Osweiler ou não Osweiler, eis a questão.

Olá, amigo leitor e torcedor do Denver Broncos. Com o fim da temporada e o período de Free Agency ainda um pouco distante, pouco nos resta fazer, que não especular sobre o futuro da franquia. E algo que é importantíssimo é definir o nosso quarterback. Alguns acham que Brock Osweiler deve ficar a qualquer custo. Outros, que ele não é tão bom assim. Este post traz minha opinião sobre o assunto, e qual a melhor alternativa, caso ele peça muito para renovar.

Para começar, quero fazer um Disclaimer. Eu gosto do Brock. Sempre gostei, achei que foi uma boa pick à época, especialmente acreditando que Manning pudesse ensiná-lo por uns anos, e que teríamos uma ótima transição de uma lenda para uma estrela em desenvolvimento.

Além disso, gostei do que ele apresentou durante os sete jogos em que foi titular. E gostei ainda mais da postura dele depois de ser colocado no banco por Manning. Ele mostrou as características intangíveis necessárias para ser bem sucedido como quarterback. Paciência, calma, liderança, frieza, e capacidade de levar o time de uma situação ruim a uma vitória improvável. Não fosse por Oz, não teríamos sido campeões do Super Bowl, já que o fato de Denver estar barulhenta atrapalhou o ataque do Patriots, e eles tiveram que fazer contagem silenciosa dos snaps, o que ajudou demais nossa defesa, que saía do snap antes de qualquer jogador do ataque.

Com isso de lado, vamos analisar os fatos e os boatos.

O Broncos ainda não fez uma oferta formal a Osweiler. O time está dando tempo a Manning para anunciar sua decisão. Informar o que todos sabem, que ele não faz parte dos planos para 2016, antes do próprio Peyton fazê-lo seria ingratidão, ele merece esse respeito. Dito isso, se Manning não anunciar sua decisão até o fim da semana que vem, o time o fará por ele, com certeza. Estamos a menos de 20 dias do período de Free Agency começar, e temos que pensar no futuro, não no passado.

Mesmo sem uma proposta por Osweiler, os rumores dizem que números já foram trocados entre o time e o agente dele, e a diferença entre o que o time ofereceu e o que ele pediu está em torno de 2.5 M. O time não quer pagar mais que 10 M ao ano para ele, e ele não quer aceitar menos que 12.5 M. Sinceramente, eu não acho que Osweiler valha isso. Russel Wilson vai ganhar 12.4 M em média nos próximos dois anos. E Osweiler não está no mesmo nível que Russel.

Quando Andy Dalton renovou com o Bengals, ele renovou tendo alguns anos de temporada regular de experiência. Brock tem 4 pré-temporadas e 7 jogos. E nesses 7 jogos, ele não foi exatamente o tipo de jogador de encher os olhos. Não que ele tenha sido ruim, longe disso, mas também não foi muito bem. Ele teve 10 TDs contra 6 interceptações, com uma média de 3.6% de passes para TD e de 2.2% de passes interceptados. Lançou uma média de 245.9 jardas por jogo e teve um rating médio de 86.4, com 2 comebacks no quarto período. Entretanto, ele foi sackado 23 vezes, uma média superior a 3 sacks por jogo, e perdeu 151 jardas em sacks. Pelo chão, ele correu 21 vezes para 71 jardas (incluindo as ajoelhadas na bola) e 1 TD. No geral, sofreu 4 fumbles, tendo perdido 2 deles. Foi eleito o jogador ofensivo da semana 11 pela AFC, depois da vitória sobre o Chicago Bears.

Desculpem-me os que amam o Brock, mas um QB com essas estatísticas não merece um salário tão alto. Não por enquanto. Nosso amigo Bob Morris, do Thin Air, desenvolveu o que ele acha que seria o contrato ideal para Oz, estruturado de forma a não pesar muito para o time, mas ao mesmo tempo, recompensar Osweiler caso ele tenha um desempenho acima da média. Confiram:

A ideia é dar a Osweiler 8 M totalmente garantidos em 2016, com 6 deles de bônus de assinatura. Caso ele jogasse 70% ou mais dos snaps, ele ganharia 500 mil a mais. Outros escaladores de salário dele seriam até 250 mil por ir para os playoffs, ou 500 mil, se o time ganhar a divisão, outros 500 mil por cada vitória nos playoffs e 1 M a mais caso o time seja campeão do SB de novo.

Nesse cenário, se o Broncos vencer a divisão, mas não ganhar a Bye nos playoffs, e chegar à final da AFC, ele já ganharia 10 M. Se fôssemos campeões do SB, ele teria 11.5 M, próximo ao que ele quer ganhar.

Para 2017, seria semelhante, com um salário base de 9 M, com 2 M extras se o Broncos for aos playoffs e ele tiver jogado pelo menos 70% dos snaps do time e mais escaladores semelhantes aos do ano anterior, podendo subir o salário dele em 2017 para 14 M no ano.

