Pick-six

Pick-six – 22/04/2017

Olá, leitor e torcedor de sangue azul e laranja, a coluna Pick-six está aqui para elucidar suas dúvidas. Com ela, vocês “lançarão” as perguntas e nós “retornaremos” as respostas. As dúvidas poderão ser colocadas no formulário que estará no fim do post e será respondido na semana seguinte. Lembrando que as respostas são pessoais e não são verdades absolutas, vocês podem discutir nos comentários. Divirtam-se.

 

Vamos as questions.

Nosso leitor Davi Silva, de 13 anos, da cidade de São Paulo, nos mandou a seguinte pergunta: “Pelos OTAs já será possível prever quem será titular, inclusive os Quarterbacks?” E quem responde é o nosso podcaster e comentarista do EI, Pedro Pinto.

Eu vejo essa competição se estendendo pela preseason. O playbook mudou, Joseph já declarou competição aberta entre os dois. Precisamos ver em game situations pra avaliar de forma mais completa. Pra mim, só teremos definição do QB1 a partir da Week 3 da preseason. Antes disso, acho pouco provável. Não fiquem surpresos se ambos jogaram na Semana 4, onde tradicionalmente só reservas jogam.

 

De Antonina do Norte, no Ceará, Tiago Lima, e o Luiz Martins do nosso grupo dos apoiadores, perguntam: “Após o teste de drogas, Reuben Foster provavelmente cairá algumas posições no draft. Valeria a pena pegá-lo na pick 20, se ele sobrar até lá?” O PP assumiu essa pergunta também e disse:

Pra mim já saiu do 1st Round. Um prospecto cercado de má influências e ainda comete essa gafe no Combine. Eu tinha relevado a questão da discussão no hospital em Indy, mas agora foi a gota d’água. Eu não queria ter um jogador desses como o face of the draft class. Eu não pegaria não.

 

A outra pergunta vem do nosso leitor, Davi Santos, que nos questiona: “Vocês concordam que Jamaal Charles seria uma opção para o Broncos, pois ele correria atrás de uma OL não tão boa mesmo com os reforços, e tiraria a “responsa” do nosso QB starter?” e quem responde essa, é o Head Coach do Juiz de Fora Imperadores e redator do MHBr nas horas vagas, Comandante Hamilton.

Discordo totalmente, Jamaal Charles é um injury prone, se a OL não melhorar muito em relação ao ano passado, é quase uma certeza de lesão, e ele já caminha para o fim da carreira, além de não ser uma garantia, que mesmo inteiro possa ser um diferencial gritante pro ataque, seu skill set é parecido com o Booker e portanto não acrescentaria quase nada no ataque, a exceção talvez, seja o fato dele ser um melhor RB recebendo passes que os atuais do nosso elenco. Mas definitivamente não investiria nele.

 

Respondendo outra pergunta do Davi Santos, da cidade de São Paulo, que quer saber: “Vocês acham que o Broncos vai, ou devem contratar mais alguém nessa Free Agency?” O responsável pelo Pick-six, no caso eu, responde.

Estamos com um Salary Cap entre $14 e $16 milhões (já respondendo sua outra pergunta), e caso algum jogador de nível bom para excelente que nos agrade, seja dispensado no corte para a montagem do roster final dos 53 jogadores, principalmente se for Left tackle, Wide receiver, ou Inside Linebacker, acredito que Elway desembolse esse dinheiro, mas creio que ele não fará isso, somente se o jogador realmente valer a pena. Tenho fé que ele faça o rollout desse dinheiro para o próximo ano.

 

Tiago Sarmento, de Niterói no Rio de Janeiro e o Felipe Oliveira, de Presidnte Prudente querem saber: “Quais possíveis mudanças, além de jogadores, podemos esperar que serão feitas pelo McCoy e Musgrave no nosso setor ofensivo ?” O Fabio Broncos assumiu a responsa e respondeu essa.

A principal mudança será adequar o sistema aos jogadores e não os jogadores a um sistema pré estabelecido. Eles devem ter um cuidado especial no desenvolvimento dos Quarterbacks, já que os dois treinadores são ótimos e bem talentosos nessa função. Certamente o ataque será moldado de acordo com as características dos nossos QBs e teremos ainda um maior número de formações com recebedores espalhados no campo. Esse sistema mais amigável para o passe deve ajudar a abrir mais espaços para o jogo terrestre, já que mantém o posicionamento das defesas adversárias um pouco mais honesto do que vimos na temporada passada.

 

Direto de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Thiago Oliveira indaga: “Com a lesão na temporada passada de Andy Janovich, nosso ataque terrestre que já não era muito bom acabou piorando, com a chegada da nova comissão técnica será que ele pode ainda ter espaço no nosso ataque?.” O nosso Comandante Hamilton, responde mais essa da seguinte forma.

Acredito muito que ele perderá espaço no time, Mike McCoy nunca baseou seu ataque com Fullbacks tendo espaço e/ou destaque no ataque, pra se ter uma ideia no último ano, o fullback de San Diego teve apenas duas tentativas de corrida no ano inteiro e recebeu apenas 4 passes. A posição foi utilizada desde o início do jogo em apenas dois jogos. Resta saber se não utilizava por pouco talento ou mesmo por filosofia, e caso a reposta seja a segunda opção seria uma pena pois o Janoboy tem talento. Pra mim ele vai ser tipo um terceiro RB do time, entrando em terceiras descidas pra poucas jardas ao estilo Juwan Thompson.

 

Clique nesse formulário para enviar suas perguntas, para a próxima semana.

Nessas duas últimas semanas, houveram muitas perguntas sobre o Draft, e não era de se esperar coisa diferente, já que o evento é semana que vem. No entanto como teremos por volta de 5 posts mais um podcast falando do assunto, decidi não colocar essas perguntas aqui, pois com certeza elas estarão respondidas de alguma forma, nos textos ou no podcast.

Se você não teve sua pergunta respondida nesse post, não fique triste, como são apenas 6 respostas por publicação, talvez a sua não tenha sido escolhida, mas responderemos no próximo, não desanime. Participe.

Mais uma vez salientando que essas respostas não são verdades absolutas e sim apenas opiniões pessoais, não só minhas mas de toda a equipe MHBr.

Lembrando que se você ainda não é um apoiador, e gostaria de ajudar nosso site, entre em apoia.se/milehighbrasil.

#GoBroncos