Prospectos do Draft – Linha Ofensiva

Saudações, leitores e torcedores de sangue laranja. Os primeiros meses de off season foram movimentados para nós. Contratamos alguns jogadores, trocamos outros, e Joe Flacco se tornou um QB elite. Mas agora o foco do front office deve estar no draft, por isso, resolvemos fazer um apanhado sobre os principais prospectos de cada posição e as opções mais viáveis para o Denver Broncos dentro da classe. Neste post, vamos falar sobre o bom grupo de OLs, com ênfase nos prováveis nomes de primeiro round.

A ordem dos prospectos está determinada pela atual colocação de cada um no meu board pessoal. As notas não serão inclusas porque, a essa altura, não passam de simples parciais e, até o dia 18 de Abril, estarão sujeitas a alterações.

Prospectos de primeiro round

Jawaan Taylor, Tackle, Florida – 198 cm, 141 kg

Prospectos - Jawaan Taylor

Kim Klement-USA TODAY Sports.

Após uma péssima temporada como sophomore, Taylor se tornou o grande destaque do ataque dos Gators em seu senior year, e se firmou como um dos melhores prospectos da classe.

Encarando pass rushers de alto nível durante toda temporada, Taylor foi extremamente consistente, apresentando um explosivo trabalho de pés, ótimo alcance no limite da linha e força física para manipular facilmente seus oponentes.

Como a grande maioria dos prospectos atualmente, Taylor ainda precisa evoluir em alguns aspectos, principalmente no jogo corrido, onde apresenta falhas como mau uso das mãos e pad level.

Taylor possui todos os atributos físicos para ser starter na NFL. Também apresentou melhorias na parte técnica na última temporada e, como dito antes, enfrentou de igual pra igual pass rushers como Josh Allen, Montez Sweat e Brian Burns. Oriundo de um sistema ofensivo respeitado no college, provavelmente ouviremos seu nome ser chamado entre as dez primeiras picks.

A chance de John Elway draftar o prospecto de Flórida diminuiu muito com a contratação de Ja’Wuan James, mas se a coaching staff atual decidir que Garett Bolles não é o tackle ideal, Jawaan Taylor se torna uma opção viável e interessante para substituir o veterano.

Jonah Williams, Tackle, Alabama – 195 cm, 137 kg

Prospectos - Jonah Williams

Jason Getz-USA TODAY Sports.

Considerado o melhor OL da classe pela maioria dos scouts, Williams também é um dos prospectos que mais gera dúvidas neste processo pré-draft.

Com inteligência e um trabalho de pés impecável, Williams permitiu pouquíssimos sacks em seus dois anos como left tackle titular na equipe de Nick Saban. Ele provou ser uma força dominante no jogo corrido, abrindo avenidas para Josh Jacobs e Damien Harris.

O motivo de preocupação de alguns scouts e GMs sobre o senior de Alabama é o alcance de seus braços, que é levemente menor que o ideal para a posição. Alguns especialistas dizem que Williams seria melhor utilizado como guard, onde esses centímetros a menos de alcance não iriam comprometê-lo. Estou entre aqueles que acreditam no potencial de Williams como franchise left tackle. Também gosto da possibilidade de jogá-lo para o miolo da linha caso necessário, utilizando toda sua versatilidade. De qualquer forma, o prospecto de Alabama deve ser escolhido entre as dez primeiras picks e tem totais condições de exercer qualquer função front five.

Se eu fosse John Elway, prestaria muita atenção nesse prospecto. Como dito anteriormente, temos mais dúvidas que certezas sobre Garett Bolles, e as saídas de Matt Paradis e Billy Turner podem causar um leve declínio no interior da nossa OL. Por esses e outros motivos, acredito que Williams seja uma opção viável e coerente na décima escolha.

Cody Ford, Tackle, Oklahoma – 195 cm, 149 kg

Prospectos - Cody Ford

Matthew Visinsky-Icon Sportswire.

Em apenas um ano como titular absoluto, Ford já é considerado o músculo da linha ofensiva dos Sooners de Oklahoma. Com ótimo processamento mental e força física descomunal, ele foi fundamental para o sucesso do ataque liderado por Kyler Murray.

Sua força física, inteligência e nível atlético estão bem mais polidos que sua técnica. Independente da franquia que o escolha, um trabalho de desenvolvimento precisa ser feito. Caso ele tenha dificuldades em se firmar, existe a possibilidade de jogá-lo para guard, onde seus defeitos seriam facilmente maquiados e suas qualidades maximizadas.

Levando em consideração seus atributos, eu diria que o cenário ideal para Ford é ser escolhido por equipes como Jaguars, Panthers e Ravens, devido ao power scheme utilizado em seus ataques, o famoso smash mouth football. Entretanto, gostaria que nossa staff estudasse esse jogador, principalmente a questão de desenvolvê-lo como guard, que pode nos trazer bons frutos e facilitar o desligamento de Ronald Leary no ano que vem.

