Mark Sanchez é o novo QB do Broncos

Mark Sanchez chegou. E está tudo bem.

Olá, amigo leitor e torcedor do Denver Broncos. Não sei se vocês ouviram falar, mas Mark Sanchez foi trocado para o Denver Broncos. Isso não é razão para desespero. Antes de saírem correndo como lêmures, com as mãos na cabeça, gritando que vamos todos morrer (ou pior, pegar a primeira escolha geral do draft), acalmem-se. Como diria o Entei, está tudo bem. Deixem-me explicar o porquê.

Antes de mais nada, você não leu errado. É o Mark Sanchez. O Mark Sanchez do Buttfumble, e de todos os milhões de memes criados a partir dele. Mas há que se levar várias coisas em consideração.

A primeira delas é o que John Elway disse sobre a contratação:

Adquirimos Mark Sanchez por uma escolha condicional de 2017. Ele traz liderança veterana e vai competir. É o primeiro passo no nosso processo.

Um tweet é algo tão efêmero, mas transmite tanta coisa. A primeira a se notar é que ele veio por uma escolha condicional. Que além de tudo, é de sétima rodada. Basicamente, isso quer dizer que, se tivéssemos dado um pirulito e uma bala Juquinha ao Eagles, eles teriam saído com mais do que o que aconteceu. Segundo, liderança. Mark Sanchez pode não ser um cara muito adorado pela mídia e pela internet em geral, mas seus companheiros sempre estiveram do lado dele, mesmo quando ele estava com a cara no traseiro deles. Terceiro, ele vai competir. Isso significa que ele não é titular, mas teria, hipoteticamente, a chance de provar, no campo, que tem condições para isso. E quarto, é o primeiro passo no processo. Um processo de reconstrução que foi causado pelo êxodo em massa de jogadores, fruto de uma campanha vitoriosa no Super Bowl.

Se a opinião de Elway não basta, vamos ver o que Brian Guzman, coordenador ofensivo da Seleção Brasileira de FA, tem a dizer a respeito:

A vinda do Mark Sanchez, tirando todos as impressões já existentes sobre o jogador, é um movimento relativamente sem graça. Creio que, dada a situacao de QBs em Denver, e o fato de termos acabado de vencer o SB, faz parecer que Elway trouxe Sanchez para ser o starter de 2016, algo que creio não ser o caso. Sanchez é um QB decente, que tem chances reais de ser produtivo com um bom jogo corrido e uma defesa sólida (vide 2009 com os Jets). Trazer um veterano com experiência em Playoffs para gerar depth e competir por vaga certamente não vai nos machucar, independente dos preconceitos que possamos ter acerca do seu passado.

Duas excelentes mentes ofensivas pensam de forma semelhante. E eu concordo com eles. Sanchez não veio para ser a salvação, o substituto de Manning, aquele que ateará fogo às defesas adversárias. Porque nós não precisamos disso. Nós precisamos de um QB que consiga minimizar os erros, e, quando não teve a obrigação de marcar pontos e fazer o resultado, Mark Sanchez provou ser capaz de fazer isso. Em 2009, como Brian citou, e no ano seguinte, ele conseguiu conduzir o NY Jets a duas finais de Conferência. E se é verdade que a defesa e o jogo corrido do Jets eram excelentes (a defesa foi 1ª da liga em 09 e 3ª em 10), também é verdade que Sanchez conduziu o ataque a um comeback no quarto período em cada uma das campanhas. Ou seja, ele ganhou o jogo com seu time quando foi necessário.

E se é verdade que ele ficou marcado por erros em situações desagradáveis, em 6 jogos nos playoffs, que é quando a coisa realmente importa, ele tem 4 vitórias e 2 derrotas, um percentual de acerto de 60.5%, 1155 jardas, 9 TDs e 3 Interceptações, para um rating de 94.3, e tendo sido sacado apenas 4 vezes.

Mais que isso, essas 4 vitórias não foram contra sacos de pancadas. Em 2009, ele venceu Bengals e Chargers, depois de já ter vencido o Indianapolis Colts de Peyton Manning na temporada regular, em Indianapolis, e no ano seguinte, ele e seu time venceram não só o Indianapolis Colts de Manning, como também o New England Patriots de Brady, os dois jogos fora de casa. E mesmo que faça um tempo isso, é de se respeitar que ele tem experiência e um histórico vencedor nos playoffs.

Além disso, nas últimas duas temporadas, ele tem conseguido manter uma média de acerto superior a 64% nos passes, e um rating superior a 84. Ele está num momento interessante que, se for necessário, pode atuar e não comprometer. E você acha mesmo que se tivéssemos Sanchez no último Super Bowl, nosso ataque, que foi 1/14 em terceiras descidas, e conseguiu 104 jardas aéreas teria ido pior? Eu duvido.

Por fim, Sanchez não é o plano final de Elway. Ainda estamos tentando outras opções, mas Kaepernick parece interessado em jogar pelo Browns, RG3 está indo visitar o Jets e Fitzpatrick deve pedir um valor à altura do que Bradford e Osweiler ganharam, já que, estatisticamente, ele foi melhor que ambos ano passado.

Se nenhum deles der certo, podemos draftar um calouro na segunda ou terceira rodada do draft, e teremos três atletas para brigarem pela posição. E mesmo que algum deles der certo, Kaepernick vem de 3 cirurgias e RG3 não é conhecido por ser o cara mais durável do pedaço. É importante termos um QB experiente e que tenha experiência em surfar na onda de uma boa defesa rumo a uma jornada profunda nos playoffs.

Calma, confiem em Elway. De QB, ele entende.

#GoBroncos!