10 passos para offseason 2017

10 passos para a offseason 2017

Olá, amigo leitor e torcedor do Denver Broncos. Muito antes do que o esperado, já chegou a hora de traçar os planos para a offseason em direção à temporada 2017. Sendo assim, quero registrar aqui o que acredito ser o caminho necessário de ser tomado pela nossa franquia para voltarmos aos playoffs já no ano que vem em dez passos.

1- Reavaliar toda a comissão técnica

A prioridade número 1 da equipe deve ser essa. Gary Kubiak é um técnico cuja filosofia é a de que “o esquema supera o talento”. Sendo assim, é importante demais que os técnicos assistentes sejam capazes de ensinar ao talento disponível o esquema necessário. E alguns deles não vêm conseguindo fazer um bom trabalho, especialmente Clancy Barone, técnico da linha ofensiva.

Barone é um dos únicos dois remanescentes da era McDaniels, Studesville, técnico de RBs é o outro, e foi incapaz nos últimos dois anos de fazer nossa OL apresentar qualquer melhoria. Na offseason, acredito que ele deva ser cortado, talvez já na Black Monday, a segunda-feira depois de a temporada regular acabar.

Se eu tivesse o poder de escolha, e sabendo que Elway e Kubiak podem não querer demitir Dennison, eu transferiria Rico para ser o técnico de OL. Ele pode ser “promovido” para HC assistente, ganhando um salário um pouco maior, mas sendo, de facto, técnico de OL. Para o lugar dele, eu promoveria Greg Knapp, nosso técnico de QBs. Studesville deveria continuar, já que ele é um dos melhores coaches de RB da liga.

Infelizmente, a NFL classifica todos os técnicos abaixo do HC, sejam eles coordenadores ou técnicos de posição, como assistentes técnicos. Isso faz com que precisemos da permissão dos times para entrevistar qualquer técnico posicional. Sendo assim, acho que a promoção de Knapp seria interessante, desde que ele tivesse a liberdade de fazer as chamadas ofensivas. Como já comentei num post anterior, as chamadas dele são interessantes. Outra alternativa para a posição de OC seria recontratar Mike McCoy, caso ele seja demitido do Chargers.

Na defesa e no time de especialistas, não vejo necessidade de mudanças na comissão técnica.

2- Avaliar o talento disponível

Como citado acima, Kubiak acredita no esquema. Mas para que o esquema funcione, é preciso ter talento que se adeque a ele. Com as lesões de CJ, Janovich e Stephenson, o ZBS ficou comprometido. Stephenson voltou, mas nunca foi o mesmo de antes da lesão. Ty Sambrailo não teve a oportunidade de se desenvolver como deveria, porque, em vez de treinar na posição que queriam que ele tivesse, RT, ele teve de jogar de LT ano passado, antes de se machucar e passar muito tempo se recuperando. Quando se está no DM tentando se recuperar, não dá para treinar ou jogar, e claramente isso fez falta a ele.

Se a equipe não conseguir contratar jogadores que se adequem bem ao esquema, talvez possa ser momento de avaliar uma ou outra mudança.

Na defesa, muitos estão menosprezando a ausência de Vance Walker. Ele é excelente contra o jogo corrido, e com certeza seria uma força dominante, algo que Sly Williams não foi capaz de ser.

3- Decidir o que fazer com os Tackles

Os Offensive Tackles são o maior problema que o Broncos tem de lidar na offseason. E eu não gostaria de estar na posição de quem terá de tomar as decisões a respeito. Se o Broncos aceitar a opção do contrato de Russell Okung, ele receberá mais de 11 M em dinheiro garantido por ano em 2017 e 2018. Isso o colocará na 9ª posição entre os LTs na média. Ele jogou o suficiente para merecer isso? Não. Há alguma opção melhor que ele? Também não, e aí mora o grande problema. Só há um outro LT de ZBS disponível ano que vem, Ryan Clady, e não acho que o Broncos queira voltar a ele, especialmente porque a decisão de cortá-lo se mostrou acertada com outra lesão. Se quisermos tentar alguém de fora do esquema, temos os trintões Whitworth e Beatty, além do não provado Matt Kalil. O draft também não tem ninguém pronto para jogar na NFL, especialmente no Blind Side.

