O que fazer sobre o contrato do Von Miller?

Segue o impasse na extensão de contrato do nosso melhor defensor, o Von Miller. De um lado o jogador quer receber o seu real valor de mercado, enquanto do outro lado o Denver Broncos quer economizar tudo o que puder para poder investir em mais jogadores de qualidade no time. Este é o principal impasse que basicamente todos os times e jogadores da NFL vivem ano após ano.

Embora essas negociações tenham uma grande parte subjetiva entre as partes, se analisarmos os contratos assinados na liga podemos perceber certos padrões seguidos em geral. O objetivo deste post é identificar alguns desses padrões para chegarmos a alguma conclusão a respeito da negociação com o Von Miller. Vamos lá?


A primeira coisa que podemos perceber analisando contratos de extensão na NFL é que eles são basicamente assim: os jogadores elite recebem contratos do tipo “3 anos e depois vamos ver”; os bons jogadores e os jogadores que foram elite mas já passaram seu ápice recebem os do tipo “2 anos e depois vamos ver”;  e todos os outros jogadores recebem um “este ano é o seu ano”.

Para exemplificar, temos a extensão assinada pelo Brandon Marshall. Tecnicamente é um “2 anos e depois vamos ver” porque ele já estava sob a tag de restricted free agent. Então para propósitos de estrutura, o bônus de assinatura dele foi distribuído em 2016 a fim de manter o cap hit mais baixo para os anos futuros. Então isso demonstra como o Broncos classifica o linebacker: um bom jogador, mas não necessariamente elite.

Como comparativo, temos o Luke Kuechly, o ILB mais bem pago de toda a NFL, que recebeu um contrato “3 anos e depois vamos ver”. Do jeito que foi estruturado, ele tem uma certa segurança de que fará parte do time até 2018. Isso porque cortar ele antes geraria um enorme problema para o salary cap do Panthers.

Na maioria das situações, o Denver Broncos opera seus contratos de acordo com esse padrão seguido pela maioria dos times. O Demaryius Thomas era considerado um jogador elite quando assinou sua extensão. Consequentemente, era um contrato do tipo “3 anos e depois vamos ver”. Já o Derek Wolfe é um bom jogador e seu contrato também segue o padrão, sendo um “2 anos e depois vamos ver”. Um exemplo de jogador com um “este é o seu ano” é o Donald Stephenson, que somente garante que ele será um Bronco em 2016.

Claro que existem exceções, como o contrato dado ao Russell Okung de “prove-se e depois receba” ou o do Aqib Talib que é uma série de 3 contratos “este é o seu ano” com opção para o time. Aliás o contrato do Peyton Manning também era uma série de 5 contratos “este é o seu ano” que ficavam garantidos após cada exame físico anual.

Isso se explica pelo fato de que cada um desses jogadores tinha um asterisco em seu nome e eles não entraram no mercado de free agency sob circunstâncias normais. O Manning tinha o problema das cirurgias de pescoço, o Okung tem questões de durabilidade e o Talib problemas fora de campo.

Ainda assim, em linhas gerais o padrão é bastante claro. O DeMarcus Ware foi elite mas já passou seu ápice e recebeu um “2 anos e depois vamos ver”. O Chris Harris Jr. assinou um “2 anos e depois vamos ver” embora o terceiro ano do seu contrato não permita realmente ao Broncos se desfazer dele com facilidade. O TJ Ward concordou com um “2 anos e depois vamos ver”. E podemos observar isso seguir para jogador do roster.

Finalmente chegamos ao Von Miller. É verdade que ele teve alguns problemas fora de campo 2 anos atrás, mas nada se repetiu desde então. Também 2 anos se passaram desde uma lesão significativa na carreira dele, mas o nível dele continuou altíssimo. Por causa disso, acho complicado defender um ponto de vista de que ele deveria aceitar um “2 anos e depois vamos ver”. O contrato dele deveria ser um “3 anos e depois vamos ver”, já que ele é definitivamente um defensor elite na NFL.

O Von tem excelentes argumentos dentro e fora de campo para propor que seu contrato tenha direito garantido até 2018. Com certeza o Broncos não pode pagar tudo o que ele quer, mas nessa negociação em particular o time ainda tem uma boa margem para ceder. Nós cedemos exatamente neste aspecto com o Demaryius Thomas, então não há motivos para pensar que desta vez será diferente.

E o que fazer a respeito do Emmanuel Sanders? Como ele vai completar 30 anos em 2017, o mais provável é que assine um contrato “este é o seu ano”, mesmo que no papel seja uma extensão de 3 ou 4 anos. Se conseguirmos um acordo ainda este ano, possivelmente ele vai ser estruturado de modo que o time possa sair deste contrato depois de 2017 sem comprometer o salary cap. É possível que ele consiga um “2 anos e depois vamos ver”, mas eu acho improvável devido à idade que ele tem.

 

Em resumo, eu acredito numa renovação destes 2 jogadores-chave para o time. No caso do Von Miller acho que o John Elway vai acabar cedendo e garantindo o terceiro ano de contrato. Quanto ao Emmanuel Sanders a negociação deve ser mais fácil. Ainda há tempo para resolvermos tudo isso, então ninguém precisa entrar em pânico. Concorda?

GO BRONCOS!!