Lá vem a Bronca! Semana 04

Saudações, torcedores e torcedoras do laranja e azul de Denver! Aqui estou eu novamente para apontar o que está errado no universo do Denver Broncos. Nesta semana vencemos nossos rivais de divisão, o Oakland Raiders, pelo placar de 16 a 10. Mas a vitória não exclui as broncas, e aí vem elas…

Não foi a vitória mais bonita do mundo, mas chegamos na bye week com um sólido 3-1.  Nossa defesa segurou Derek Carr e companhia a 10 pontos e nosso ataque não teve o melhor dos dias, mas conseguiu fazer apenas o suficiente para sairmos da partida com a vitória.

Trevor Siemian teve um jogo apagado, lançando para 179 jardas (16/26), 1 touchdown (numa recepção fantástica de AJ Derby) e nenhuma interceptação. Apesar do touchdown marcado, Trevor teve um péssimo desempenho na red zone, chegando quatro vezes na zona tão sonhada e não conseguindo converter nenhuma situação em touchdown. Não queremos 2016 novamente, em que penávamos para chegar até lá e éramos forçados a chutar frustrantes field goals.

Apesar de não ter sofrido nenhuma interceptação, Trevor foi foi pressionado em 54,8% das jogadas (maior marca da NFL) e sofreu quatro sacks, o que, digo novamente, preocupa muito para a sequência da temporada. Se Trevor apanhar tanto, pode não conseguir aguentar. Em nossa divisão, todos os times tem no pass rush uma arma. Enfrentar estas armas tantas vezes na temporada, sem que consigamos proteger nosso quarterback pode custar caro.

Por isso eu digo e repito. Querida linha ofensiva, faça seu trabalho e proteja Trevor Siemian! Ele já mostrou que está longe de ser um quarterback ruim quando tem o pocket limpo, e que está bem perto do fim do poço dos QBs da NFL quando sob pressão. Mas Max Garcia como left guard e Menelik Watson como right tackle vem mostrando que não são a solução dos nossos problemas.

Muito menos Donald Stephenson, o tackle reserva pela direita e pela esquerda que quase cedeu um turnover na primeira e única vez que foi acionado durante a partida contra os Raiders. Foi ele entrar para os olhos se arregalarem e os pelos arrepiarem. Os olhos de toda a torcida laranja em todo o mundo se voltaram para aquele jogador falhando em proteger Trevor Siemian, que com a graça de todos os deuses possíveis, encostou o joelho no chão antes de ter a bola arrancada de suas mãos. Para o alívio de todos, o replay indicava que a jogada voltaria, comemoramos o sack e a volta de Watson no snap seguinte. A que ponto chegamos com a posição de RT… Comemorar a volta de Menelik Watson.

Quanto ao plano de jogo do ataque, como já foi exaustivamente falado no grupo de apoiadores, as chamadas estão, por muitas vezes, se tornando previsíveis. O desempenho do ataque no segundo tempo não pode decair tanto, independentemente do placar do jogo. Precisamos manter o ritmo depois do intervalo e marcar touchdowns. Não é correr riscos, é simplesmente não desacelerar, manter a pressão e pontuar o máximo possível.

Não podemos ceder oportunidades tão claras de virada. Poderíamos facilmente estar 1-3, já que estivemos próximos de ir a uma prorrogação contra os Chargers e os Raiders ainda tinham mais de 1 minuto no relógio e estavam a um touchdown com extra point de virar a partida de forma sensacional com o quarterback reserva. Obrigada Shelby Harris, obrigada Justin Simmons. Espero que a comissão técnica (olá, Mike McCoy) percebam os erros no quarto período e consigam corrigi-los na bye week, para o bem do meu coração.

Partindo para a defesa, não tenho realmente muito a dizer. O touchdown deles foi numa jogada longa, num erro de cobertura. Tudo bem, acontece. Não vou criticar uma defesa que não permitiu que Derek Carr chegasse nem uma vez sequer na red zone e os segurou em 10 pontos, mesmo com um segundo tempo menos consistente do ataque. Esta semana, vou livrar a cara da defesa. Mas aquele segundo drive do Manuel que acabou em FG… opa, falei que não ia criticar.

Agora vamos aos times especiais. Brandon, eu gosto de você. Pare de me fazer te citar toda semana. Mas 29 jardas, Brandon? Sério mesmo? Gosto muito de ter um kicker confiável. Alguém que eu assista tranquilamente enquanto chuta para 45 jardas e tenha confiança de que acerte pra 50. Agora errar chute de 29 jardas? Inadmissível. Só posso esperar que ele volte a ser o jogador confiante e confiável que conhecemos. Porque barato ele não é.

Agora uma bronca vinda do grupo dos apoiadores, diretamente do Sports Authority Field. André Rodrigues, nosso apoiador que fez uma participação especial no Mile High Brasil Show desta semana, esteve no jogo de domingo em Denver e deu algumas sugestões. André disse: “o torcedor do Broncos ficou ‘morno’ chegando no half time, não sei se vocês perceberam. Mas bronca neles que saíram antes do intervalo chegar pra ir comprar comida e bebida”.

Pô galera, vamos esperar o tempo acabar pra ir comer, o jogo é importante e a participação do torcedor é fundamental. Não é algo que eu consiga perceber pela televisão, então valeu André!

E Cam Newton, você não sabe de nada.