Russell Okung

Conhecendo Russell Okung

Olá, leitores e torcedores do Denver Broncos. Mais um jogador que colocou seu cavalo na sombra, ou melhor, em Mile High. Russell Okung chega a Denver para reforçar nossa linha ofensiva, ele é OT e veio do intragável Seattle Seahawks por quem jogou suas 6 temporadas. Vamos aos fatos.

Russell Okung antes da NFL

No College o offensive lineman jogou por Oklahoma State, onde participou de 52 jogos pelo time da universidade sendo 47 como titular.

Desses 47 jogos atuou em 39 deles como left tackle e nos 8 últimos jogos como right tackle.

Fez parte do time que liderou a conferência Big 12 durante seus quatro anos de College.

Foi finalista do Outland Trophy (prêmio de melhor jogador do interior de linha), além de ganhar o All-american e jogador de linha ofensiva da Big 12 com honras. Tornou-se o jogador mais condecorado de linha ofensiva da OSU desde o antigo Center dos Steelers, Jon Kolb (1966-1968). Foi o único jogador de linha ofensiva a ser indicado semifinalista ao Lombardi Award.

Obteve 317 knockdowns com 48 bloqueios resultando em touchdowns enquanto titular. Nas suas duas últimas temporadas teve 30 bloqueios resultando em touchdowns o que o colocou como líder da Big 12. Como Sênior, foi escolha da primeira equipe All-American pela NFL Draft Report, Walter Camp Football Foundation e American Football Foundation Coaches Association.

Russell Okung na NFL

O jogador de linha ofensiva foi draftado como sexta escolha geral de 2010 pelo Seattle Seahawks.

Jogou por Seattle nos últimos 6 anos, tendo atuado por 72 jogos de temporada regular nesse período e 12 jogos de playoffs, sendo todos como titular, no entanto perdeu 24 jogos por lesões, mas nunca uma temporada completa.

Okung tem uma média de 3,5 sacks permitidos por temporada, segundo o Pro Football Focus, com isso tendo a menor média entre todos os tackles da liga desde 2010, e ajudou os Seahawks ter uma linha ofensiva top 5 abrindo espaço para o jogo corrido nos últimos 4 anos, além de ter tido uma nota de 72,1 ano passado pelo PFF (máximo de 100).

Foi selecionado ao Pro Bowl em 2012 e foi campeão do Super Bowl em 2013. Alguém quer lembrar?

Russell sofreu uma lesão no ombro na sua última partida de playoff na temporada passada contra os Panthers, foi operado e sua volta a campo é esperada para junho.

O Offensive Tackle já está ambientado com o ZBS utilizado por Kubiak, pois jogava da mesma forma em Seattle, o que facilita sua adaptação ao time.

Eu estou muito familiarizado com o esquema que eles jogam. Joguei no esquema de zona desde calouro, eu entendo todos os conceitos e tudo o que eles têm aqui. Espero ter algo grande para oferecer a equipe, não só na minha compreensão do sistema, mas também no meu nível de jogo. Eu sei que esses caras são uma equipe de alto nível no campeonato e eu estou feliz por ser uma parte dela.

A respeito dos Broncos, Okung disse:

Eu só queria amar o lugar pra onde estava indo, e tenho uma boa oportunidade para ganhar campeonatos no futuro. Isso é algo que eu estou acostumado, e nós estamos prontos para fazer isso aqui.

É uma grande organização, e acho que existem apenas algumas organizações top na NFL. Denver é, obviamente, uma dessas. A classe e integridade, a forma com que a organização fala de seus valores. Eu queria fazer parte de um lugar como esse. Denver é o lugar que eu quero estar a longo prazo.

Nossa linha ofensiva sofreu muito ano passado, e nada mais inteligente da parte de nosso GM trazer mais talento a ela, nosso pior setor tem ganhado força e talento nessa free agency, tivemos baixas como Mathis e provavelmente Clady, no entanto contratamos jogadores mais jovens e com um futuro promissor.

Russell Okung nos bastidores da NFL

É importante dizer para quem menosprezou seu tipo de contrato com os Broncos, e o chamou de “burro” e deu zero pra ele, que Okung fora das quatro linhas é um cara de um talento intelectual invejável. Porque alguém que aceita sentar de igual pra igual com Elway para negociar seu próprio contrato merece nosso respeito.

Nos bastidores da NFL ele briga para que os jogadores se representem junto aos times, sem o intermédio de agentes, pois acredita que ninguém melhor que ele mesmo saiba seu valor, além de orientar seus companheiros de profissão a não cair nas promessas de contratos estratosféricos, prometidos pelos empresários tanto junto a times quanto junto à publicidade.

Na próxima semana, sairá um post sobre essa luta do nosso novo Bronco pela liberdade dos atletas junto a seus agentes.

E aí, o que acharam da contratação?