Mock Draft 2019 – Leonardo

Saudações, leitores e torcedores de sangue laranja. Nosso Natal chegou! O Draft começa hoje e vamos conhecer os mais novos integrantes da nossa equipe.

Como sou (quase) viciado em College Football, decidi trazer a vocês um mock draft com minhas análises e opiniões sobre as possíveis escolhas de cada time no primeiro round e sobre todas as nossas sete escolhas ao decorrer do evento.

É válido lembrar que tudo neste post vem do meu ponto de vista e opinião. Não quer dizer que as franquias farão exatamente isso nesta noite, ou que farão tudo diferente. É apenas o modo que eu analiso os prospectos e as possibilidades de cada time.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Primeiro Round

1. Oakland Raiders (TROCA COM OS CARDINALS) – Kyler Murray, Quarterback, Oklahoma.

Kliff Kingsbury pode até querer Kyler Murray como condutor de seu ataque, mas Steve Keim não pode entregar as chaves da franquia na mão de um head coach de primeira viagem. Por outro lado, em Jokeland, Gruden e Mayock precisam fazer barulho para chegar em Las Vegas com estilo e vender ingressos. Eles mandam suas três picks de primeiro round e mais uns trocos para os Cardinals em troca do direito de escolher Kyler Murray na 1st overall.

2. San Francisco 49ers – Nick Bosa, Defensive End, Ohio State.

Após proteger os 137,5 milhões investidos em Jimmy Garoppolo com o Tackle Mike McGlinchey, escolhido na 9° pick geral do ano passado, John Lynch pode voltar sua atenção para o lado defensivo da bola e garantir o melhor Pass Rusher da classe. Em uma divisão com Russell Wilson, Jared Goff e Josh Rosen, você precisa pressionar o Quarterback se quiser ter chances de vencer.

3. Washington Redskins (TROCA COM OS JETS) – Dwayne Haskins, Quarterback, Ohio State.

Os Jets estão desesperados para descer neste draft. Sair do top 10 pode não ser o ideal para a franquia de New Jersey, mas como bem sabemos, nada é impossível no draft day. É seguro dizer que os Redskins não possuem um Franchise Quarterback ha décadas. Com a atual situação da equipe, Jay Gruden pode estar desempregado em Janeiro, por isso, acredito que Dwayne Haskins seja a última cartada do head coach.

4. Arizona Cardinals (TROCA COM OS RAIDERS) – Andre Dillard, Tackle, Washington State.

Se Josh Rosen é seu Franchise Quarterback, você precisa protegê-lo a qualquer custo. Andre Dillard é considerado o melhor Tackle desta classe, principalmente na proteção ao passe, e pode ser a solução para os problemas ofensivos da equipe do Arizona.

5. New York Giants (TROCA COM OS BUCCANEERS) – Daniel Jones, Quarterback, Duke.

Subir um spot pode não parecer tão importante, mas a escolha dos Buccaneers pode ser uma das mais cobiçadas dentro do top 5, justamente por estar a frente dos Giants. Equipes como Bengals, Broncos e Dolphins podem ter interesse nesta pick, mas Bruce Arians não deve querer descer tanto e pode aceitar facilmente a proposta de Dave Gettleman.

Daniel Jones é um dos prospectos mais imprevisíveis desta classe em termos de mock. Ele pode estar disponível na 17° escolha, mas não acho que os Giants irão correr tal risco. Se você estiver apaixonado por um QB, escolha-o o mais rápido possível.

6. Tampa Bay Buccaneers (TROCA COM GIANTS) – Josh Allen, Linebacker, Kentucky.

Os dias do consagrado Tampa 2 estão contados. Todd Bowles pretende transformar Tampa Bay em Blitz Bay com suas chamadas exóticas. Josh Allen pode se destacar muito se cair nas mãos de um coordenador defensivo tão criativo e elevar o nível desta defesa substancialmente.

7. Jacksonville Jaguars – Quinnen Williams, Defensive Tackle, Alabama.

Tom Coughlin é o exemplo vivo de general manager old school. Como head coach, ele venceu dois Super Bowls com os Giants se apoiando na qualidade da equipe nas trincheiras. Quinnen Williams está no top 3 de todos os boards que vi até o momento. Seria surreal vê-lo despencar até aqui, mas caso isso aconteça, os Jaguars podem conseguir um dos maiores steals da história.

