Estádio do Broncos, o Sports Authoirty Field at Mile High

Sports Authority who? … at Mile High

Olá, leitores e torcedores de sangue azul e laranja, enquanto a bola não voa na NFL, nos bastidores do nosso time, eis que surge um imbróglio. A empresa responsável pelos Naming rights do estádio em Mile High decretou falência e não repassou o dinheiro a que o time tinha direito, e agora?

Mile High Stadium

Para início de conversa, um pouco da história do nosso estádio.

O Mile High Stadium foi inaugurado em 1960 e batizado assim devido à cidade de Denver estar a uma milha do nível do mar, e este nome persistiu até os anos 2000.

Em 2001, o Denver Broncos mudou-se para o INVESCO Field at Mile High, o que acarretou na demolição do antigo Mile High Stadium. Essa mudança foi envolvida em certa polêmica, porque descobriu-se que o setor financeiro do time estava alterando valores de salários de jogadores para conseguir pagar a todos e também arcar com os custos do estádio em construção.

Já em 2011, o estádio foi rebatizado como Sports Authority Field at Mile High, pela empresa que adquiriu os Naming Rights da INVESCO.

Situação atual

O Denver Broncos quer cortar o seu acordo de patrocínio com a extinta Sports Authority.

O varejista de artigos esportivos (pra quem desconhece a Sports Authority, se assemelha à Centauro no Brasil) decretou falência e não conseguiu fazer seus pagamentos para a equipe, violando seu contrato com o time. A empresa deixou de realizar dois pagamentos trimestrais, totalizando $2,1 M.

A Sports Authority tem um contrato com o time e outro com o estádio, que é pertencente ao Denver Metropolitan Football Stadium District, no entanto, os advogados da equipe tentam evitar que a empresa venda ou leiloe seus contratos relacionados com a equipe e com estádio, pois para isso precisa do consentimento por escrito de ambas as partes.

A loja de artigos esportivos foi obrigada a fazer pagamentos anuais graduais, entre $6 M e $9 M dividido igualmente entre o Distrito do estádio e os Broncos. Esses contratos, no entanto, têm prazos de pagamento separados.

Um novo pagamento para o Distrito que gerencia o estádio seria no próximo 01 de agosto, no valor de $3,6 M. Incluindo esse  pagamento, o varejista deve ao DMFSD $19,95 M até o final do contrato pela exploração do estádio.

Para o time dos Broncos em patrocínio – que inclui uma licença não-exclusiva para usar o logotipo de marca registrada da equipe em locais como sites, publicidade e na loja física, e ainda os elementos do acordo Naming Rights do estádio – exige pagamentos trimestrais.

A empresa deve $36 M até 2035.

Desde o dia 19 de maio, as únicas empresas que se pronunciaram desejando renomear o nosso estádio foram duas empresas do ramo de cannabis, Native Roots, que só deixou em aberto a possibilidade, e a O.penVape, que ofereceu formalmente  $6 M anuais.  No entanto, nenhum dos responsáveis pelo Distrito de Mile High deve se pronunciar enquanto o contrato com a Sports Authority não for encerrado.

Há um porém: o acordo de direitos de nomenclatura diz que o nome não pode violar qualquer regra ou política da NFL. Com efeito, o nome não pode ser o de uma empresa de tabaco, ou geralmente associada a produtos do tabaco, álcool ou jogos de azar, bem como o nome não pode ter uma associação com outra área, cidade ou estado nos Estados Unidos que não seja Denver ou Colorado. Apesar de a cannabis (maconha) ser legalizada tanto para fins medicinais quanto recreativos no Colorado, a substância é proibida pela NFL e ilegal na maior parte dos EUA, além de ser associada com fumo e uso de drogas, o que seria proibido pelas regras atuais da liga.

E aí, qual será o novo nome do estádio do nosso querido Denver Broncos?

#GoBroncos!