Terrell Davis selecionado para o Hall Da Fama

Saudações leitores e torcedores de sangue laranja. Nossa temporada não foi das melhores, mas mesmo assim temos motivos para sorrir, Terrell Davis finalmente foi selecionado para o Hall da Fama. Para abordar esse assunto, traremos uma matéria do Mile High Report mostrando a importância de TD, agora imortalizado na história do futebol americano profissional.

Em seu ano de rookie, Davis estava pronto para deixar o Denver Broncos e desistir de seu sonho. Como disse no documentário “Football Life“, ele nunca pensou que teria chance, não tinha certeza se queria lidar com isso por mais tempo pois não valia a pena. TD mudou de opinião no dia 5 de Agosto de 1995, jogo de pré temporada em Tokyo contra o San Francisco 49ers, onde ele simplesmente destruiu o retornador dos 49ers, Tyronne Drakeford, no kickoff do segundo tempo. Nesse momento, a lenda de Terrell Davis começou.

Terrell Davis

Terrell Davis em 2001 contra o Oakland Raiders.

Duas vezes campeão do Super Bowl, MVP do Super Bowl XXXII, NFL MVP em 1998, o quarto Running back na história a correr para 2.000 jardas em uma temporada. Essas credenciais já seriam suficientes para entrar em Canton, mas um detalhe importante não pode ser esquecido, Davis é o melhor Running back que a NFL já viu em termos de playoff, e isso pesou bastante nos votos. Ele registrou 204 carregadas para 1.140 jardas e 12 touchdowns nos playoffs, com uma media de 142 jardas terrestres por jogo. E não se esqueçam, ele fez isso em oito jogos, isso mesmo, apenas oito.

Para explicar melhor a dominância de Terrell nos playoffs, temos que compará-lo com outros grandes jogadores. Ele está empatado com Emmitt Smith em jogos de playoff com mais de 100 jardas, foram 7, mas Smith precisou de 17 partidas para fazer isso. Em termos de touchdowns na pós temporada, os 12 de Davis ficam atrás apenas de Thurmann Thomas com 16 em 21 jogos, Franco Harris com 16 em 19 jogos e Emmitt Smith com 19 touchdowns em 17 jogos.

Seus números se tornam ainda mais incríveis quando olhamos para as defesas que ele enfrentou. Em oito jogos de playoff, TD só enfrentou uma defesa abaixo da média, enfrentou defesas top 5 em cinco oportunidades, registrando médias de 145 jardas e 1.6 touchdown por partida. Mas como um bom Bronco, ele teve os melhores números nas situações mais adversas, pois nas duas vezes que enfrentou a melhor defesa da liga nos playoffs, Davis teve 150 jardas e 2 touchdowns por jogo. Então podemos dizer com todas as letras, o sujeito era muito Clutch.

Davis é o quinto Denver Bronco selecionado para o Hall da Fama, em Canton, Ohio (o berço do futebol americano profissional), e terá seu busto de bronze colocado ao lado de John Elway, Gary Zimmerman, Shannon Sharpe e Floyd Little, outras lendas do nosso passado.

Terrell Davis

Howard Griffith (29), Terrell Davis (30) e Seth Joyner (54) no último quarto do Super Bowl XXXII, em San Diego.

TD foi punido por algum tempo por não apresentar a longevidade de um Hall of Famer, afinal, teve uma carreira curta e repleta de lesões, mas dessa vez, pelo menos 48 especialistas reconheceram a contribuição do jogador para um time que venceu back-to-back Super Bowls, os títulos de 1997 e 1998 não seriam possíveis sem Davis em campo, isso foi provado no Super Bowl XXXII, onde ele teve 30 carregadas para 157 jardas e 3 touchdowns contra o Green Bay Packers, recebendo as honras de MVP enquanto lutava contra uma enxaqueca durante toda a partida.

Davis nunca teve o Hall da Fama como o principal objetivo na carreira, por isso Pat Bowlen gostava tanto desse jogador, ele era o tipo de pessoa que Pat queria em Denver, era educado, trabalhava pesado todos os dias, se importava muito com a comunidade, e o mais importante, colocava o time em primeiro lugar. Até hoje, ele representa a honra e integridade que Mr. Bowlen sempre prezou e usou para construir uma das maiores franquias da NFL.

Parabéns, TD, você merece. Mile High Salute.