Conhecendo Joe Flacco

Saudações torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! Com a abertura oficial da free agency, as trocas entre os times feitas anteriormente se tornam oficial, os jogadores free agents ficam livres para assinar com seus novos times e os rosters vão tomando forma. No dia 13 de fevereiro os principais repórteres americanos informaram sobre uma troca entre o Denver Broncos e o Baltimore Ravens pelo quarterback Joe Flacco, em troca de uma 4th round pick. A troca foi oficializada hoje, depois de um mês sem que os times pudessem fazer qualquer comentário a respeito. Vamos conhecer o novo QB do Denver Broncos.

Início da Carreira

Flacco jogando por Delaware. Foto: Delaware Athletics.

Joe Flacco nasceu no estado de New Jersey no dia 16 de janeiro de 1985. Ele jogou futebol americano, baseball e basquete na Audubon High School, onde foi o QB titular. Flacco iniciou sua carreira na Universidade de Pittsburgh e após ser um redshirt freshman, estreou no college como backup.

No ano seguinte, se transferiu para a Universidade de Delaware e estreou em 2006 como o QB titular, lançando para 2.783 jardas, 18 touchdowns e 10 interceptações. Na temporada de 2007 Flacco lançou para 4.263 jardas, 23 touchdowns e 5 interceptações, encerrando sua carreira no college com 20 recordes da Universidade de Delaware.

Apesar de ser um prospecto pouco conhecido no início do processo do Draft, Joe Flacco cresceu nas atenções da mídia e dos times após uma performance de destaque no Combine e no Senior Bowl. O Baltimore Ravens draftou Flacco com a 18° escolha geral no Draft de 2008, sendo considerado um reach pela imprensa, que acreditava que ele ainda estaria disponível no segundo round.

Baltimore Ravens

Joe Flacco, Super Bowl MVP. Foto: USA TODAY Sports.

Flacco teve um início de carreira promissor, sendo nomeado o NFL Rookie of the Year após uma temporada de 2971 jardas, 14 TDs e 12 INTs, vencendo dois jogos de playoffs e liderando o time até o AFC Championship, onde foram derrotados pelo Pittsburgh Steelers.

Em 2009, sua segunda temporada, Flacco lançou para 3613 jardas, 21 touchdowns e 12 interceptações, novamente levando seu time para os playoffs, e vencendo o New England Patriots no Wild Card Game, apesar de uma lesão sofrida. Os Ravens perderam para os Colts no Divisional Championship.

A terceira temporada de Flacco começou ruim, com performances abaixo do esperado para o QB dos Ravens. Mas o time se recuperou e Flacco se tornou apenas o terceiro QB da história da NFL a levar seu time para os playoffs nos três primeiros 3 anos da carreira. Após vencer o Kansas City Chiefs no Wildcard Round, Flacco bateu mais um recorde, se tornando o primeiro QB a vencer ao menos um jogo de playoffs em cada um de seus primeiros três anos na NFL e empatou o recorde de mais vitórias fora de casa nos playoffs.

Em 2011, Flacco continuou a ter sucesso, levando os Ravens novamente para os playoffs. Flacco completou 3610 jardas, 20 touchdowns e 12 interceptações. No AFC Championship Game, os Ravens enfrentaram o New England Patriots. Flacco completou 22 de 36 passes tentados para 306 jardas, 2 TDs e 1 INT. Apesar de ter jogado melhor que Brady estatisticamente (Brady 22/36, 306 jardas, 0 TDs, 2 INTs), os Ravens perderam a partida por 23 a 20.

Flacco finalmente chegou ao Super Bowl na temporada de 2012, após ter ido aos playoffs e caído no caminho em todas as temporadas anteriores como um profissional. Ele lançou para 3610 kardas, 20 TDs e 12 INTs e os Ravens terminaram a temporada com um recorde de 10-6. Após vencer os Colts no Wild Card Game, ele derrotaram os Broncos no Divisional Round (não queremos falar sobre isso) e o New England Patriots em Foxborough, chegando a seu primeiro Super Bowl. Flacco saiu vitorioso da partida, cheia de reviravoltas (e um apagão histórico no estádio) e foi nomeado MVP do Super Bowl XLVII.

Na temporada de 2013, Flacco entrou em campo como o quarterback mais bem pago da história da NFL, após vencer o Super Bowl em seu ano de contrato. O investimento não se pagou, com Flacco tendo sua pior temporada da carreira, lançando pela primeira vez para mais interceptações do que touchdowns e pela primeira vez, os Ravens da era Flacco não se classificaram para os playoffs.