8. Cincinnati Bengals (TROCA COM OS LIONS) – Devin White, Linebacker, LSU.

Os Lions deixaram claro que não querem escolher no top 10. Quinnen Williams é o único prospecto que pode segurar a equipe de Detroit na 8° escolha geral, mas com seu nome sendo chamado pelos Jaguars, Matt Patricia aceita qualquer proposta minimamente decente que receber. Trade up por um Linebacker não é a ideia mais popular entre os GMs, mas Devin White é o sonho de consumo de vários times, principalmente dos Bengals, que dependem muito de uma presença dominante no segundo nível da defesa.

9. Buffalo Bills – Ed Oliver, Defensive Tackle, Houston.

Ed Oliver disponível neste ponto pode parecer brincadeira, mas com essa corrida por Quarterbacks dentro do top 5, alguns prospectos talentosos podem ter que esperar um pouco mais pelo tão sonhado telefonema. A defesa dos Bills já é uma das melhores da NFL, mas um talento como esse não pode ser ignorado na 9° escolha geral.

10. Denver Broncos – Drew Lock, Quarterback, Missouri.

Drew Lock Draft

Jamie Squire/Getty Images

Joe Flacco pode ser o “cara” de John Elway neste momento, mas com Drew Lock dando sopa na 10° escolha geral, o comprometimento do nosso GM com o QB veterano pode diminuir bastante.

Muita gente tem o pé atrás com o prospecto de Missouri, dizem que ele não vale uma escolha tão alta, e que Elway deveria ter paciência, pois a classe de QBs do ano que vem será muito melhor que essa.

Minha opinião pode não agradar a todos, mas é a seguinte: a parte técnica pode ser ensinada e desenvolvida, afinal, é para isso que temos um técnico para cada posição. Já a parte atlética e o talento natural costumam vir de berço. Nenhum coach na liga pode ensinar Patrick Mahomes a lançar bombas a 100km/h em janelas minúsculas, ele já nasceu com esse talento. Nenhum coach na liga pode ensinar Cam Newton a abaixar a cabeça e dar no meio do Linebacker para quebrar tackles. Aaron Rodgers foi ensinado a prolongar jogadas dentro do pocket? Não, é seu talento natural que torna isso possível.

Me importo com as falhas que Lock apresenta em seu jogo, principalmente na parte mental e footwork, mas estamos na posição perfeita para desenvolver tais áreas. Joe Flacco será o titular em 2019, isso é indiscutível, mas uma sombra como a de Drew Lock pode fazer bem ao veterano e, de quebra, Lock estaria crescendo com uma presença experiente no locker room para se espelhar. Iron sharpens iron. Ferro afia ferro. Essa é nossa cultura.

11. Detroit Lions (TROCA COM OS BENGALS) – Jonah Williams, Tackle, Alabama.

Matt Patricia sabe da importância de uma OL de qualidade na NFL atual. Investiu uma escolha top 20 no Center Frank Ragnow ano passado e pode voltar a aprimorar seu front five nesta classe. Esta pick faz sentido por dois motivos. O primeiro deles é a qualidade de Jonah Williams, ele seria o melhor jogadores disponível no meu board nesta pick. Além disso, Taylor Decker está em seu último ano de contrato, e Jonah pode atuar como Guard ou até Right Tackle por uma temporada e depois assumir o lado esquerdo da linha caso Decker não seja mantido na equipe.

12. Green Bay Packers – T. J. Hockenson, Tight End, Iowa.

Matt LaFleur quer que seu ataque seja o melhor da NFL. Bom, ele já tem o melhor Quarterback da liga, agora precisa cercá-lo de talento. Hockenson pode ser da mesma posição que Jimmy Graham, mas tem características totalmente diferentes. Enquanto Graham é um Tight End recebedor, T. J. oferece um pacote mais completo de bloqueios, proteção e habilidade no jogo aéreo. Não me surpreenderia ver Hockenson tendo mais snaps que Graham no ataque dos Packers.

13. Miami Dolphins – Christian Wilkins, Defensive Tackle, Clemson.

Os Dolphins não têm muitas alternativas neste ponto a não ser escolher o melhor jogador disponível. Wilkins foi o pilar defensivo mais importante da campanha histórica dos Clemson Tigers, que foram campeões do college football com 14 vitórias na temporada, incluindo o triunfo esmagador na final do campeonato contra os Alabama Crimson Tide, liderados pelo maior técnico da história, Nick Saban.