Andre Dillard, Tackle, Washington State – 198 cm, 143 kg

Prospectos - Andre Dillard

David Zalubowski-AP.

Um dos assuntos que mais geram polêmica no período pré-draft é o famoso “teto” do jogador. Particularmente, gosto de levar esse aspecto em consideração. Me agrada a ideia de escolher um prospecto cru para transformá-lo em um jogador de alto nível, o custo benefício pode parecer bem arriscado quando se escolhe no top 10, ou top 5, como no ano passado. Quanto maior a aposta, maior o risco e, se tudo correr como planejado, maior a recompensa. Andre Dillard pode ser o melhor exemplo de high risk, high reward desta classe.

Com todos os atributos necessários para ser um grande left tackle na NFL, o prospecto de Washington State é um dos meus prediletos. Tenho ciência de que ele está longe de ser um projeto finalizado, e provavelmente terá muitas dificuldades se for starter na primeira semana, mas sua naturalidade na posição é muito anormal.

Nos testes do Combine, enquanto Dillard executava os exercícios sem esforço algum, os outros prospectos sofriam para carregar seus 130 quilos e mover os pés de forma rápida e objetiva. Nos drills de mudança de direção, sua explosão e movimentos de quadril foram bem superiores em relação aos outros tackles.

Sendo produto do ataque de Mike Leach em Washington State, Dillard pode se tornar um grande tackle no sistema ZBS, e ser um dos pilares de sua equipe.

Quando falo em “apostar” em Dillard, não me refiro a escolhê-lo dentro do top 10. Nessa situação, seria mais vantajoso selecionar Jawaan Taylor ou Jonah Williams, mas em caso de trade down entre as picks 15 e 20, ficaria mais confortável em assumir esse risco.

Garrett Bradbury, Center, N. C. State – 192 cm, 138 kg

Prospectos - Garrett Bradbury

Jim Dedmon-USA TODAY Sports.

No início do processo de scouting, Bradbury não era considerado um prospecto de primeiro round, mas ao longo dos últimos dois meses, seu tape vem agradando a grande maioria dos especialistas e subindo nos boards.

Com tamanho e peso ideais para a posição, o center de N. C. State sempre foi sólido no jogo corrido, mas nesta temporada, também mostrou evolução na proteção ao Quarterback e raramente foi vencido no homem a homem.

Seus atributos físicos e técnica refinada fazem dele um starter imediato no sistema ZBS, baseado em bloqueios por zona, porém, existem dúvidas sobre sua capacidade de se adaptar a outros sistemas, o que pode deixar muitos GMs com uma pulga atrás da orelha.

O que mais chama minha atenção nos tapes de Bradbury é sua movimentação lateral. Como um center jogando no sistema ZBS, ele precisa executar muitos pulls durante o jogo, ou seja, se direcionar rapidamente ao limite da linha logo depois de fazer o snap para bloquear o defensor responsável por aquela zona. Este movimento lateral exige muita técnica de quadril, explosão e inteligência. Me recordo de James Daniels, ex-Iowa Hawckeye, selecionado na 39° escolha overall do ano passado pelo Chicago Bears. Daniels também executava esses pulls com maestria no college. Quando chegou na NFL, foi deslocado para Guard e não permitiu um único sack durante toda sua temporada como rookie.

Acredito que Bradbury tem capacidade para atuar no mesmo nível de Daniels, inclusive como guard. Mas diferente de seu companheiro de posição, o senior de N. C. State não deve cair até o segundo round. Com as saídas de alguns jogadores no miolo da nossa linha ofensiva, Bradbury pode ser a solução dos nossos problemas naquele setor, mas não gosto da ideia de investir uma pick top 10 nesse jogador. Caso John Elway e, principalmente, Mike Munchak estiverem interessados nesse prospecto, nosso ilustre GM pode fazer algumas ligações e tentar voltar para o final do primeiro round. Seria uma estratégia agressiva, mas válida no meu ponto de vista.

Principais prospectos para os dias 2 e 3:

  • Chris Lindstrom, guard, Boston College – 195 cm, 139 kg.
  • Dalton Risner, tackle, Kansas State – 198 cm, 141 kg.
  • David Edwards, tackle, Wisconsin – 201 cm, 139 kg.
  • Yodny Cajuste, tackle, West Virginia – 198 cm, 141 kg.
  • Dru Samia, guard, Oklahoma – 198 cm, 134 kg.
  • Michael Deiter, tackle, Wisconsin – 198 cm, 140 kg.
  • Elgton Jenkins, center, Mississippi State – 195 cm, 140 kg.
  • Greg Little, tackle, Mississippi – 198 cm, 147 kg.
  • Tytus Howard, tackle Alabama State – 198cm, 146 kg.
  • Connor McGovern, guard, Penn State – 198 cm, 139 kg.
  • Kaleb McGary, guard, Washington – 201cm, 144 kg.
  • Eric McCoy, center, Texas A&M – 195 cm, 137 kg.

Comentem e compartilhem para espalhar a palavra.

#GoBroncos!!!