Além disso, Okung foi um ponto positivo na OL nos últimos jogos, tendo estado entre os melhores do ataque nos últimos três, se não me engano. Isso significa que, apesar do talento perto dele não ser dos melhores, ele tem se mostrado um ponto de apoio. Talvez seria interessante Elway se aproximar dele e cogitar uma reformulação do contrato, mas dado o estado da nossa OL, pior do que ficar como está seria entrar em desespero e se livrar de todo mundo. Podemos declinar a opção do contrato dele e tentarmos algo diferente, mas nada garante que outro time precisado de LT não vai oferecer mais que nós.

O que Elway pode fazer é questionar o Browns referente a uma troca de alguém ou de picks por Joe Thomas. Se essa opção for aceita por eles, podemos cogitar Okung no lado direito e Thomas do lado esquerdo. Okung nunca jogou lá, mas não significa que não possa dar certo.

Falando em lado direito, temos a questão do Donald Stephenson. Se ele ficar, vai custar 5 M. Se for cortado, pesa 2 M no cap. Sinceramente, apesar do peso, eu o cortaria. Não me oporia a reassiná-lo depois por um valor mais baixo, para disputar posição, mas ele, com toda certeza, não vale 5 M. Ele nos fez ter saudade do Schofield do ano passado na posição de RT, e, apesar de estar jogando bem antes da lesão, os últimos jogos, especialmente contra o Chiefs, deixaram claro o motivo de os torcedores do Chiefs estarem tão felizes por nós o termos contratado.

Na Free Agency, o mercado de RTs não estará bom. Talvez Wagner, Remmers e Vollmer sejam nomes a se pensar, caso estejam disponíveis. Wagner seria minha prioridade, porque ele já jogou com Kubiak, justamente no melhor ano ofensivo dos tempos recentes do Ravens. Talvez com uma offseason inteira de treinos, Ty Sambrailo realmente possa mostrar a que veio, e parar de ser um bust.

4- Usar a Tender nos ERFA e RFA

Temos 9 jogadores que são Exclusive-Rights Free Agents (se você não sabe o que significa, leia nosso post sobre os tipos de Free Agents. Vai lá, a gente espera. Pronto? Então sigamos…): Bibbs, Fowler, Paradis, Barrett, Ferentz, Sunshine, Kreiter, Gause e Nixon. Todos eles devem voltar, já que custam pouco, só nós podemos assinar com eles e eles são, essencialmente, propriedade do time em 2017.

Quando aos Restricted Free Agents, temos três deles: Brenner, Todd Davis e McManus. Eu colocaria a tender mais baixa, a que dá direito de primeira recusa, no Brenner e no Davis, e uma de segunda rodada no McManus. Brenner é reserva, não acho que algum time vai se interessar por ele. Davis fez algumas jogadas para nós, mas ainda não é o cara, então é interessante ver se o mercado o avalia de forma diferente. Já McManus é um dos pilares da equipe. Colocar uma tag de segunda rodada mostra a ele o quanto o valorizamos ao mesmo tempo em que nos permite não gastar tanto assim, enquanto negociamos uma possível extensão.

5- Tomar decisões quanto aos UFA

Temos dez Free Agents irrestritos para o ano que vem: Ware, Walker, Sly, Gafford, Forsett, Norwood, Winn, Dekoda Watson, Kayvon e Marlon Brown.

Eu acredito que o tempo de DeMarcus Ware acabou. Ele passará por outra cirurgia nas costas, e seria interessante, até pela saúde dele, que ele se aposentasse. Além dele, não renovaria com Sly, Gafford, Norwood e Brown e tentaria renovar com todos os outros, exceto Walker, pelo mínimo, ou perto disso. Kayvon, por exemplo, é um bom jogador, mas não pagaria mais que 2M por ano para ele. Com Vance, ofereceria um contrato de um ano, com opção de mais um, se ele for avaliado como saudável o bastante para isso. Se ainda não estiver 100%, não renovaria.