A temporada de 2014 foi uma das melhores estatisticamente para Flacco. Seu coordenador ofensivo foi o muito conhecido para nós, Gary Kubiak, que deixaria o cargo para se juntar aos Broncos no ano seguinte e o resto é história. Flacco completou 62% dos passes para 3986, 27 TDs e 12 INTs. Os Ravens voltaram aos playoffs e venceram o Pittsburgh Steelers no Wild Card Game e se dirigiram a Foxborough para enfrentar os (spoiler) futuros campeões.

A temporada de 2015 terminou em lesão para Flacco. O QB que nunca tinha perdido um jogo por lesão sofreu uma ruptura no ACL (ligamento anterior colateral) na semana 11.

Em seu retorno em 2016, Flacco e os Ravens iniciaram a temporada com um recorde de 3-0, mas terminaram com um decepcionante 8-8 e ficaram de fora dos playoffs novamente. Apesar da temporada decepcionante, Flacco lançou para 4.317, recorde da franquia, mas para apenas 20 TDs e 15 INTs.

Em 2017, Flacco perdeu parte dos Training Camps após ser diagnosticado com uma lesão nas costas e sofreu uma concussão na semana 8, mas não perdeu nenhum jogo na temporada. Os Ravens terminaram com um recorde de 9-7 e ficaram fora dos playoffs após derrota para os rivais de divisão Cincinnati Bengals no último jogo da temporada. Flacco finalizou a temporada com 3.141 jardas, 18 TDs e 13 INTs.

No Draft de 2018, os Ravens subiram para a pick 32 do NFL Draft e escolheram o QB Lamar Jackson. Flacco seguiu com a posição de QB titular, até que uma lesão o tirou de campo na semana 9. Em seus últimos 9 jogos pelos Ravens, Flacco lançou para 2465 jardas, 12 touchdowns e 6 interceptações, mas com um recorde de 4-5. Jackson levaria os Ravens para os playoffs se apoiando em uma defesa forte e em um ataque terrestre forte, ajudados pelo seu atleticismo acima da média.

Apesar do mal desempenho de Jackson durante o Wild Card Game contra o Los Angeles Chargers, e de Flacco estar disponível para entrar em campo, os Ravens seguiram com seu rookie, caindo na primeira rodada dos playoffs e indicando de uma vez por todas que a Era Flacco em Baltimore tinha chegado a um fim.

Denver Broncos

No dia 13 de fevereiro, para a surpresa de todos, foi anunciada a troca da escolha de quarta rodada (pick 113) do Denver Broncos pelo QB Joe Flacco. Semanas mais tarde, os Broncos trocaram o QB Case Keenum e uma escolha de 7° round de 2020 com o Washington Redskins por uma escolha de 6° round de 2020.

Joe Flacco é um QB com uma carreira vitoriosa em Baltimore e teve uma queda de desempenho nos últimos anos. A parte animadora é que Rich Scangarello, nosso Coordenador Ofensivo, com seu ataque baseado nos conceitos de Kyle Shanahan, tem um ataque semelhante, embora mais moderno, ao de Gary Kubiak, com quem Flacco teve um dos melhores anos de sua carreira. A capacidade (e tendência) a esticar o campo com passes longos é algo que se encaixa com os conceitos de Scangarello, que diz admirar o ataque de Shanahan pela possibilidade touchdown em toda jogada.

Flacco pode não ser elite, mas é um upgrade a Case Keenum, principalmente no que diz respeito a fit com o sistema que o time rodará. E dar o melhor fit a seu OC estreante pode ser muito importante para o desenvolvimento do ataque que, quem sabe, pode deixar de ser apenas mediano nos próximos anos. Os Broncos podem ou não selecionar um QB na primeira rodada, mas tudo indica que Joe Flacco será o QB titular na temporada de 2019 e terá uma chance se provar.

Seu contrato com os Broncos não será reestruturado e consiste em 3 anos, U$18.5M no primeiro ano, U$20.2M no segundo ano e U$24.2M. A vantagem? Nem um centavo do contrato é garantido, com os Broncos podendo cortar Flacco a qualquer hora, sem engolir nenhum dead money.

E vocês torcedores dos Broncos, o que acham? Joe Flacco é elite? (tô brincando)