Wilkins pode atuar em qualquer posição da DL, inclusive como Edge em jogadas específicas. Sua dominância na linha de scrimmage é notória e ele pode ser considerado um steal na 13° pick overall.

14. Atlanta Falcons – Jawaan Taylor, Tackle, Florida.

Pass Rusher pode ser a escolha ideal aqui, mas o DNA ofensivo dos Falcons torna impossível ignorar um Tackle como Taylor dando sopa na metade do primeiro round.

De qualquer forma, os Falcons encontram problemas na linha ofensiva e foram forçados a contratar jogadores medianos na off season. Taylor seria starter imediato como Right Tackle e formaria uma forte dupla com Jake Matthews, selecionado na 6° escolha geral de 2014.

15. New York Jets (TROCA COM OS REDSKINS) – Montez Sweat, Defensive End, Mississippi State.

Com algumas escolhas extras no bolso, os Jets podem escolher o melhor jogador disponível nesta pick. Montez Sweat teve um dos melhores combines da história para um Pass Rusher. A maioria de suas marcas ficaram entre as melhores do evento, para ter uma ideia, seus 4.41 segundos no tiro de 40 jardas estão abaixo do tempo de 19 Running Backs e 26 Wide Receivers. Sweat é considerado um prospecto top 10 nesta classe, mas um pequeno problema em alguns exames médicos podem prejudicar seu valor. Se o Defensive End de Mississippi State estiver disponível aqui, Mike Maccagnan será um general manager feliz.

16. Carolina Panthers – Cody Ford, Tackle, Oklahoma.

Não consigo pensar em um fit melhor para Cody Ford. Os Panthers gostam de dominar a linha de scrimmage em todos os snaps, neste caso, não há nada melhor do que garantir um Tackle de 150kg e força descomunal, que também pode atuar como Guard caso necessário. Ford é um prospecto com vasta experiência na universidade. Em seus 3 anos em Oklahoma, ele foi starter em 21 partidas, protegendo o lado direito de Baker Mayfield e Kyler Murray e alcançado os playoffs por dois anos seguidos.

17. New York Giants (TROCA COM OS BROWNS) – Rashan Gary, Defensive End, Michigan.

Um dos meus prospectos prediletos nesta classe. Levei Gary em consideração na nossa escolha, fiz o mesmo na escolha dos Lions e Falcons, mas acredito que o melhor destino para o Defensive End de Michigan seja a big apple.

Em sua passagem por Carolina, Dave Gettleman construiu um dos times mais físicos da liga, investindo pesado na linha de scrimmage. A troca de OBJ e a saída de Landon Collins mostram que ele deseja fazer o mesmo em New York, e Gary pode ser uma peça fundamental nessa nova cultura dos Giants.

Com capacidade de atuar como DT, DE e OLB, Gary pode ficar em campo nas três decididas e ser um fator determinante em cada uma delas.

18. Minnesota Vikings – Chris Lindstrom, Guard, Boston College.

A equipe de Minnesota não está em uma posição muito confortável neste draft. Com needs gritantes em praticamente todas as posições do front five, o general manager Rick Spielman deve dar o braço a torcer e colocar as necessidades de sua equipe acima da qualidade dos jogadores disponíveis.

Chris Lindstrom é um prospecto de qualidade e que tem nota de primeiro round na maioria dos boards, mas me sentiria mais confortável escolhendo este jogador fora do top 20. De qualquer forma, Kirk Cousins está desesperado por ajuda e os Vikings precisam proteger a grana investida no QB.

19. Tennessee Titans – Dexter Lawrence, Defensive Tackle, Clemson.

O grupo de Linebackers dos Titans é bem leve, jogadores como Rashan Evans e Will Compton precisam de uma presença forte na linha defensiva para evitar que os bloqueios cheguem no segundo nível. Dexter Lawrence é o prospecto perfeito para essa defesa. Com seus 155kg, ele pode exigir double teams na linha de scrimmage e facilitar a vida dos companheiros de front seven.

20. Pittsburgh Steelers – Devin Bush, Linebacker, Michigan.

Desde a aposentadoria de Ryan Shazier, os Steelers vêm sofrendo com jogadores medianos no setor. Devin Bush foi a peça central da defesa de Jim Harbaugh em Michigan e está acostumado com conceitos defensivos mais avançados. Bush pode não estar disponível nesta pick, mas neste cenário, Mike Tomlin garante um dos melhores Linebackers da classe.