Depois disso, o contrato dele teria um terceiro ano, de 14 M não garantidos, mas com uma cláusula que permitiria a Osweiler cortar esse ano e pedir um contrato melhor caso ele tivesse 70%+ de snaps em 2016 e 2017 e o Broncos fosse para os playoffs nos dois anos. A essa altura, o time já conhecerá 100% do que Osweiler é capaz de fazer, e então ficaria feliz em oferecer o que ele pedisse, porque quando um QB de 28 anos prova que é capaz de levar seu time consistentemente aos playoffs, ele merece ser pago.

Essa forma de estruturar contratos já existe na NFL, e seria algo que daria segurança aos dois lados, mantendo um nível de desafio para Osweiler. Mas o que fazer se Osweiler bater o pé, pedir 12.5 M ou mais, e, caso o time não ofereça, querer se arriscar no mercado aberto?

Rams, Texans e Browns são só alguns dos times que precisam de um QB, e que têm cap para pagar um valor maior do que o Broncos quer oferecer. Igualamos a oferta? Minha resposta é… Não. Tem outros peixes no aquário.

O que fazer se não renovarmos com Osweiler?

Bradford não é uma boa opção ao OsweilerBom, se não renovarmos com Osweiler, temos 3 alternativas. A primeira seria ficar com a opção da casa. Bem, para mim, essa opção não é válida. Trevor Siemian mostrou bons lampejos na pré-temporada, mas ele não tem condições, ainda, de elevar o nível do time. A outra opção seria ficar com Manning, mas, bem, não.

As outras opções que restam são draftar um QB ou contratar alguém de fora, Free Agent ou de outro time. Draftar um QB vai causar a mesma questão do Siemian, e a classe de QBs deste ano é fraca. Sendo assim, vamos olhar os QBs Free Agents:

  • Sam Bradford
  • Drew Stanton
  • Ryan Fitzpatrick
  • Matt Hasselback
  • Matt Schaub
  • Matt Cassel
  • Kirk Cousins
  • Luke McCown
  • Michael Vick
  • Matt Flynn
  • Brandon Weeden

Há outros, mas esses são os mais relevantes. Kirk Cousins não vai a lugar algum, o Washington vai renová-lo com certeza. Fitzpatrick deve continuar no Jets também, ele teve um ano sólido, e Sam Bradford tem um valor bem alto de mercado, além de ser de vidro. Quanto aos outros QBs, sinceramente, não vejo nenhum deles como uma solução de longo prazo (alguns deles, nem de curto prazo). E tudo o que não queremos agora é instabilidade na posição. Alguns deles são boas opções para serem reservas, incluindo Christian Ponder, que esteve em Denver por duas semanas em 2015, mas nenhum para ser titular. E não, Tim Tebow não é opção.

No cenário de pânico que nos encontramos nessa situação hipotética, com Manning e Osweiler fora, nenhum calouro que valha a pena e nenhum Free Agent que salve a pátria, o que fazer? Qual o melhor caminho a tomar? Eu respondo com três caracteres: RG3.

Por que RG3 é a melhor opção, caso Osweiler peça muito?RG3 é uma alternativa a Osweiler

Certo, antes de mais nada, sem surto coletivo. Essa é a pior coisa que se pode fazer. A torcida do Broncos infelizmente é uma das que mais reage em excesso em algumas coisas. Tebow é idolatrado até hoje, e tem muita gente que queria que ele tivesse sido chamado para ser parte do time quando Manning se lesionou. Alguns até acham que o time devia isso a ele, para dar a ele um anel de Super Bowl. E convenhamos, Tim Tebow, ou um cone, teria ganhado o Super Bowl do mesmo jeito que Manning, do jeito que nossa defesa jogou.

Até a impressão positiva que temos de Brock é quando comparamos com o desempenho pífio de Manning na temporada regular. De fato, para o Pro Football Focus, na lista que fizeram dos 75 melhores Free Agents de 2016, Oz está na posição 72.

Sendo assim, esqueça tudo o que aprendeu. Foque-se no momento. Foque-se em mim. Ouça apenas o som da minha voz na sua mente, enquanto lê esta frase, e dispa-se de seus preconceitos. No caso de Osweiler pedir demais, Robert Griffin III é a melhor opção para o Denver Broncos, e vou explicar o porquê.

RG3, o japonês mais negro de todos os tempos (sim, ele nasceu no Japão, para quem não sabe), não é, tecnicamente um Free Agent. Mas vai se tornar. Em 2015, o Washington optou por não deixar RG3 chegar perto de uma jersey, porque se ele se machucasse, o salário de 2016 dele seria totalmente garantido. E é justamente esse salário que fará Griffin sair de Washington. Tendo que pagar para renovar com Kirk Cousins, o time, com toda certeza, não vai pagar mais de 16 M por um QB de quem o técnico não gosta. E se ele for cortado, o time não tem um centavo para pagar por isso. Então, o corte é certo.