6- Estender o contrato de Bradley Roby

Durante a offseason 2017, o Broncos terá a possibilidade de exercer a opção do quinto ano de Bradley Roby. Se fizer isso, o salário dele para 2018 deverá ser algo em torno de 7 M. Acredito que o Broncos pode aproveitar e estender o contrato dele antes disso. Um contrato com um bom dinheiro de bônus, mas que dê uma média de 6 M por ano por uns 4 ou 5 anos, seria uma boa pedida, além de diminuir o valor de cap que ele teria em 2018.

7- Aposentado para John Elway (TYJE)

8- Contratar/Draftar jogadores em posições importantes

Já falei do que fazer com os Offensive Tackles. Além deles, temos necessidades nas seguintes posições:

  • Nose Tackle: Eu não renovaria com Sly Williams, mas mesmo que ele renove, é importante ter um veterano de qualidade para ser jogador de rotação.
  • Defensive End: Precisamos de jogadores para a rotação aqui, especialmente que sejam bons contra o jogo corrido, nossa maior fraqueza.
  • Retornador: Não dá mais para subestimar a posição de retornador. Precisamos nos focar, seja no draft, seja na Free Agency, em um jogador que seja um bom retornador. Sei o que falam de não ter uma posição inútil no roster, trazendo alguém que só faça isso, mas é melhor ter 52 jogadores pra outras posições do que 1 jogador pro time adversário.
  • Quarterback: Seja Tyrod Taylor, Colin Kaepernick ou algo mais agressivo, como Tony Romo, o Broncos precisa de um QB com alguma rodagem para disputar a posição com Siemian e Lynch. Mais que isso, a competição deve ser aberta no ano que vem, até mais do que foi este ano. Claro que se Romo vier, não tem competição, ele será o titular, mas a hipótese é um pouco distante, porque Kubiak acredita no Siemian e Elway acredita no Lynch.

9- Contratar Outro Especialista em Scouting

Depois de 28 anos com o Broncos, Cornell Green se aposentou depois do draft de 2015. Ele foi responsável por trazer à luz diversos jogadores que foram bem sucedidos, e acredito que ele foi diretamente responsável pela série de 11 anos seguidos de ao menos um calouro não draftado fazer parte do elenco principal.

Com a ausência dele, acredito que a qualidade geral do nosso scouting decaiu um pouco, e acho que é importante trazer alguém que tenha um bom olho para o potencial de jogadores, especialmente linha ofensiva. Um dos nomes ventilados é o de Trent Baalke, GM do SF 49ers. Ele pode não ter sido bem sucedido nos últimos anos em Sanfran, mas ele é respeitado em toda a NFL por sua qualidade como avaliador de talento universitário, além de ter uma ética profissional impecável. Depois de dois anos seguidos de treinos conjuntos entre Niners e Broncos, o relacionamento dele com Elway é muito bom, e ele seria um ótimo assessor durante a preparação para o Draft 2017, além de poder ajudar Elway e Kubiak na War Room na hora das escolhas. E levando em conta que os últimos drafts de Elway não foram tão bons, a presença dele, ou de alguém como ele, pode ajudar bastante a evoluir nesse aspecto.

10- Não Se Precipitar na Offseason

Queria terminar com esse ponto porque acho que é, talvez, o mais importante de todos. John Elway é um cara que não aceita decepções muito bem, e ele com certeza quer fazer mudanças para que o fracasso que foi 2016 não se repita em 2017 e além. Só que isso pode levar a precipitações durante a offseason.

Times desesperados por melhoria tendem a pagar mais do que jogadores merecem (eg: Houston Texans), demitem técnicos que ainda poderiam oferecer algo de positivo à equipe (eg: Tampa Bay Bucaneers ano passado) e gastam demais para subir no draft em busca de um jogador salvador (eg: Philadelphia Eagles).

Esse tipo de situação deve passar longe de Dove Valley. Por mais um mês, ainda somos os atuais campeões do Super Bowl, passamos por um ano de reconstrução e no qual tivemos muito azar com lesões. Não é hora de limpar tudo e começar do zero, e sim de avaliar o que deu errado, mas sem deixar de lado o que deu certo.

Esses são meus dez passos (nove, na verdade) para a offseason 2017. Qual a opinião de vocês?

#GoBroncos!