais importante do jogo.