Pick-six

Pick-six – 13/05/2017

Olá, leitor e torcedor de sangue azul e laranja, a coluna Pick-six está aqui para elucidar suas dúvidas. Com ela, vocês “lançarão” as perguntas e nós “retornaremos” as respostas. As dúvidas poderão ser colocadas no formulário que estará no fim do post e será respondido na semana seguinte. Lembrando que as respostas são pessoais e não são verdades absolutas, vocês podem discutir nos comentários. Divirtam-se.

 

Vamos as questions.

 

Nosso leitor Claudio Landael, de 21 anos, da cidade de Itapevi, nos mandou a seguinte pergunta: “Vocês acham que deveríamos investir em um grande nome do lado defensivo da bola na Free Agency?” E quem responde essa, é o nosso editor Chapecoense, Gustavo Grando.

Não vejo muitas opções no mercado atualmente, talvez surjam alguns nomes depois dos próximos cortes, mas em especial a posição de NT eu considero a mais grave na defesa. Peko está longe de ser o jogador que foi um dia pelos Bengals, e vai precisar de ajuda na rotação, com 30 anos no lombo ele não deve aguentar 50% dos snaps na linha.

 

De São Paulo, Davi Silva, de 13 anos, pergunta: “Quais aspectos em seu jogo Paxton Lynch tem que melhorar para se tornar titular?” O nosso podcaster e comentarista do Esporte Interativo, Pedro Pinto responde.

Pelo que vimos ano passado, ele segue muito longe de estar pronto. Footwork segue incorreto, não se sente confortável no pocket e se perde em conceitos de passe mais avançados. Além disso, existem os boatos de que ele não aparente demonstrar a determinação necessária para evoluir. O potencial é altíssimo, mas só teremos a primeira prova de sua evolução na pré-temporada.

 

A outra pergunta vem do nosso leitor, Juliano Bueno Largo, de 29 anos, da cidade de Palmeira das Missões, que nos questiona: “DeMarcus Walker pode ser considerado a solução pra nossa defesa juntamente com Peko contra o jogo corrido adversário?” Respondendo a pergunta, o Fábio Broncos diz.

Infelizmente o DeMarcus Walker não vai ser a solução para a nossa defesa contra o jogo corrido a curto prazo. Primeiro por ser um calouro, e não foi jogador de primeiro round, então não devemos esperar que ele seja um DeMarcus Ware (muito menos logo de cara). Como todo rookie, ele precisa aprender o playbook, o sistema, melhorar sua técnica e se refinar como jogador pra ter mais impacto no time. Penso que ele deve ser um cara de rotação, jogando por volta de 30% dos snaps defensivos. Além disso, o forte dele é o pass rushing e não abafar corridas. Pode ser que a nossa comissão técnica possa educar ele também a ser bom contra o jogo corrido a médio e longo prazo. Sendo assim, ele não será a solução neste quesito em 2017 mas tem potencial com o passar dos anos. Já o Peko deve contribuir bastante neste aspecto, junto com o Kerr.

 

Respondendo o Rodolfo Alves, da cidade de Uberlândia, que quer saber: “O que podemos esperar do ataque do Broncos nessa temporada com reforços vindos da Free Agency e do Draft, já que na passada o mesmo viveu só de passes geralmente curtos?” O responsável pelo Pick-six, diz.

O ano passado foi um Deus nos acuda, os passes eram curtos porque o pobre Siemian só tinha tempo para receber o snap. Falando sério agora, fizemos boas adições no ataque nessa offseason, via Free Agency trouxemos linha ofensiva e Running back, além dos reforços vindo do Draft. Acredito que pelo simples fato de termos mudado a comissão técnica o ataque já terá outra cara, outra produção, e com mais armas e mais qualidade na proteção, nossos Quarterbacks terão dias melhores do que os vividos em 2016, com mais peças recebendo passes o peso sai da dupla Thomas e Sanders o que auxília nossos Wide receivers também. Temos tudo para ter um grande setor ofensivo esse ano, independente de quem esteja lançando a bola.

 

Jader Tavares, de João Pessoa na Paraíba, pergunta: “Quais dos jogadores draftados (tirando o Bolles) devem ter mais participação em jogos nessa temporada?” O Pedro Pinto assumiu a responsa dessa pergunta também.

DeMarcus Walker deve ser bastante utilizado em terceiras descidas pela sua habilidade no pass rush. Carlos Henderson, além de impactar imediatamente com retornos, assim como McKenzie, pode ser uma arma interessante no ataque logo de cara. Pra fechar, se Jake Butt seguir o ritmo de recuperação e conseguir captar o playbook rapidamente, pode acabar vendo o campo bastante na temporada.

 

Direto de Itapevi, São Paulo, Claudio Landael indaga mais uma vez: “O que vocês acham de nossa OL, pois creio que temos dois Right tackles muito caros, o que iremos fazer com eles, e sobre a posição de Guard quem irá jogar do lado oposto ao Ronald Leary, Garcia?” O Gustavo Grando, responde mais essa da seguinte forma.

Nossa OL foi uma das piores ano passado, e vai melhorar. Mas não esperem que viremos top 5 da água para o vinho. Se ficarmos na primeira metade do ranking já está de bom tamanho. Elway conseguiu transformar uma defesa mediana em elite de um ano para outro com apenas 3 jogadores, isso porque o talento estava lá, faltava atitude. A OL é diferente, falta material humano. RT deve ser a maior fraqueza da linha esse ano, 2 jogadores de capacidade duvidosa e propensos a lesão não valem por 1. Sobre OG, se eu tivesse que arriscar iria de Garcia sim, mas ele piorou muito ano passado. Schofield pode voltar a jogar em sua posição de origem e melhorar, ou McGovern pode se transformar nessa offseason no Guard que todos queremos, o jeito é esperar pra ver.

 

Clique nesse formulário para enviar suas perguntas, para a próxima semana.

Se você não teve sua pergunta respondida nesse post, não fique triste, como são apenas 6 respostas por publicação, talvez a sua não tenha sido escolhida, mas responderemos no próximo, não desanime. Participe.

Mais uma vez salientando que essas respostas não são verdades absolutas e sim apenas opiniões pessoais, não só minhas mas de toda a equipe MHBr.

Lembrando que se você ainda não é um apoiador, e gostaria de ajudar nosso site, entre em apoia.se/milehighbrasil.

#GoBroncos