21. Philadelphia Eagles (TROCA COM OS SEAHAWKS) – Yodny Cajuste, Tackle, West Virginia.

Originalmente, os Seahawks tinham apenas 4 escolhas no draft deste ano. Após a trade envolvendo Frank Clark, eles conseguiram mais uma, mas convenhamos que Jon Schneider pode precisar de mais que 5 escolhas para montar um time ao redor de Russell Wilson. Por outro lado, os Eagles estão desesperados por um Tackle. Eles estão a uma lesão do caos no setor. Unindo o útil ao agradável, ou o acomodado ao desesperado, a equipe da Philadelphia sobe 4 spots, mandando algumas picks de late round que serão bem vindas em Seattle.

Jason Peters é um dos melhores Tackles da liga, mas com 37 anos, pode ser a hora de pendurar as chuteiras. Yodny Cajuste tem nota de primeiro round no meu board, ele é a 22° jogador na minha lista, e pode herdar o trono que foi de Peters por 10 longos anos.

22. Baltimore Ravens – D. K. Metcalf, Wide Receiver, Ole Miss.

Não podemos esperar muita coisa de Lamar Jackson com um grupo de Wide Receivers composto por Willie Snead, Chris Moore, Seth Roberts e Jordan Leslie. D. K. Metcalf é o melhor WR da classe e seria um no brainer neste cenário.

23. Houston Texans – Garrett Bradbury, Center, N. C. State.

Assim como Kirk Cousins, DeShaun Watson precisa de mais proteção. Foram 62 sacks permitidos pela OL dos Texans em 2018, de longe o maior número da liga. O melhor jeito para resolver tal problema pode ser pelo miolo, já que as melhores linhas ofensivas da atualidade se apoiam na qualidade de seu Center. Bradbury pode ser mais um neste grupo seleto e se firmar como o pilar do ataque dos Texans.

24. Arizona Cardinals (TROCA COM OS RAIDERS VIA COWBOYS) – Brian Burns, Defensive End, Florida State.

Os Cardinals conseguem um steal na 24° escolha geral com Brian Burns. O Pass Rusher de Florida State pode formar uma ótima dupla com Chandler Jones e tentar trazer de volta aquela defesa esmagadora que os Cardinals tinham em 2015, quando chegaram na final da NFC.

25. Seattle Seahawks (TROCA COM OS EAGLES) – Hakeem Butler, Wide Receiver, Iowa State.

Butler não é um dos prospectos mais cotados nesta pick, mas o draft quase nunca faz sentido então resolvi arriscar. Russell Wilson acaba de receber o maior contrato de história da NFL e Hakeem Butler com sua força física e impulsão pode ser a cereja do bolo do Quarterback.

26. Indianapolis Colts – Jerry Tillery, Defensive Tackle, Notre Dame.

Tillery foi o melhor jogador dos Notre Dame Fighting Irish na última temporada. Foram poucos os snaps em que o defensor perdeu um combate homem a homem na linha de scrimmage, sua técnica de mãos e leitura de jogo são impressionantes e ele também quase nunca perde tackles. Os Colts conseguem um ótimo valor em Tillery na 26° escolha.

27. Arizona Cardinals (TROCA COM OS RAIDERS VIA BEARS) – Noah Fant, Tight End, Iowa.

Steve Keim seleciona o melhor jogador disponível. Conseguem imaginar a felicidade do GM dos Cardinals ao sair do primeiro round com Andre Dillard, Brian Burns e Noah Fant? Dias melhores estão por vir no deserto do Arizona.

28. Los Angeles Chargers – Byron Murphy, Defensive Back, Washington.

A equipe de San Diego (sim, San Diego) pode escolher um Defensive Tackle aqui, mas com Byron Murphy disponível é praticamente impossível ignorá-lo. Numa divisão com Patrick Mahomes, Antonio Brown e Emmanuel Sanders, você precisa limitar o jogo aéreo dos adversário.

29. Seattle Seahawks (TROCA COM OS CHIEFS) – Nasir Adderley, Defensive Back, Delaware.

A saída de Earl Thomas pode não ser tão prejudicial à equipe de Seattle caso eles consigam um jogador como Nasir Adderley. Com muita velocidade e atleticismo acima da média, o Safety de Delaware é um talento top 20 no meu board e possui características semelhantes às do ex-capitão da Legion Of Boom.