Considerando que ele será cortado, já foi informado que John Elway e a cúpula do Denver Broncos discute a possibilidade de contratar Griffin, caso o preço de Oz seja proibitivo, então aqui é um pouco mais do que mera especulação.

RG3 foi uma escolha de primeira rodada, a segunda escolha geral do ano em que foi draftado, e levou seu time aos playoffs logo de cara. Naquele ano, ele quebrou o recorde de rating por um calouro, com 102.4, foi o calouro do ano, teve o melhor índice de jardas por tentativa de passe, com 8.1 de média, a quarta melhor porcentagem de passes certo, com 65.6% e a melhor média de jardas corridas por tentativa, com 6.8. Ele teve uma taxa de interceptações de apenas 1.3%, e uma ótima taxa de TDs a cada 5.1% dos passes. Lançou para 20 TDs contra 5 interceptações, e correu para mais 7 TDs. Aliás, mesmo contabilizando os dois anos ruins de Griffin, ele ainda tem uma porcentagem de acerto melhor que a de Osweiler (63.9% x 61.8%) e um Rating melhor também (90.6 x 86.4), isso porque só considero os 7 jogos que Oz jogou em 2015 na conta.

Sofreu uma série lesão, porém, que foi piorada pelo fato de que seu técnico, Mike Shanahan, mandou que ele voltasse ao campo. A lesão se agravou, e RG3 nunca mais foi o mesmo. As reclamações a respeito dele começaram a surgir, dizia-se que ele não tinha liderança, que a OL abria de propósito para deixá-lo apanhar, e ele teve dois anos ruins em 2013 e 2014, nunca tendo se recuperado totalmente da lesão, e virou um QB de vidro para muita gente.

Mas não é bem assim. Para começar, Shanahan queria Tannehill, não RG3. Além disso, ele sofreu seguidas lesões, e quando voltou, parecia um jogador sem confiança. Ele não teve um desenvolvimento adequado depois de seu ano de calouro, o que podemos escolher jogar a culpa nele, ou na comissão técnica, que não soube trabalhar o jogador. Quando Shanahan saiu, saiu com ele o GM que draftou Griffin. Com um técnico novo que não gostava dele, RG3 perdeu ainda mais espaço.

E termos de saúde, ele passou no exame médico do Washington, então, pode ser liberado a qualquer momento. Para passar no exame médico, o jogador deve estar 100% recuperado das lesões. Além disso, nossos especialistas em condicionamento físico costumam mandar bem com jogadores que têm históricos de lesões. Por fim, ele está há mais de um ano sem tomar pancadas e só mantendo seu condicionamento físico. É bem provável que seu corpo esteja 100%.

Em termos de cabeça, ele pode realmente não ter sido um líder no vestiário do seu time, mas isso pode ser creditado também à falta de confiança que seus técnicos tinham nele. Mas ele ficou quieto o ano passado inteiro. Você não o via reclamando, não surgiram notícias de críticas ao Griffin, e ele inclusive apoiou Cousins e o ajudou em diversos pontos.

E em termos de desenvolvimento, nós vimos a evolução da maior parte dos jogadores do nosso time. Temos uma comissão técnica que, se não é perfeita, sabe lidar muito bem com os jogadores. Sabe motivá-los, fazê-los acreditarem em si. E Griffin é um QB atlético, se Kubiak decidir usar todo o potencial dele, ele tem totais condições de ser bem sucedido.

Por fim, a questão mais importante, a financeira. Com o tempo que ficou de fora, RG3 perdeu todas as fichas possíveis para ter um novo contrato. Ele pode ganhar um contrato semelhante ao que Bob desenhou para Osweiler, com a diferença é que podem ser tirados alguns milhões. Dar um contrato baixo, no esquema de “prove-me que você merece mais” permitiria a RG3 ter a chance de mostrar que ainda pode ser um QB de elite, como foi projetado, e alivia o cap do Broncos para 2016, permitindo renovar com ainda mais peças importantes. Além disso, se recuperarmos a confiança dele, podemos ter em RG3 o futuro da franquia, já que ele ainda pode ter muitos anos pela frente.

E não estou sozinho nisso. Numa pesquisa feita com quase 5000 pessoas pelo Mile High Report, 78% acham que RG3 é uma boa opção, caso Brock peça demais.

Em suma, eu prefiro que Osweiler renove, se for dentro das condições citadas acima, ou por algo não mais caro que 11 M por ano. Se ele pedir demais, estou curioso para ver o que RG3 seria capaz de fazer com uma defesa como a do Broncos ao seu lado. Se o pior Manning de todos os tempos foi campeão do Super Bowl, o futuro pode ser muito brilhante para nós.

O que vocês acham que deve ser feito com Osweiler?