30. Green Bay Packers (TROCA COM OS SAINTS) – Juan Thornhill, Defensive Back, Virginia Tech.

Três Defensive Backs sendo escolhidos em sequência? Sim. Thornhill não tem nota de primeiro round para alguns scouts, mas é um dos jogadores que mais me agradam neste ponto do draft e casa perfeitamente com o novo sistema defensivo de Green Bay.

31. Los Angeles Rams – Erik McCoy, Center, Texas A&M.

McCoy se encaixa perfeitamente no Zone Blocking Scheme aplicado por Sean McVay e sua staff. Sua habilidade e talento permitem que ele seja starter desde o primeiro dia no miolo da OL dos Rams.

32. New England Patriots – Clelin Ferrell, Defensive End, Clemson.

Alerta de steal. Clelin Ferrell é um talento top 20, que perdeu um pouco de valor depois de uma exibição pouco animadora no combine, mas seu tape continua sendo um dos melhores da classe e Belichik sabe o valor de um jogador como esse na última escolha do primeiro round.

Escolhas do Denver Broncos no segundo dia

41. Denver Broncos – Mack Wilson, Linebacker, Alabama.

Mack Wilson é o protótipo perfeito de um Linebacker moderno. Sua velocidade e capacidade de cobrir passes me agrada muito, e tenho certeza que Vic Fangio também valoriza tais traits. O ex-Alabama Crimson Tide tem nota de primeiro round para a grande maioria dos scouts, inclusive para mim, mas, para nossa sorte, ele não está com tanto hype. Escolhê-lo na 41° pick seria um grande steal e deixaria Vic Fangio muito feliz.

71. Denver Broncos – Khalen Saunders, Defensive Tackle, Western Illinois.

Saunders é um jogador muito versátil que pode atuar em diversas posições da linha defensiva com qualidade. Além disso, quase todos os nossos DLs serão free agents na próxima temporada. Precisamos olhar para o futuro deste setor e Saunders pode ser um bom começo.

Escolhas do Denver Broncos no terceiro dia

125. Denver Broncos (TROCA COM OS TEXANS) – Nate Davis, Guard, Charlotte.

As saídas de Matt Paradis, Billy Turner e Max Garcia podem prejudicar o miolo da nossa OL, mas a pick que adquirimos na trade envolvendo Demaryius Thomas pode ser útil neste quesito. Nate Davis é o melhor Guard de terceiro dia e nos daria mais profundidade no setor.

148. Denver Broncos – Gary Jennings Jr., Wide Receiver, West Virginia.

Nosso ataque precisa de uma ameaça em profundidade e Jennings pode ser perfeito para isso. Recebendo 54 passes para 917 jardas e 13 TDs em seu senior year, ele é especialista em rotas longas e tem facilidade em criar separação com sua aceleração final. Vamos esticar o campo para Drew Lock… Quero dizer, Joe Flacco.

156. Denver Broncos (TROCA COM OS VIKINGS) – Kris Boyd, Defensive Back, Texas.

Com toda a movimentação gerada pelas últimas declarações de Chris Harris Jr., não faria mal a ninguém tentar garantir uma espécie de seguro caso as exigências do jogador não sejam atendidas. Boyd é um Corner físico e habilidoso que consegue se virar no mano a mano e que também nos ajudaria no special team.

182. Denver Broncos – Josh Oliver, Tight End, San Jose State.

Podemos dizer que Tight End é a posição mais carente do nosso roster. Renovamos o contrato de Jeff Heuerman, mas ele é nossa única opção viável neste momento. Jake Butt não consegue ficar saudável e Fumagali deve ser usado mais no special team. Com Josh Oliver, que apresenta traits parecidas com as de Rob Gronkowski, podemos dividir melhor os snaps e fortalecer o setor.

237. Denver Broncos (TROCA COM OS TEXANS) – Trey Pipkins, Tackle, Sioux Falls.

Podendo jogar tanto na esquerda quanto na direita, Pipkins seria um bom swing Tackle e poderia se destacar na mão de um coach como Mike Munchak.

Vocês acreditam no sucesso desta classe? Comentem e compartilhem para espalhar a palavra.

#GoBroncos!!!